O Instituto Ciência Hoje (ICH) se comprometeu a ajudar na reconstrução do Palácio Universitário da Praia Vermelha, destruído no incêndio do último dia 28 de março (leia abaixo). Em carta enviada, nesta sexta (01/04), ao reitor Aloisio Teixeira, a entidade sinaliza com a doação de R$ 100 mil para reforma do prédio, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

De acordo com Renato Lessa, diretor-presidente do ICH, o instituto “não poderia ficar, de modo algum, alheio ao esforço de reconstrução já anunciado”. Ainda segundo a missiva, “o ICH dispõe-se a arcar com as despesas de reforma das instalações elétricas, além de outras medidas para tornar o referido prédio mais seguro”.

Após comunicado oficial do reitor Aloisio Teixeira, convocando a participação da sociedade civil, diversos órgãos governamentais, entidades e demais instituições já se manifestaram positivamente. O prefeito Eduardo Paes anunciou, na última quarta feira (30/03), através de seu perfil na rede social Twitter, que a Prefeitura patrocinará metade do valor da obra estimada, inicialmente, em torno de 4 milhões.

O incêndio

O incêndio que aconteceu na última segunda feira (28/03), teve início na Capela São Pedro de Alcântara, dentro do Palácio Universitário. Além do espaço, a sala Anísio Teixeira também foi destruída. 

Chamas atingem prédio da UFRJ na Zona Sul do Rio (Foto: Arthur Pires/VC no G1)

Aos poucos, os responsáveis pelas unidades começam a contabilizar os danos. De acordo com Agnaldo Fernandes, superintendente da Decania do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), “o complexo que engloba o Instituto de Economia (IE) e a Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (Facc) da UFRJ não sofreu maiores danos”.

Situação similar à do IE-UFRJ, de acordo com Guilherme Aguiar, chefe de departamento operacional da unidade. “Apenas dois computadores do Salão Dourado foram molhados e serão avaliados, ainda hoje, pelo setor de Informática”, informou.

Já o Fórum de Ciência e Cultura (FCC) da UFRJ, onde se localizava a Capela São Pedro de Alcântara, permanece interditado. De acordo com Beatriz Resende, coordenadora do FCC-UFRJ, ainda não é possível avaliar a proporção dos estragos. “Está tudo soterrado. O sino da Capela São Pedro de Alcântara continua embaixo dos escombros”, afirmou.

Além do sino de bronze, o altar-mor, com uma imagem de São Pedro de Alcântara, esculpidas em mármore Carrara, por F. Petrrich, também foi atingido pelo fogo. Entre os objetos históricos perdidos, que datavam da construção do Palácio, estavam três lustres de cristal que adornavam o centro do salão.

Foram destruídos ainda mais de cem cadeiras de palha, cortinas, jardineiras e mesas de santos adquiridas em antiquários por Pedro Calmon, na época em que o Palácio foi adaptado para receber a Universidade do Brasil, em 1949.

 

Leia também a nota oficial do reitor Aloísio Teixeira sobre a volta das atividades

 

Da redação com informações da Assessoria de Comunicação da UFRJ.



Author

Write A Comment