Celebramos mais um 8 de março. Precisamente o 156° após aquele que provocaria mudanças e entraria para a História. Dia em que 130 mulheres insatisfeitas com a precariedade das condições de trabalho, morreram por reivindicarem seus direitos na Cotton Textile Factory, na cidade de Nova Iorque. 

De lá pra cá muita coisa mudou.  Trabalhamos, estudamos.  Aumentamos nossa escolaridade e instrução e estamos nas Universidades,nos Centros de Pesquisa.  Conquistamos o direito à licença-maternidade no trabalho e na pós-graduação.  Somos presidentas de nações, ministras, deputadas, reitoras, Mas ainda enfrentamos o assédio moral. Ainda temos salários menores nas mesmas funções desempenhadas por homens. As tarefas domésticas e a criação dos filhos ainda é uma tarefa nossa. Não há creches suficientes. O debate da autonomia do nosso corpo ainda é mediado pelas religiões. Ainda lutamos muito para conquistar espaço no cenário científico do país.  Ainda somos apenas 25% nas bolsas de produtividade do CNPq. Ainda temos que lidar com esteriótipos e a mercantilização do corpo. Ainda nos miram no exemplo das mulheres de Atenas. Ainda há saudade da Amélia. 
 
Há muito que ser mudado. Diante dos desafios pela conquista de uma sociedade mais justa, igualitária, emancipada e livre não esmorecemos. Nas fábricas, nas escolas, nas Universidades, nos Centros de Pesquisas, nos levantamos contra as égides do machismo e do patriarcalismo ainda vigentes e enraizados em nossa sociedade inspiradas nas operárias de Nova Yorque, em Maria la Hebrea, Maria Curie, Hipácia e em tantas outras mulheres que se ergueram na luta por direitos e liberdade. 
 
Que na celebração deste 156° 8 de março, saudamos as pesquisadoras e pós-graduandas de todo o Brasil. Esperamos que o grito de liberdade daquelas 130 mulheres não se cale, se perpetue na luta cotidiana em defesa dos nossos direitos fundamentais. Uma luta pelo respeito, pelo fim da violência, contra o preconceito e a opressão. Uma luta pelo direito de ser Mulher. Viva o Dia Internacional da Mulher!
 
Diretoras da ANPG 
Author

Write A Comment