Vergueiro, 2485, CEP: 04.101-200 – Vila Mariana – São Paulo – (11) 5082-3691 – www.anpg.org.br
São Paulo, 10 de maio de 2021.

 

 

A Associação Nacional de Pós-Graduandos vem por meio desta declarar apoio à Greve Geral dos Residentes em Saúde em todo o território nacional devido aos constantes atrasos das bolsas e falta de condições para o exercício do trabalho.
Em plena pandemia da covid-19, a qual tem demonstrado a importância dos mais de 55.000 residentes de saúde, o governo Bolsonaro, a partir do Ministério da Saúde, continua a não executar uma política nacional de valorização das residências. Centenas de residentes ainda se encontram com as bolsas-salários em atrasos, assim como as bonificações do programa Conta Comigo, colocando muitos em situação de vulnerabilidade social. Com agravante, desses trabalhadores da saúde ainda estarem sofrendo com constantes faltas de equipamento de proteção individual (EPIs), em muitos lugares ainda não foram colocados como prioridades para vacinação.
Não obstante, esses profissionais, assim como os demais pós-graduandos no Brasil, estão à mercê os residentes da ausência de direitos trabalhistas, e têm sofrido com os processos de endividamento, assédio, adoecimento psíquico e, em alguns casos, o próprio abandono do Programa de Residência pela impossibilidade de garantir o custeio mensal básico, incluindo-se comprometidas os recursos para deslocamento aos campos de prática a trabalho.
E essa situação, que poderia ser debatida, discutida para construção de uma saída, encontra-se potencializada pela inação da Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde, a qual teve suas atividades suspensas pelo governo brasileiro. Essa comissão poderia jogar papel importante para discussão da valorização das residências e suas contribuições para manutenção do Sistema Único de Saúde.
Com esse cenário, fica nítido perceber a irresponsabilidade de Bolsonaro com a saúde e a vida das pessoas, escolhendo desassistir financeiramente e estruturalmente trabalhadores da linha de frente de combate ao vírus. Ou seja, tem-se a continuidade de um projeto político de desamparar a população brasileira, pois os residentes em saúde estão na linha de frente, na Atenção Básica, serviços especializados, Gestão e Hospitais, mostrando que são essenciais para a manutenção do cotidiano dos serviços de saúde.
Diante disso, a ANPG soma-se ao Fórum Nacional de Residentes em Saúde, e convoca ao movimento nacional de pós-graduandos e sociedade a apoiarem esse movimento de valorização das residências e de proteção da vida do povo brasileiro. Não podemos permitir que os princípios constitucionais e da reforma sanitária brasileira sejam perdidos. Precisamos ter um compromisso com a saúde do nosso povo, somando força para uma ampla defesa dos trabalhadores do SUS!

Direção Executiva da Associação Nacional de Pós-Graduandos

Write A Comment