ANPG, UNE e UBES mobilizaram delegação de mais de 500 estudantes para o congresso, que acontecerá a partir de amanhã em Montevidéu, Uruguai.

Durante os dias 10 a 15 de agosto, a cidade de Montevidéu, no Uruguai, se prepara para receber o 16º Congresso Latino-Americano e Caribenho de Estudantes (CLAE), o mais importante espaço de discussão para definir os rumos da educação no continente. Na ocasião, questões como a regulamentação do ensino privado, o fortalecimento da educação pública e a mobilidade acadêmica serão os principais temas discutidos.

Entre as mesas de debates destacam-se:

La necesaria organización de los estudiantes egresados y de posgrados que tem entre seus debatedores a ANPG (Brasil), Federico Kreimerman (FEUU), Lucas Aguilera (Consejero Superior UNRC, Arg) e ANIP (Chile);La reforma universitaria de Córdoba y su vigencia en el pensamiento latinoamericano e La unidad y lucha de los sectores de la educación: la perspectiva gremial de docentes y no docentes.

No congresso também acontecerá uma importante marcha relembrando os estudantes mártires das ditaduras na América Latina, quando quatro brasileiros serão homenageados: os estudantes João Carlos Haas Sobrinho, desaparecido em 1972; Honestino Monteiro Guimarães, desaparecido em 1973; Edson Luis de Lima Souto, morto em 1968 e Helenira Rezende de Souza Nazareth, também assassinada em 1968.

Além de compor a programação oficial do 16º CLAE, através da ANPG, vários pós-graduandos também compõem a delegação brasileira e participarão dos 5 dias de trocas de saberes e experiências com estudantes do continente.

Para o diretor de Políticas Educacionais da ANPG, Júlio Neto, o CLAE é um espaço importante para que as iniciativas de intercâmbio e fortalecimento do movimento latinoamericano em defesa da educação sejam construídos e fortalecidos, pontuou.

 

Da Redação.

Author

Write A Comment