A Baixada Fluminense terá um parque tecnológico voltado para o desenvolvimento de produtos e serviços que melhorem as condições de vida da população. O anúncio foi feito na última quarta-feira (9/12) pela Secretaria estadual de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

 
O parque é resultado de uma parceria entre PUC-Rio, coordenadora do projeto, prefeitura de Belford Roxo, que cedeu o terreno para instalação do parque, e a fundação espanhola La Salle, que pretende criar outros polos parecidos em mais nove países da América Latina, nos moldes de um que já existe em Madri.
 
Segundo Alejandro Pérez-Ochoa, conselheiro delegado da Fundação La Salle, os demais parques tecnológicos estão mais centrados no desenvolvimento de tecnologia, enquanto este reúne universidade, governo e empresas em busca de soluções para o desenvolvimento regional. "Temos um parque em Madri. Agora o que se pretende é criar um modelo para a América Latina", afirmou.

A transferência de tecnologia e conhecimento ocorrerá nas áreas de Saúde, Educação, Habitação, Telecomunicações, Energia e Desenho Universal, especialidade voltada para o desenvolvimento de produtos que possam ser usados por pessoas portadoras de algum tipo de limitação. A realização do pré-projeto custará R$ 500 mil, que será dividido entre o governo do estado e o Instituto Madrilenho de Desenvolvimento (Imade).

Já o complexo está orçado em R$ 20 milhões – compartilhados entre governo estadual e Banco Interamericano de Desenvolvimento -, e contará com um Centro de Desenvolvimento em Pesquisa, uma Incubadora de Empresas e um Condomínio Empresarial para empresas de médio porte. O projeto, porém, também prevê a participação das grandes, que se instalarão em uma área cedida pela prefeitura de Belford Roxo.

(Com informações do "Convergência Digital", 9/12)

Author

Write A Comment