Alunos da Universidade Estadual de Montes Claros, Minas Gerais, procuraram a Associação Nacional de Pós-Graduandos e escreveram uma matéria sobre os processos seletivos da instituição. Leia abaixo:

 

A Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes, localizada no norte de Minas Gerais se destaca em relação ao número de profissionais graduados em diversos cursos, estes referentes às seguintes áreas: biológicas, humanas, sociais, e tecnológicas.

Contudo, observa-se que os alunos recém graduados pela Unimontes enfrentam dificuldades em ingressar numa pós-graduação lato sensu, ou mesmo em um Mestrado.

Com isto, salienta-se aqui a dificuldade que formandos encontram para concorrer a uma vaga de uma especialização gratuita, que oferecida pela Unimontes. Nota-se que os critérios de seleção priorizam profissionais que estão inseridos no mercado de trabalho, assim excluindo-se aqueles que também buscam a formação continuada e que se graduaram recentemente, uma vez que para ser selecionado deve-se estar atuando em alguma instituição.

Como entender estes critérios quando percebemos que pessoas que não estão atuando em instituição são escolhidas para a segunda etapa de avaliação (entrevista)? Como compreender que uma especialização gratuita insere os próprios docentes da Universidade, os parentes da das pessoas responsáveis pela coordenação da pós-graduação?

Por se tratar de um curso gratuito considera-se que os critérios de seleção alcancem aqueles que não encontraram a oportunidade de trabalhar, espera-se que estes sejam democráticos. Logo, sugerimos que as vagas sejam divididas em porcentagem: aos profissionais educadores que atuam em alguma instituição, e a demanda social (aos demais interessados) como acontece em várias Universidades. Dessa, forma não se escolhe certa classe de profissionais, e se democratiza o que é de todos: o direito de se formar e atualizar os conhecimentos.

Author

Write A Comment