Nos últimos dias, a ANPG tem recebido diversas reclamações de pós-graduandos com relação à suspensão por tempo indeterminado de bolsas do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE), concedidas CAPES, que acontece desde o dia primeiro de abril.

O doutorando Saulo Abouchedid entrou em contato com a ANPG para expressar sua insatisfação com a situação. “Mandar um pedido de bolsa para o PDSE significa que já foi combinado e formalizado com o professor da universidade do exterior o período e a pesquisa a ser realizada. Alguns doutorandos inclusive já compraram passagem e estão em processo de mudança junto com suas famílias”.

A CAPES informou os estudantes, por meio de e-mail, que não há previsão orçamentária para o recebimento de inscrições. O Setor de Doutorado Sanduíche informa não possuir mais informações. Se houver autorização para a continuação das inscrições e trâmites internos, e caso não haja tempo hábil para a implementação da bolsa de acordo com o período informado pelo candidato, será necessária a alteração de período.

Muitos pós-graduandos receberam carta da agência e o auxílio transporte e saúde, porém não houve pagamento das mensalidades, o que os deixou impossibilitados de viajar e continuar suas pesquisas, tendo, inclusive, problemas monetários. A doutoranda Camila Pierobon disse, em e-mail à ANPG, que “é preciso ressaltar o prejuízo financeiro que as pessoas estão tendo e principalmente o acadêmico”, devido à paralisação.

Já a doutoranda Mariana, de Marília (SP), afirma que ficou decepcionada.  “Uma das metas da minha pesquisa é fazer uma coleta de dados no exterior. Sem a bolsa CAPES, me sobram restritas opções”, afirma.

No site da entidade não há nenhuma informação a respeito e, segundo Mariana, não houve um diálogo com os bolsistas sobre o que está acontecendo com o doutorado sanduíche. “A desinformação a respeito é o pior de tudo, pois nós pesquisadores nos dedicamos à pesquisa e temos muito pouco retorno”, completa.

A ANPG entrou em contato com a presidência da CAPES, através de ofício, solicitando esclarecimentos sobre a paralisação. Também foi solicitada divulgação de nota institucional nos espaços da agência em decorrência da situação. Até o fechamento dessa matéria, a Associação não obteve respostas.

Continuaremos acompanhando e pressionando a agência em busca de respostas e uma solução para a situação.

Da Redação

8 Comments

  1. Vivianne de Castro Reply

    Aconteceu exatamente o mesmo comigo. Sou estudante de doutorado e estava tudo certo para eu e minha família irmos a Atlanta em julho. O local para onde eu ía já havia me exigido o seguro saúde e várias documentações traduzidas oficialmente. Gastei até o momento aproximadamente R$ 15.000,00. E agora CAPES???

  2. Marielze de Oliveira landgraf Reply

    Está acontecendo com minha filha, após tudo ok no doutorado fora, meses de trabalho, foi informada da impossibilidade da bolsa. Apenas, “sem recursos”

  3. Barbara Oliveira dos Santos Reply

    Estou indignada com a situação.
    Eu iria eeste ano fazer meu doutorado sanduiche.
    Agora mediante este quadro tenho que reavaliar a situação.

  4. O importante é que o turismo sem fronteiras, digo, ciências sem fronteiras continua funcionando.. Mesmo com reportagens afirmando que alguns estudantes não receberam bolsas, as fotos no facebook são sempre viajando, esquiando, em festas. Não vi nenhuma foto estudando.
    E para pesquisar, que exige toda uma burocracia, não podemos.

  5. Esse governo é um governo de merda mesmo….. Pátria Educadora: que piada…..

  6. Luiz Arthur Silva de Faria Reply

    Na mesma situação… A espera de uma reabertura. Sentado.

Write A Comment