A ANPG buscou justificativas junto ao MEC para os atrasos e, em resposta, o secretário executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa, entrou em contato com a presidenta da ANPG, Tamara Naiz, na noite desta quinta-feira (8), para justificar o atraso nas bolsas de pesquisa concedida pela CAPES e expressar oficialmente um pedido de desculpas aos pós-graduandos pelo transtorno causado pelo ocorrido.

O secretário informou que o atraso se deu por conta conta de complicações com o fluxo orçamentário do Tesouro, que se encontrava parado até hoje (8). Costa informou à presidenta da ANPG que os pagamentos das bolsas de pesquisa serão normalizados em breve.

Ao ser indagado sobre um prazo para que todos os pagamentos sejam efetuados, este não soube precisar uma data, mas disse que o Ministério da Educação está se empenhando para que isso aconteça o quanto antes.

“Informamos ao secretário nossos esforços em obter um posicionamento quanto ao atraso das bolsas junto a CAPES e a necessidade de um maior diálogo”, informou Tamara.

Desde dezembro, quando a ANPG começou a receber massivamente reclamações dos pós-graduandos sobre o atraso das bolsas, a Associação tenta se reunir com o MEC para ter um posicionamento deles sobre a situação das bolsas e também para discutir sobre mais direitos para os pós-graduandos e pós-graduandas, como a assistência estudantil. O secretário aceitou se reunir com a presidenta da ANPG na próxima semana.

Da redação

Matérias relacionadas:

08/01/2015 – ANPG cobra CAPES sobre o atraso nas bolsas
10/12/2014 – Bolsistas da CAPES reclamam de atraso na sua bolsa de pesquisa

Author

52 Comments

  1. Danielle Melo dos Santos Reply

    Gostaria de um esclarecimento: Este atraso compromete as bolsas de pós-graduação? ou só as bolsas de UAB?
    Aguardo retorno

  2. Tarcísio Martins Reply

    Acho falta de compromisso, minhas contas pessoais sofrem multas que a justificativa do governo não paga. Além disso, quando varo noites de trabalho, não tenho respaudo de ninguém. Só quero respeito e compromisso da mesma forma que tenho varando essas noites.

  3. Pâmela Busch Reply

    Acredito que o governo não dê a nós, pós-graduandos, o devido respeito e valor. Recebemos uma bolsa pequena, sem benefícios (plano médico e etc), sem 13˚ salário, sem direito a férias e temos que cumprir uma carga de trabalho semanal equivalente a qualquer outro trabalhador que tem somente seu trabalho como função,enquanto nós além das obrigações de estudo (notas, conceitos e etc). Desenvolvemos pesquisa para melhoria de todos, além de passarmos nosso conhecimento a diante ajudando a ampliar os horizontes da população em geral… e o que recebemos em troca? Não poder pagar nossas contas em dias! Isso é uma vergonha!! Um desrespeito absurdo e uma afronta a nosso conhecimento, trabalho, dedicação e esforço diário (e repetindo, sem direito a férias!). Onde estão aqueles que zelam pela educação nesse país????

  4. Tudo isso sabemos se tratar de pura demagogia, o que realmente é fato é que assinamos um contrato e este não em sendo cumprido por parte da CAPES, MEC e Governo Federal…Como farei para colocar comida na mesa e pagar as contas de todo o mês? Ponho na conta de quem? O governo aceita que eu não pague impostos, ou que eu atrase o pagamento destes por culpa dele mesmo não cumprir o contrato??

  5. Existe uma questão importante que é negligenciada nestas negociações.
    Para receber a bolsa, uma série de limitações é imposta ao pesquisador, entre elas, a necessidade de não ter vínculo empregatício, salvo em poucos casos.
    Somos pressionados a não trabalhar em outra instituição para poder cumprir o curto prazo estabelecido pelas agências de fomento e programas de pós-graduação. Durante todo o curso, uma série de relatórios, artigos e participação em eventos são cobradas, sob o risco de perder a bolsa caso estas metas não sejam cumpridas.
    Somos profissionais, com responsabilidades, e qualquer coisa que fizermos fora das regras é motivo para sermos punidos.
    Dependemos da bolsa para nossa sobrevivência. Não apenas para comprarmos livros, inscrições de eventos, etc, mas para além destes gastos do curriculo acadêmico, pagarmos aluguel, comprarmos a cesta básica, pagar eletricidade, etc.
    E como fazemos se a bolsa atrasa? Qualquer patrao que não pague seus funcionários em dia, paga multa, e aqui, recebemos apenas um pedido de desculpas.
    Isso soa como um insulto!
    Acaso vão estender o prazo dos estudantes? Acaso vão flexibilizar as metas solicitadas?
    Como vamos sobrevier até resolverem que podem nos pagar?
    Se exigem de nós uma postura profissional e disciplinada, o mínimo que esperamos é receber a bolsa em dia.
    Não fazemos pós-graduação por mero hobbie e vemos a bolsa como uma mesada. Somos profissionais, e queremos ser tratados como tal.

