A Associação Nacional de Pós-graduandos, entidade representativa de todos os pós-graduandos no Brasil, fundada em 1986, vem a público expressar sua preocupação e seu posicionamento em relação à conjuntura eleitoral desenhada no segundo turno das eleições presidenciais neste ano de 2014.

Partimos da compreensão de que o futuro do país está em jogo e que há dois projetos distintos claramente apresentados: o primeiro é representado pela candidata à reeleição, presidenta Dilma Rousseff, enquanto o segundo é representado por Aécio Neves, senador mineiro. Diante dessa conjuntura, acreditamos ser necessário tomar lado e disputar os rumos do desenvolvimento de nosso país. Afinal, o resultado do segundo turno não é indiferente à vida de nenhum de nós.

À vista de tal polarização, que não se resume a partidos e sim a projetos e modos de governo, posicionamo-nos em apoio à candidatura de Dilma Rousseff, pois compreendemos que o Brasil tem avançado e se transformado nos últimos 12 anos. As desigualdades sociais e econômicas têm se reduzido e houve uma forte expansão do acesso à educação em nosso país, sobretudo com o expressivo crescimento das vagas no ensino técnico e nas universidades, tanto na graduação como na pós-graduação. Amostra da consequência destas políticas é esta ser a primeira eleição brasileira em que o número de eleitores com ensino superior é maior do que o número de eleitores analfabetos e com o Brasil fora do mapa mundial da fome. É importante destacar que há uma mudança no papel do Estado, agora assumindo uma posição de indutor do desenvolvimento.

Hoje somos mais de 200 mil estudantes de mestrado e doutorado (sendo 84% matriculados em instituições públicas de ensino), mais de 12 mil residentes em saúde e medicina e mais de 3 milhões de especializandos em todo o país.

Vimos, nos últimos 12 anos, a pós-graduação ter saltos quantitativos e qualitativos importantes. Houve um incremento de 187% no número de bolsas concedidas pelas CAPES. O CNPq aumentou em 166% o número de bolsas concedidas. Ocorreram cinco reajustes das bolsas de pesquisa, que, embora não tenha resultado em aumento real, contrapõem os oito anos de arrocho, sem aumento algum, no governo FHC. A bolsa para o mestrado saltou de R$ 724,52, em 2002, para R$ 1500,00, em 2014. A de doutorado passou de R$ 1072,89 para R$ 2200,00 no mesmo período. O Brasil alcançou o patamar de 2,7% da produção científica mundial. É pouco, mas há 12 anos era 1,65%. Ademais, houve aumento expressivo das vagas nas universidades públicas, com a criação de mais de uma centena de novos campi e a volta dos concursos públicos para professores.

Acreditamos que as políticas públicas são importantes, como o Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado recentemente pelo Congresso Nacional e sancionado pela Presidenta Dilma, o que impõe novos e antigos desafios para a pós-graduação brasileira. O primeiro deles é atender à demanda de mestres e doutores para lecionarem no ensino superior. Estima-se que 75% do corpo docente tenha uma dessas titulações até 2022. O PNE também tem como meta a formação de 60 mil mestres e 25 mil doutores por ano. Isso implica em triplicar os recursos destinados à pós-graduação brasileira e que 50% dos docentes da educação básica tenham pós-graduação. Embora não cite a modalidade, a experiência recente aponta para a formação strictu sensu (mestrado).

Consideramos que há ainda muito a avançar em nosso país e sabemos que a desigualdade socioeconômica construída há séculos, e reforçada ao longo de nossa história, não vai ser sanada em poucos anos. Temos claro o desejo de que não podemos retroceder. Nós temos memória e conhecemos nossa história! Sabemos que na década de 1990, em que vigoraram as políticas tucanas, o governo federal defendia e praticava o Estado mínimo na promoção do bem estar social. No governo FHC, além de não expandir, as universidades públicas foram submetidas a um processo de sucateamento e de não oferta de vagas para professores permanentes, mas apenas como temporários. O neoliberalismo era o paradigma do desenvolvimento, reflexos disso foram a depauperação da educação pública, as privatizações das estatais, o pouco investimento em áreas estratégicas (como na Educação e em Ciência, Tecnologia e Inovação), a penalização dos trabalhadores e o combate à inflação a partir de cortes de gastos, juros altos e desemprego. Nesse segundo turno, está em jogo a escolha do terreno em que escolheremos lutar pelos próximos quatro anos e o candidato Aécio representa um modelo contrário ao ensino superior público e de qualidade, bem como as forças que o defendem.

Sabemos que é necessário iniciar um novo ciclo de desenvolvimento para avançarmos muito mais nas mudanças pelas quais o Brasil precisa passar. Portanto, diante de projetos tão distintos que se apresentam nestas eleições, acreditamos que é necessário que os pós-graduandos, juntos com a ANPG e suas entidades de base, tomem lado em defesa da educação pública, por mais investimentos em Ciência e Tecnologia, melhores condições de pesquisa e mais direitos.

