A pós-graduação é dividida em dois grandes grupos. Neste artigo você vai entender a diferença entre pós graduação lato sensu e stricto sensu. As diferenças englobam variáveis como carga horária, competências a serem desenvolvidas ao longo do curso e objetivo profissional do discente. Preparado para alavancar sua carreira? Então vamos lá!

Lato sensu

São cursos focados no ganho de prática e no estudo de técnicas que ajudarão o profissional no dia a dia de trabalho. Portanto, são indicados para quem busca desenvolver suas experiências e conhecimentos e enriquecer o currículo.

Também são cursos que promovem a atualização do aluno no mercado de trabalho, tornando-o assim, mais atraente para as empresas que estão contratando.

Por concentrar alunos que já estão trabalhando inseridos em diferentes cargos do ambiente corporativo, cursos de lato sensu possuem uma carga horária mais flexível e que não sobrecarrega o profissional.

  • MBA

Sigla para “Master of Business Administration” é indicado para os profissionais que já estão há algum tempo no mercado e que estão objetivando a promoção a altos cargos. Aliando network a aquisição de know-how sobre gestão de pessoas, projetos e negócios, o aluno se desenvolve ao ponto de poder atuar em cargos vitais dentro de uma empresa. O aluno formando com MBA também se torna capacitado a ser o responsável por tomadas de decisão dentro do trabalho.

  • Especialização

É um curso onde o aluno aprimora seus conhecimentos dentro de uma área específica do seu campo de atuação. Ele possibilita que o profissional alcance domínios ante as mais distintas abordagens, interpretações e resoluções de problemas, além de buscar soluções práticas relacionadas ao conteúdo estudado.

Stricto Sensu

Quem busca esses cursos busca ingressar na carreira acadêmica e desenvolver conhecimentos e produções científicas. São cursos que tem como objetivo aprofundar os conhecimentos teóricos de forma que o aluno consiga desenvolver ideias originais e assim, ter o status de pesquisador.

Todas as opções de cursos stricto sensu ajudam o aluno a se desenvolver em diferentes abordagens metodológicas e científicas. Ele aprende assim,  a traçar linhas de investigação para o objeto de estudo que possui.

No stricto sensu, as discussões e análise de conceito, as teorias e os conhecimentos plurais de diferentes perspectivas e momentos históricos, servem de base para os estudos do aluno.

 

  • Mestrado Acadêmico

 

O mestrado mais conhecido é o mestrado acadêmico. Indicado para profissionais que queiram se tornar professores e lecionar, tanto em escola quanto em faculdade. Isso porque ao longo do programa do curso, o aluno se dedica a um assunto de seu interesse e aprende sobre práticas educativas.

Ele também desenvolve competências necessárias para transmitir um conhecimento de grande complexidade intelectual em classe.

 

  • Mestrado Profissional

 

Apesar de manter, em sua maioria, a mesma estrutura de tempo; metodologia de pesquisa e avaliação, o mestrado profissional difere do tradicional em sua abrangência e aplicação.

Sua abordagem vai além do aspecto acadêmico e inclui estudos, técnicas e conceitos que podem ser inseridas no mercado de trabalho. Assim, ao concluir o mestrado acadêmico, o profissional pode tanto se dedicar à docência quanto se capacitar profissionalmente para atuar em empresas públicas ou privadas.

A CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) emitiu um artigo esclarecedor sobre o mestrado profissional, do qual destacamos o seguintes trecho:

“Antes de mais nada, o mestrado profissional (MP) é um título terminal, que se distingue do acadêmico porque este último prepara um pesquisador, que deverá continuar sua carreira com o doutorado, enquanto no MP o que se pretende é imergir um pós-graduando na pesquisa, fazer que ele a conheça bem, mas não necessariamente que ele depois continue a pesquisar. O que importa é que ele (1) conheça por experiência própria o que é pesquisar, (2) saiba onde localizar, no futuro, a pesquisa que interesse a sua profissão, (3) aprenda como incluir a pesquisa existente e a futura no seu trabalho profissional. Nada disso é trivial. O terceiro ponto é, por sinal, razoavelmente difícil. Por isso, o MP não pode ser entendido como um mestrado facilitado.”

Assim, o formado em mestrado profissional tem a autonomia necessária para continuar sua pesquisa caso queira mas não tem tanto esse compromisso. Seus esforços são direcionados ao conhecimento prático de sua área e seus estudos miram na aplicação do saber.

  • Doutorado

O doutorado exige que o pesquisador já tenha um certo amadurecimento de ideias e métodos de pesquisa. Isso porque, o curso exige a defesa de uma tese de doutorado e não apenas uma dissertação de mestrado. A defesa de tese é feita para uma banca altamente refinada de profissionais docentes da instituição de ensino. É um momento importante para a carreira acadêmica e que normalmente deixa o pesquisador em uma posição difícil, porém necessária, de julgamento.

A tese envolve intimidade com o mundo acadêmico e um avanço considerável no desenvolvimento, produção, adequação e experimentação da pesquisa que será expandida durante essa pós-graduação. Por esse motivo, é comum os alunos fazerem mestrado para só então caminharem ao doutorado. Isso permite ao profissional crescer academicamente, assim como, suas ideias de pesquisa.

No entanto, essa não é uma exigência pois não existe ordem para se fazer pós graduação, sendo esse inclusive, um conhecimento equivocado entre os alunos. Mas é relevante que, ao seguir essa sequência, o aluno pesquisador se sente mais     seguro em elaborar seus conhecimentos e mais pronto para ofertar à comunidade acadêmica e social a sua tese e suas aplicações.

Qual o próximo passo?

Agora você já deve ter uma noção melhor da diferença entre pós graduação lato sensu e stricto sensu. Deve já saber mais ou menos qual caminho seguir a partir de agora. Mas atenção, por mais ansioso que você esteja para se aperfeiçoar profissionalmente e estudar, é preciso calma e planejamento.

Nos cursos de mestrado, mestrado profissional e doutorado é perfeitamente possível emendar um após o outro depois de terminada a graduação. Dessa forma sua formação está sendo feita de forma ascendente, da graduação até o doutorado.. Assim, não é preciso uma vivência prévia em docência e pesquisa, já que é justamente isso que você aprenderá a fazer.

Porém, para os cursos de MBA e especialização, é aconselhado que você tenha uma vivência no mercado de trabalho antes. Isso porque a cada aula serão levados cases para serem debatidos entre os alunos e professores. Se você ainda não teve essas vivências no cotidiano de trabalho será difícil compartilhar da mesma visão lógica e do mesmo raciocínio crítico de quem passar pelos casos de mercado no dia a dia. É necessário que você desenvolva um entendimento de noções e termos ligados ao meio empresarial para estar apto a discutir os problemas e buscar soluções.

Esperamos que este artigo tenha esclarecido suas dúvidas sobre pós-graduação lato sensu e stricto sensu!

Escreva um Comentário