  6. É vergonhoso o que a CAPES e o MEC estão fazendo com os bolsistas. Não há nenhum comunicado, nenhuma informação sobre quando a nossa bolsa será depositada. No site da CAPES o link para “fale conosco”, onde é possível registrar reclamação, está indisponível. Dinheiro para gastar com a decoração da posse tem, mas honrar com o compromisso com os pesquisadores nem pensar. Lamentável.

    • O MEC precisa urgentemente resolver esta questão das bolsas! muitos alunos, assim como eu, que tiveram que deixar suas cidades em busca de uma melhor formação acadêmica são dependentes da mesma para manter moradia, transporte e alimentação. É uma vergonha o descaso do nosso país com a educação!Esta, que junto com a saúde, deveria possuir prioridade máxima!A educação tem o poder de promover o desenvolvimento econômico, social e político de um país!!! É lamentável termos o “progresso” estampado como lema em nossa bandeira e possuirmos ações governamentais tão contrárias a isto… Acorda Brasil! Vamos valorizar o que temos! Não precisamos importar conhecimentos! Podemos crescer com nossas próprias pernas! Só precisamos obter o apoio que deveríamos ter por direito.

  7. Pq não diminuem os salário de 33.000 dos ministros e regentes desse país, e aumentam nossas bolsas ao invés de cortar gastos do tesouro?? Isso é uma falta de respeito!!! INDIGNADA com a falta de valorização do PROFISSIONAL pesquisador nesse Brasil.

  8. Ester Sales Reply

    É inadmissível e injustificável esta situação de atraso. Além da falta de apoio e incentivo a pesquisa neste país, ainda temos que lidar com o imenso constrangimento de termos que ficar podados da única fonte de renda que temos para custear nossas necessidades básicas. Pois, alguns cursos como o meu exigem uma dedicação exclusiva.

  9. Letícia Vieira Reply

    Pedido de desculpas oficial cobre as despesas de alguém? Lamentável!

  10. Fernando Roberto Souza Santos Reply

    Para um governo que diz querer um país melhor e sem pobreza não fica bem tratar seus pesquisadores com tamanho desprezo. O descaso é tamanho que nenhuma informação oficial nos foi passada. Muito triste saber que mais uma vez a educação, a pesquisa é deixada para quinto plano.

  11. Viviane Vieira Reply

    Eu acho um absurdo o que a CAPES faz com a gente! É como se não tivéssemos contas a pagar só porque somos estudantes! Vários congressos e projetos milionários sendo financiados e sempre quem acaba perdendo é o setor menos valorizados e menos articulado e forte: os estudantes!! Além de não recebermos ao nível de nossos esforços e empreendimentos, não possuímos um vínculo empregatício, carteira assinada ou ao menos um contrato, ainda temos que aguentar essa situação! Vergonhoso MESMO! Mas ainda penso que isso seja uma manobra política da oposição para não acreditarmos nas mudanças propostas pelo nosso governo! Não pensem que isso vai colar comigo! Estou revoltada sim, mas tenho conhecimento da situação alarmante pela qual o nosso contexto político e o nosso senado veem passando! Fazem de tudo, mas comigo não cola!

  12. Nathalia Delgado Reply

    Se foi preciso o atraso, faltaram informações para os interessados, ao menos um comunicado ou esclarecimento para haver organização de nossa parte. Exigem que tenhamos dedicação exclusiva, ou que passamos a morar na cidade em que está o curso de pós, então, espera-se um mínimo de responsabilidade para que não sejamos prejudicados frente às próprias exigências feitas pela Capes na hora de conceder a bolsa. Agora ficamos com a bolsa atrasada, sem previsão de recebimento e vão se atrasando contas e outras pendências de moradia, alimentação, condução… Etc… Faltaram informações, fomos pegos de surpresa!