Por tudo isso, entendemos que quem melhor representa esses interesses é a candidata Dilma Rousseff, que assume o compromisso com a reforma política e com a implementação do Plano Nacional de Educação, com metas para a expansão da pós-graduação, destinando 10% do PIB para a educação, além da vinculação dos royalties do petróleo e da riqueza do Pré-Sal para a educação pública.

Em defesa da continuidade dessas políticas e em repúdio ao receituário neoliberal, já experimentado no passado, reafirmamos nosso compromisso EM DEFESA DA EDUCAÇÃO E DA CIÊNCIA NACIONAL, assegurando que o Brasil siga avançando nas mudanças que precisa, com a reeleição de Dilma Rousseff.

Reafirmamos, portanto, apoio à Dilma Rousseff e conclamamos todos os pós-graduandos brasileiros a irem às urnas defenderem o projeto mais avançado e que possibilita mais mudanças para nosso país. Acreditamos que a neutralidade não é uma opção neste momento, pois o poder não aceita vacância.

São Paulo, 15 de outubro de 2014.

Diretoria da ANPG

Author

86 Comments

  1. Vitor Cei (@VitorCei) Reply

    Eu voto em Dilma e repudio o Aécio. Mas penso que a Associação Nacional de Pós-Graduandos, enquanto instituição, não deve se posicionar publicamente em defesa de um ou outro candidato. Imagino que, com outra gestão, o apoio poderia ser ao candidato do PSDB. Os colegas se esquecem que a instituição deveria estar acima dos partidos.

  2. Tatiane dos Santos Duarte Reply

    Todo apoio a Dilma e nosso testemunho por estes 12 anos de melhorias nas universidades públcias…
    #mudamais
    #melhorcomDilma13

  3. Beatriz Ferreira Silva Reply

    Muito lúcida e certeira essa carta!
    Vamos com Dilma!

  4. Carla da Costa Siqueira Reply

    Sou Pós-doc do Dpto de Ecologia da UERJ e apoio a Dilma.

  5. Carla da Costa Siqueira Reply

    Sou pós-doc do Dpto Ecologia da UERJ e apoio a Dilma.

  6. Patrícia Marques de Farias Reply

    Quero deixar registrado meu apoio a reeleição da presidenta Dilma Rousseff e meu eterno agradecimento pelo grande salto das Universidades Federais durante todo o decorrer do governo do PT!

  7. Jose Ricardo Portela Reply

    Prezados colegas
    Os avanços da educação publica no governo do PT são inegáveis graças a expansão das universidade federais estamos hoje fazendo Pós graduação e pequisa.Vamos apoiar a Dilma,pois o outro candidato vai privatizar as universidades públicas e sucatear o ensino superior.

  8. irene zimmermann Reply

    Parabéns. Mais uma categoria manifestando apoio à candidatura da Dilma. Nunca fui brisolista, mas ele tinha uma frase de impacto que dizia: ‘se a globo é a favor, não presta’, E por isso o Aécio não deve prestar nem um ovo podre, pois a força a que a globo está fazendo para derrubar a Dilma é estrondosa.

  9. Maria de Fátima Garcia Reply

    Dilma 13! pelo empoderamento das mulheres do nosso Brasil.

  10. ACREDITAMOS NA GRANDE VITÓRIA DA REILEIÇÃO DA PRESIDENTA DILMA VAMOSLÁ BRASIL

  11. Angela Maria Beraldo Reply

    Adorei e acredito que esse apoio nesse momento é de muita importância.
    Hoje no jornal do SBT falando sobre as eleições… constataram que os que votam no Aécio são os de classe alta e esclarecidos ou seja os intelectuais e os que votam na Dilma são os de classe baixa e em outras palavras os analfabetos, desinformados…. Está imaginando quantos vão votar para o Aécio para se enquadrarem no grupo dos privilegiados?

  12. Eliane Oliveira Reply

    Aos amigos pós-doutorandos, doutorandos, mestrandos, graduandos, enfim, toda a comunidade acadêmica peço, encarecidamente, que leiam essa carta antes de decidirem seu voto para o segundo turno.
    “Afinal, o resultado do segundo turno não é indiferente à vida de nenhum de nós.”

  13. Pelo exposto, acham os diretores da anpg, ter o povo brasileiro que eternizar no poder o PT. Acham os diretores da referida associação, que somente esse partido político é capaz de construir o futuro do Brasil? Desculpem-me, mas não penso igual, respeito suas opiniões, porém, sua ótica não é referência para que os graduados, graduandos e pós-graduadosdecidam em quem votar. Aliás, sou um destes.

  14. Sou doutoranda e é lamentável ler um absurdo como este. Os acadêmicos não podem ser coniventes com a imoralidade do PT.

    • Eu sou PHD e ainda tenho 2 doutorados e é lamentável ler a sua asneira Vanessa. Dilma neles!

    • Imoralidade? Privataria, trensalão, mensalão mineiro,…. A imoralidade pode ser vista nos números que o texto apresenta. Os acadêmicos não podem ser coniventes com o tratamento miserável que o PSDB ofereceu e oferece à educação.

