Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) foi criado pelo decreto estadual 26.914, de 15 de março de 1987. É integrado pelos reitores das três universidades estaduais paulistas (Unesp, USP e Unicamp) e pelos titulares das Secretarias de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e da Educação.

Vice-reitor Julio Cezar Durigan é professor da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV)/Unesp Jaboticabal. É mestre em Produção Vegetal pela Unesp (1978) e doutor em Solos e Nutrição de Plantas pela ESALQ-USP(1983).O professor titular do Departamento de Fitossanidade da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV) foi bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq até 2004, além de coordenador da Área de Ciências Agrárias da Fapesp por seis anos, de 1989 a 1994. Foto: Renata Massafera

O vice-reitor no exercício da Reitoria da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Julio Cezar Durigan, assumiu o cargo de presidente do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp). A cerimônia de transmissão da presidência foi realizada na própria sede do conselho, na capital paulista, no dia 4 de abril.

Temos que focar esforços na divulgação dos resultados das pesquisas das três universidades estaduais paulistas para aumentar o impacto social de nosso trabalho. A interação das instituições com as empresas e os parques tecnológicos do Estado de São Paulo é uma das formas de aumentar essa visibilidade, gerando inovação”, disse Durigan.

O reitor da Unicamp, Fernando Ferreira Costa, passou a presidência do Cruesp na presença do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, Guilherme Afif Domingos.

O conselho é um fórum muito importante, por congregar as três melhores universidades do país, responsáveis por cerca de 50% da produção científica nacional e por quase metade dos mestres e doutores formados no Brasil”, disse Costa.

Para o vice-governador, a política de desenvolvimento estadual deve ser debatida e proposta em conjunto com a comunidade universitária. Afif destacou a necessidade de descentralizar a geração de riquezas, hoje concentrada em 89 municípios paulistas que respondem por 83% do Produto Interno Bruto de São Paulo.

Unesp, USP e Unicamp acumulam autonomia, conhecimento e amadurecimento suficientes para auxiliar o governo na tarefa de expandir o crescimento econômico para as cidades das fronteiras do Estado”, ressaltou.

 

Financiamento

As universidades estaduais paulistas conquistaram, em 1989, a autonomia financeira. Elas administram uma parcela do Imposto sobre Consumo de Mercadorias e Serviços (ICMS) no valor de 9,57% do total arrecadado pelo estado.

Ao longo desses 22 anos, o número de alunos matriculados na graduação cresceu 85%, na média das três instituições, com destaque para a Unicamp, que multiplicou mais de cinco vezes as suas vagas nos cursos noturnos.

Na pós-graduação, as matrículas aumentaram em média 86% nos mestrados e 229% nos doutorados. A Unesp teve um desempenho ainda mais expressivo: 728% mais doutores em formação. Esses dados mostram um crescimento acadêmico superior ao de recursos, que ficou em 37% no mesmo período.

Entre os objetivos do conselho está o fortalecimento da interação entre as universidades. Também cabe ao órgão assessorar o governador em assuntos prioritários de ensino superior e pesquisa. A presidência é rotativa entre os reitores das instituições, com duração de um ano para cada gestão.

 

Fonte: Agência FAPESP

Author

Write A Comment