O Confap, a SBPC, o CNPq e a ABC foram convidadas pela Capes para uma reunião realizada na última semana, em Brasília, que teve por objetivo debater as condições para a manutenção do Portal de Periódicos da instituição.

O Confap (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa) foi convidado pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) a discutir, junto à SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e à ABC (Academia Brasileira de Ciências), a atual situação do Portal de Periódicos da instituição. A reunião ocorreu dia 28 de janeiro, em Brasília (DF), com o objetivo de debater as condições para manutenção do Portal de Periódicos, instrumento de divulgação e valorização da pesquisa científica, tecnológica e de inovação brasileira.

“O Portal de Periódico da CAPES para o conjunto dos pós-graduandos brasileiros é uma excelente fonte de pesquisa, que reúne uma enorme base, ampla e gratuita, de publicações como as revistas Nature e a Science, e diversas outros periódicos da área que cobram acesso a publicações, a dossiês temáticos e que são muito importantes para que a pesquisa seja realizada pelo estudante”, diz Gabriel Nascimento, vice-presidente regional Centro-Oeste da ANPG.

“Para nós, pós-graduandos, é essencial que continue sendo gratuito, e que não haja nenhum tipo de interrupção do Portal. Nós vemos com muito cuidado e cautela toda espécie de preocupação em relação à qualquer ameaça que venha sofrer o Portal de Periódicos da CAPES, e, principalmente, porque o Brasil sai na frente de qualquer outro país no mundo com essa ferramenta. Para nós, é essencial.”, acrescenta Gabriel.

O custo previsto para manutenção do Portal, atualmente, é de US$ 92 milhões. A Capes buscou trazer as principais instituições científicas para discutir possibilidades de redução de custos, como a revisão do conteúdo disponibilizado. “O custo é elevado, porém o retorno do investimento é muito grande. Há unanimidade no sentido de que o Portal é relevante e precisa continuar funcionando”, pondera Maria Zaira Turchi, vice-presidente do Confap.

“Não dá para imaginar trabalhar e desenvolver pesquisa no país sem o acesso gratuito às publicações que embasam nossos trabalhos. É no mínimo triste que tenhamos que somar esforços para discutir uma necessidade tão óbvia que é a manutenção do periódicos CAPES. Nós não queremos e não podemos ficar sem essas bases. Seria um retrocesso às nossas conquistas e um gap para a pesquisa no Brasil”, afirmou o diretor Acadêmico-CIentífico da ANPG, Lenilton Silva.

O portal oferece acesso a textos completos disponíveis em mais de 37 mil publicações periódicas, internacionais e nacionais, e a diversas bases de dados que reúnem desde referências e resumos de trabalhos acadêmicos e científicos até normas técnicas, patentes, teses e dissertações dentre outros tipos de materiais, cobrindo todas as áreas do conhecimento. Inclui também uma seleção de importantes fontes de informação científica e tecnológica de acesso gratuito na web, pelo link: http://www-periodicos-capes-gov-br.ez387.periodicos.capes.gov.br/index.php?option=com_phome

“O País não pode ficar sem todas essas bases”, acrescentou a professora Zaira, que preside a Fapeg (Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás). “É possível negociar alguma redução, mas será preciso verificar quais interessam mais”. Ela representou o Conselho na reunião em Brasília e, segundo ela, o Confap, por meio de suas FAPs, deverá empreender mais esforços na defesa da relevância do Portal. A Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), por exemplo, já se manifestou. Seu diretor técnico-científico, César Zucco, afirmou: “seria um desastre para os pesquisadores não terem mais acesso aos periódicos nas suas áreas”.

Antes da plataforma conjunta, quase todas as instituições tinham assinaturas de jornais e revistas científicas, mas atualmente as bibliotecas estão desatualizadas e sem recursos para reativar assinaturas. “O Brasil já economiza ao ter um portal único e é lamentável que tenhamos de voltar a discutir esse assunto”, lamentou Zucco, que presidiu a Sociedade Brasileira de Química e foi Membro do Conselho Superior da Capes, entre outros cargos.

“A manutenção do Portal de Periódicos já reduz custos para o Estado, propiciado acesso a esta essencial fonte de informação para os pesquisadores em todos os níveis de formação e atuação”, afirma Philipe Pessoa, diretor Cultura e Eventos Científicos da ANPG.

“A CAPES, juntamente com a ANPG e outras comunidades científicas, deveria, por outro lado, dispender mais esforços na discussão sobre monopólios de editoria científica e iniciativas como as publicações de acesso aberto, gratuitos para os leitores, e a melhoria de sua qualidade”, acrescenta.

Em carta aos editores das publicações científicas internacionais, a SBPC havia solicitado que eles estabelecessem os preços das assinaturas dentro das condições financeiras atuais do Ministério de Educação. “Trata-se de uma situação que exige o esforço de todos, para uma causa das mais relevantes para estudantes, professores e pesquisadores brasileiros”, diz o texto, que pode ser lido aqui.

Da redação com informações do Confap

Author

Write A Comment