  13. É uma vergonha isso que está acontecendo com os bolsistas Brasileiros. Já não basta a bolsa ão ser reajustada com o salario mínimo brasileiro.. Vergonhoso…

  14. Rômulo Farias Reply

    Dizem que a educação é a prioridade das grandes nações. No Brasil, o estudante de pós graduação não pode trabalhar, não ganha 13° férias e não contribui com a previdência, sem contar que recebemos um “auxílio” financeiro apenas simbólico, a chamada bolsa. Como se não bastasse, essa bendita bolsa ainda atrasa. Sinceramente, é cada vez mais difícil fazer pesquisa e acreditar na educação nesse país.

  15. Resta saber se o atraso virá corrigido, assim como as multas por atraso nas contas de aluguel, luz, condomínio, consórcio, etc..
    Reajuste dos valores não ocorre a anos, no entanto tudo que se consome, sim. Os pesquisadores são obrigados a uma dedicação exclusiva. Não podem somar outros rendimentos ao valor recebido pelas bolsas. E elas não atendem às nossas necessidades sociais, cada vez mais inflacionadas. Um país de vergonhas anunciadas diariamente, em tudo que se vê. Sinto vergonha, por mim e por inúmeros professores, pesquisadores, desvalorizados em suas carreiras e habilidades. Desmotivados. Revoltados. Entristecidos. Perdem anos de vida sem direitos trabalhistas. E ainda tem que passar por situações vexaminosas como esta. Farta.

  16. Alexandra Carolina Gomes da Fonseca Reply

    Para quem falou que a educação seria prioridade, esse atraso e essa falta de respeito , só vem demonstrar o quanto nossa governante , não está nem aí para educação . Além , disso para aumento de salário de deputados , senadores …. Etc . Nunca falta verba !

  17. Vou encaminhar o pedido de desculpas dele pra quem cobra o aluguel e as demais contas, quem sabe ai não cobrem multas.

  18. Fico triste por saber que começo de ano e ter diversos alunos tentando seleção em programa de Doutorado em outros estados e sem bolsa, é missão impossível se manter em outro estado sem grana, quem tem os pais pra ajudar ainda vai, e quem não tem ou os pais é que são ajudados! Diversos alunos de mestrado e doutorado sem bolsa, sendo que essa é a única fonte de renda, pois o mesmo só recebe se não tiver outra renda!
    Eu nunca ouvi nada sobre acontecimento desse porte, nem meus professores ouviram sobre isso, muitos deles estudavam sem bolsa por que não tinha mesmo, aí davam aula! Mas bolsas atrasarem no Brasil todo?
    Que tipo de Pátria educadora é essa?

  19. Um pais que não se preocupa pelo desenvolvimento da ciência, NUNCA SERÁ UM PAIS SEM POBREZA, pois a miséria esta na conciência dos governantes. É uma vergonha patética q um pais tão maravilhoso esteja aos cuidados de dirigentes tão lamentavelmente descuidados. Deixo minha reclamação e minha profunda compaixão pelo futuro do pais.

  20. República das bananas! Quem realmente trabalha pra tirar esse país do poço com ciência e tecnologia é tratado assim! Revoltante! A política do mérito é uma utopia neste pais cheirando a comunismo!

  21. Essa vai pra todos que votaram na Dilma com medo de perderem a bolsa, agora aguentamos todos por mais 4 anos com isso.

  22. Faltou deixar claro uma questão no texto: o corte de 33% afetará o valor das bolsas?
    Dependemos da aprovação do Congresso para que possamos receber nossas bolsas?

  23. Jullyana Neves Aramaqui Reply

    Cadê minha bolsa??? Adiar o vencimento das minhas contas vocês não querem né.

  24. “assistência estudantil”, por que não diretos dos trabalhadores?

