logo
 
O SciDev.Net, um dos maiores portais de notícias sobre ciências da América Latina e Caribe, destacou a mobilização que entidades científicas e acadêmicas de todo o País que estão há meses lutando por melhores condições.
A publicação também destacou a mobilização que as entidades realizarão em Brasília, no Congresso Nacional, na próxima terça-feira, 10 de outubro, para pressionar o governo a aumentar o orçamento previsto para 2018 e descontingenciar os recursos de 2017 para ciência, tecnologia e educação pública superior. A ANPG estará presente com sua diretoria para fazer parte desta grande mobilização.
Confira a tradução da matéria feita pelo Jornal da Ciência:
Vinte e três cientistas laureados com o Prêmio Nobel enviaram na semana passada (29 de setembro) uma carta ao presidente do Brasil, Michel Temer, expressando sua profunda preocupação com a ciência e a tecnologia brasileiras, solicitando que ele reveja os drásticos cortes no orçamento da ciência do país.
Em 2017 houve um corte no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) de R$ 2,6 bilhões (cerca de US$ 825 milhões), equivalente a 44% do orçamento. O corte foi feito como parte de um bloqueio de R$ 42,1 bilhões (cerca de US $ 13,3 bilhões) do orçamento geral do país para este ano.
Com esta redução, o orçamento para o MCTIC em 2017 é de R $ 3,4 bilhões (US$ 1 bilhão), o menor nas duas últimas décadas. Em 2018, de acordo com os anúncios do governo, o orçamento será ainda menor, R$ 2,7 bilhões (cerca de US $ 794 milhões).
“Isso vai prejudicar o país por muitos anos, com o desmantelamento de grupos de pesquisa de renome internacional e uma fuga de cérebros que afetam os melhores cientistas jovens”, diz a carta, assinada por Claude Cohen-Tannoudji, Prêmio Nobel de Física 1997 e 22 outros laureados.
“Enquanto em outros países a crise econômica às vezes levou a cortes orçamentais para a ciência da ordem de 5-10%, uma redução de mais de 50% é” impossível de admitir “e compromete seriamente o futuro do país”.
Também na semana passada (25 de setembro), nove entidades científicas – entre elas a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) – enviaram uma carta a Temer, chamando a atenção para a situação muito séria da ciência e tecnologia no país resultante da drástica redução de recursos.
Considerando a decisão do governo de autorizar a liberação de aproximadamente R$ 12,8 bilhões (cerca de US$ 3,76 bilhões) para o orçamento geral de 2017, as entidades científicas solicitam, na carta, a liberação imediata dos recursos retidos do MCTIC este ano.
Nesse sentido, o Ministério do Planejamento anunciou nesta semana (2 de outubro) o lançamento de R$ 442,3 milhões (dos R$ 2,6 bilhões – cerca de US$ 825 milhões – bloqueados).
De acordo com as organizações, também é essencial assegurar um orçamento adequado para a ciência e a tecnologia em 2018. “Estas são condições essenciais para um projeto nacional que se preocupe com o desenvolvimento econômico, social e ambiental sustentável, levando à melhoria das condições de vida dos brasileiros e garantindo a soberania da nação”, afirmou a carta.
“A situação em que vivemos hoje torna cada vez mais difícil o planejamento e a própria sobrevivência das nossas instituições de ciência e tecnologia”, disse Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências, ao SciDev.Net.
Ele acrescentou: “Os institutos MCTIC, por exemplo, estão recebendo recursos para pagar seus custos operacionais (eletricidade, segurança, etc.) mês a mês, criando um clima de insegurança e impedindo qualquer planejamento. Os laboratórios de pesquisa de várias instituições não conseguem comprar os insumos necessários para a pesquisa e são obrigados a interromper o trabalho e os projetos de tese quando um equipamento se quebra, pois não há recursos para reparos”.
Para o dia 10 de outubro, as entidades científicas estão organizando uma manifestação no Congresso Nacional, que tem o apoio de deputados e senadores, especialmente a Frente Parlamentar em Defesa da Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação.
Na ocasião, uma audiência pública será realizada na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Tecnologia da Informação da Câmara dos Deputados e um documento será entregue com 80.000 assinaturas da campanha Conhecimentos Sem Cortes.
Fonte: SciDev.Net – Tradução: Jornal da Ciência

Write A Comment