Presidente da APG-UNB, Richard Santos durante ato pró-democracia
Presidente da APG-UNB, Richard Santos durante ato pró-democracia

Na tarde de onte, (10), a APG-UnB participou de ato pró-democracia convocado pelo Sindicato dos Docentes da Universidade de Brasília.

Com ampla participação de funcionários e alunos(as) graduandos(as) e pós-graduandos(as), a ação teve por objetivo levar para dentro da universidade o debate sobre a crise política brasileira, seus fomentadores e possíveis consequências.

Representantes de associações educacionais, coordenadores de departamentos e estudantes pontuaram em suas falas o caráter midiático da crise, o interesse em desestabilizar, e retroceder nas conquistas populares e democráticas dos governos Lula e Dilma pela burguesia internacionalista associada aos interesses hegemônicos. Apontaram ainda a equivalência de momentos e ações semelhantes aos que antecederam o golpe civil-militar de 1964.

Vice-presidenta da UNE no Distrito Federal, a estudante Luiza Calvette, convocou os universitários a estarem atentos para o desenrolar do processo político nos próximos dias, e fez chamada para a mobilização pró-democracia do dia 31 de março na Capital Federal. Concluiu sua fala indicando os avanços e inclusões sociais promovidas pelos governos Lula- Dilma como motivadores da revolta e maquinação burguesa.

Presidente da Associação dos Pós-graduandos da Universidade de Brasília, APG-UNB, Richard Santos apontou o caráter regional da crise política e denunciou o conluio de grupos de mídia, mercado e políticos conservadores latino-americanos na construção do retrocesso político e social dos países da região, e negação dos direitos adquiridos pelas maiorias minorizadas nos últimos anos.

O ato também contou com a participação de Rogério Reis, Secretário geral da APG-UNB e foi finalizado com os docentes e discentes da Universidade de Brasília se comprometendo a apoiar presencialmente as manifestações de 31 de março.

No dia 31 de março, movimentos de esquerda programam ato de defesa de Dilma e Lula em Brasília. A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo são as organizadoras da manifestação, que deve contar com apoio do MST, da Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Nacional de Estudantes (UNE) e da Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG).

Da redação

Matéria relacionada:

26/02/2016 – ANPG convoca para Dia Nacional de Mobilização

Write A Comment