  25. Imobiliárias e contas do começo do ano não perdoam nenhum atraso. As bolsas exigem dedicação exclusiva e o pesquisador acadêmico tem que residir na cidade da universidade, onde são evidentes a especulação imobiliária – um ultraje e exploração generalizada! A considerar Campinas e São Paulo, onde tem duas grandes estaduais publicas, o pós-graduando gasta sua bolsa só se mantendo na universidade. Muito diferente de muitos assalariados de ensino superior encadeirado alguma empresa, beneficiando só alguns bolsos privados… A duras penas é que se tenta fazer acontecer a já vergonhosa pesquisa brasileira em prol do que é público (veja publicação recém lançada na Nature sobre o Brasil)… As universidades publicas só não acabaram neste país, só porque (ainda) formam os filhos da elite. Mas se expandir muitos as cotas…logo, logo serão como as escolas de ensino fundamental e básico públicos. O sucateamento já começou e o desrespeito é generalizado.

  26. Joelma Gomes da Silva Reply

    Mais uma vez nos deparamos com as verdadeiras prioridades do nosso governo! Lamentável mesmo.
    Enquanto não há prazos , nós fazemos o que?

  27. Mary ellen Reply

    Não é só os pós-graduandos que estão sofrendo com o atraso de bolsas não , falo por mim que recebo o, REUNI, que já esta atrasado a dois meses!

  28. Prezados,
    Por favor, o pagamento das bolsas PNPD/CAPES não está sendo feito!!! Precisamos deste depósito para comer e honrar nossos compromissos, por favor!! faça o pagamento!!!Assinamos o contrato de exclusividade e esse é nosso único sustento, e o não pagamento da bolsa tira nossa dignidade!!Assinamos o termo de concessão antes de qualquer medida do atual governo e não é justo não recebermos nosso pagamento e os novos ministros e funcionários receberem os seus…

  29. Vanessa Souza Reply

    O que podemos fazer? Também não recebi a minha bolsa!!

  30. Rafael F. dos Santos Reply

    Sou mais um estudante, pós graduando, mestrando e sem bolsa. Independente da justificativa do MEC, no final das contas o que importa é o valor sendo pago na data correta e depois sim, discussão sobre melhorias, assistência estudantil pois nessa hora tiraremos dinheiro de onde ?! Da caixa mágica do David Couperfield ?!

  31. Rafael F. dos Santos Reply

    Sou mais um estudante, pós graduando, mestrando e sem bolsa. Independente da justificativa do MEC, no final das contas o que importa é o valor sendo pago na data correta e depois sim, discussão sobre melhorias, assistência estudantil pois nessa hora tiraremos dinheiro de onde ?! Da caixa mágica do David Couperfield ?! BOLSA DE JANEIRO CADÊ ?

  32. Gilberto Rostirolla Batista de Souza Reply

    e ainda atrasam minha bolsa… Trabalho feito condenado, não tenho direito a férias, nem 13º, nem fundo de garantia, nem horas extras, nem nada e ainda quando me perguntam o que faço e respondo, logo dizem “ah só estuda, não faz mais nada”… mal sabem que meu contrato não permite que eu faça qualquer outro tipo de atividade remunerada.
    A grande verdade por trás de pagar bolsa de estudos para pós-graduandos, além de fins eleitoreiros, é que sai muito mais barato para o governo contratar todos esses pós-graduandos como “estudantes” do que como funcionários.

  33. Luís Carlos Reply

    Lamentável a forma como a CAPES e o MEC vêm procedendo. Os pedidos de desculpas são insuficientes e até desrespeitosas, na medida em que o problema não foi sanado.

  34. Infelizmente não foi cumprido o aumento prometido para o ano passado, e a bolsa está congelada a dois anos, pena que a inflação no país não acompanhou o crescimento da bolsa e castiga os alunos que vivem em grandes centros onde o nível de vida é muito caro. Ademais, atrasam o pagamento no primeiro mês do ano sem nos dar nenhuma satisfação e nem previsão exata de quando vamos receber nossa bolsa. Vergonhoso!

  35. “complicações com o fluxo orçamentário do Tesouro” quer dizer, atrasar os grandes pagamentos para não afetar negativamente o superavit primário. Nas palavras do próprio TCU: “postergar um montante materialmente relevante de saída de caixa de dezembro para janeiro pode ocasionar superavaliação do resultado primário do governo federal.”

  36. Marlon Almeida Reply

    Tratam nossas bolsas como um “brinde” ou algo que é para complementar… Quem depende da bolsa para pagar aluguel e sobreviver enquanto estuda faz o que??

