Pesquisas poderão ser feitas em seis países: Brasil, China, Índia, Malásia, México e Paquistão

Em conjunto com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico(CNPq), a Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS) está recebendo inscrições para mais de 280 bolsas de estudo. Podem se candidatar pesquisadores que desejam cursar o doutorado ou o pós-doutorado fora de seus países ou realizar pesquisa avançada em nações em desenvolvimento. Também há vagas para que pesquisadores seniores façam visitas de curta duração à China e à Malásia.

Os países participantes do programa são Brasil, China, Índia, Malásia, México e Paquistão. As bolsas são oferecidas em cooperação com agências e órgãos nacionais de Ciência e Tecnologia, universidades e centros de pesquisa.

Os pesquisadores não podem se candidatar para bolsas oferecidas em seus países de origem – um brasileiro, por exemplo, será considerado inelegível se pleitear uma bolsa em instituições brasileiras.

Também serão desconsiderados os candidatos que já  moram no país onde querem estudar. Cada bolsa requer uma idade limite e tem critérios de elegibilidade próprios.

Acesse aqui as informações sobre o programa

http://www.cnpq.br/editais/ct/2010/twas.htm

http://twas.ictp.it/prog/exchange/fell

 

Histórico                

Criada em 1983, por Abdus Salam, paquistanês laureado com o Prêmio Nobel em física, com o nome de Academia de Ciências do Terceiro Mundo (TWAS, na sigla em inglês), a entidade teve entre seus fundadores eminentes pesquisadores brasileiros.

Atualmente denominada Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento, é uma das mais importantes organizações associadas à Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), cuja missão é a de promover o desenvolvimento de CT& I nos países em desenvolvimento, reunido em seus quadros os melhores cientistas desses países – Índia, Brasil, China, África do Sul, entre outros.

Em consonância com as diretrizes da política externa brasileira de aproximação com os países vizinhos e com os países da África, a localização de um escritório da presidência da TWAS na América Latina tornou possível, entre outros benefícios, um maior apoio aos programas PROSUL e PROAFRICA, hoje de responsabilidade do CNPq.

Escritório Regional da TWAS para América Latina e Caribe (TWAS-ROLAC)

A criação do Escritório Regional da TWAS para a América Latina e Caribe (TWAS-ROLAC, na sigla em inglês), foi mais uma das conquistas da Academia no plano da chamada diplomacia da ciência, que gerou importante acréscimo de suas atividades internacionais.

O objetivo desse escritório é aumentar a interação da TWAS com seus membros na região, bem como viabilizar a implementação de projetos da organização, tais como a concessão de bolsas de doutorado e pós-doutorado, a realização de projetos conjuntos, a outorga de prêmios, a promoção de diversas atividades visando o estímulo a jovens cientistas, entre outros.

É também função do referido escritório estimular uma maior integração entre os Membros latinoamericanos e caribenhos e destes com outros membros da TWAS.

 

Da redação, com informações da Assessoria de Imprensa do CNPq e do Estadão.

 

 

Author

Write A Comment