  37. Redução de 30% nos investimentos em educação, atraso no pagamento da bolsa dos pesquisadores, portal que não funciona.. “Brasil, pátria educadora” está só no discurso, por enquanto. Vão levar a sério, ou não ?…

  38. No início do ano é sempre a mesma coisa. Se tentar ligar em algum número de contato disponível, alguém atendo com o mínimo de vontade e oferece uma resposta padrão, tipo SAC de operadora telefônica. Total descaso com os pós-graduandos.

  39. Eduardo Lima de Oliveira Reply

    Eu acho que eles pagaram as bolsas atrasadas as custas das que estavam em dia. Porque eu não recebi esse mês ainda.
    Espero que eu esteja errado mas acho que eles estão achando que somos bem tolos.
    Esse papo de fluxo financeiro não me convenceu, tem ou não dinheiro é a questão.

  40. Lamentável como esse governo trata os bolsistas estudantes e pesquisadores aqui no Brasil.
    O roubo na petrobrás nos mostra o caráter como o dinheiro publico é tratado nesse governo dessa presidente desprezível.Fora,MEC,Dilma…

  41. É vergonhoso essa ANPG (que não é isenta) não ter protestado ainda… ou será que a CAPES e o MEC irão pagar os juros pelo atraso da bolsa??? Que governo vergonhoso… acho que Dilma e os irmãos petralhas não estão com nenhum dia de atraso!! ANPG não nos representa pois se vende ao governo se tornando cada dia mais fraca!!

  42. O boleto de aluguel, luz, água, telefone e principalmente, mas não menos importante, meu estomago não esperam e algumas vezes não toleram atrasos…
    Aí de nós se atrasarmos o pagamentos dos impostos…
    VERGONHOSO!

  43. eduardo lima de oliveira Reply

    Eles pagaram as bolsas atrasadas de dezembro com o dinheiro das bolsas que estavam em dia. Estão tirando a gente de tolos.

  44. Arrecadam mais de um trilhão em impostos e falta dinheiro para tudo. É muita incompetência para um governo só! E é “presidente”, não “presidenta”! Presidente é um substantivo comum de dois gêneros!

  45. Walber Alexandre do Nascimento Reply

    A Presidente Dilma está começando a mostrar o que já está acontecendo… o País está quebrado, está sem dinheiro para realizar os investimentos que o País precisa, principalmente em educação, que deveria ser o ministério com maior investimento por nós contribuintes…simplesmente é uma vergonha está aqui nesse País com tanta corrupção e ver Nós pós-graduandos passando por situações como essa!!!

  46. Edmilson Barreto Reply

    Gostaria de comunicar que a CAPES também vem atrasando as bolsas do Mestrado Nacional Profissional de Ensino de Física das turmas que iniciaram em setembro de 2014. Sou aluno desse mestrado no Polo UFAL, estamos com quatro meses de atraso e não temos notícia alguma pela CAPES sobre previsão do pagamento das bolsas. Isso é um desrespeito com os bolsistas.

  47. Recentemente assisti um filme baseado no livro de José Saramago, “O Homem Duplicado”. O discurso do professor de história no filme sobre formas de controle de um governo ditatorial é instigador para analisar o país e questionar se estamos passando por uma forma de controle da população através da “ignorancientização”. DISCURSO: “Umas, como na Roma antiga, davam pão e circo para o povo. Outras exercem o controle através do baixo nível de educação, censura às informações e limitação de acesso à cultura. É importante que percebam que esse é um padrão que se repete ao longo da História.”
    É por isso que sempre fico paranoica sobre o controle do governo no país quando vejo esse tipo de notícia sobre impasses e atrasos no panorama nacional de educação, pesquisa, graduação, pós-graduação, cultura e outras atividades relacionadas à instrução do brasileiro.

  48. Gostaria que fosse reivindicado também o pagamento das taxas de custeio (bancada) que são oferecidas com as bolsas pós-doutorado PNPD-CAPES. Sou bolsista há 15 meses e minha universidade ainda não recebeu qualquer repasse. Segundo os técnicos da Capes e MEC, as desculpas são as mesmas: falta de dotação orçamentária. Informam ainda que não sabem quando será o repasse, nem se vai ser feito algum dia. Como podem oferecer bolsas que incluem taxas de custeio sem ter dotação orçamentária? Absurdo!

Escreva um Comentário