    • Marcelo Hüning Reply

      Futura Doutora, eu, como mero mortal, posso saber quais suas bases para expressar “imoralidade do PT”?

    • Concordo com a Vanessa. A ANPG deveria defender os pós-graduandos de maneira apartidária, pois nenhum dos candidatos é isento de críticas.
      Ao tomar partido, a ANPG exclui aos estudantes que pensam de maneira politicamente distinta, e se torna um instrumento pobre de defesa da nossa categoria.

    • Floresteiro Reply

      Nobre colega, também sou doutorando e apoio a reeleição da presidenta Dilma.
      Comparando as imoralidades, é muito pior a dos tucanos. Recomendo leitura: A PRIVATIZAÇÃO TUCANA, O PRÍNCIPE DA PRIVATIZAÇÃO, OPERAÇÃO BANQUEIRO e O BRASIL PRIVATIZADO.

    • Então teremos que ser coniventes com a imoralidade do PSDB Vanessa?

    • Sou especializando, Vanessa, mas gostaria que você,como doutoranda, se manifestasse sobre os planos de governo, sendo mais específica sobre o que quer dizer com “imoralidade”, uma palavra que soou vaga, dando a impressão de que o embate com o partido é algo pessoal, não político com interesse social.

  15. Ana Maria Campos Freitas Reply

    Importante adesão considerando-se a conjuntura brasileira

  16. Sou Médico (UFRGS-1972), especializado em Saúde Pública (USP -1973), PhD em Demografia Médica pela Universidade de Londres (LSHTM – 1990), com Pós Doutorado na Universidade de Cambridge (UK – 2002), Pesquisador Titular do Departamento de Indicadores Sociais e Estudos Populacionais do IBGE (de 1974 a 1998) e Professor Associado aposentado do IMS (UERJ – 1993 a 2012) e apoio a reeleição da Dilma por tudo que ela e Lula fizeram para a Educação, Saúde e Emprego dos brasileiros.

    • Parabéns pela coragem Mario !! Muitas alegrias para você !

    • Tomei a liberdade de copiar e colar o seu comentário no meu face… pois tenho alguns amigos “médicos” que deploram as politicas de saúde atuais…

  17. Concordo com o apoio e os argumentos apresentados. Com a consciência de que temos muito a melhorar (e cobrar da(o) futora(o) presidente), porém, não querendo retroceder, meu voto é Dilma!

  18. Renan Paliga Reply

    “A bolsa para o mestrado saltou de R$ 724,52, em 2002, para R$ 1500,00, em 2014. A de doutorado passou de R$ 1072,89 para R$ 2200,00 no mesmo período.”
    Se forem levar a sério a comparação, vejam que a bolsa de mestrado era de pouco mais de 3 salários mínimos e meio e passou para cerca de 2 salários mínimos. De doutorado de mais de 5 salários mínimos para aproximademente 3. No brasil tudo gira em torno do salário mínimo, a inflação se baseia nele. O que dava pra comprar naquela época com esse valor era mais do que dá para comprar hj com o valor atualizado…

  19. Sou doutorando da Universidade de São Paulo e apoio a reeleição da Dilma, pois toda minha formação foi adquirida em universidade federal e estadual. Durante todo o tempo fui bolsista. Quero esse incentivo para as demais gerações, concordo vamos lá PT!

  20. Angelica Coelho Reply

    Por um trabalho que, indiscutivelmente, mudou a
    vida de milhões de brasileiros para melhor, voto Dilma, apesar do PT.

  21. Antonio Bonfim Reply

    Excelente posicionamento da ANPG, não podemos nos mostrar neutros quando dois projetos tão distintos se mostram em disputa nas eleições! Não podemos aceitar retroceder, nossa luta é por mais avanços e o projeto que a Presidente Dilma representa é sim o mais preparado e o que mais se aproxima daquilo que buscamos para a nossa sociedade!

  22. Bruce Guimarães Reply

    Sou doutorando em Matemática e o governo Dilma foi o pior governo pós redemocratização. Ela conseguiu cumprir muito pouco do prometido em 2010, além do país está atolado em corrupção. Lamentável a ANPG lançar uma nota dessas!!!

  23. Não sou formada,mas no passado quem realmente se formava era porque tinha capacidade não é como agora que vão para uma faculdade sem saber nem a tabuada. Lamentável nossos jovens não conseguirem ver o que está acontecendo com nosso Brasil.

  24. Pingback: Entidades do movimento estudantil se reúnem com a Presidenta Dilma no Dia do Professor | ANPG

  25. Opção de voto a parte, deprimente é encontrar essas organizações que não fazem absolutamente nada pela educação, que não representa o acadêmico em nada, cuja maior parte dos pós-graduando sabe que existe e a esmagadora parcela jamais terá qualquer relação com isso, vindo expressar opção de voto em nome daqueles que realmente estão em uma universidade estudando e produzindo. São satélites políticos desse ou daquele partido, apenas, um desserviço para a luta por uma educação melhor, e mais ainda, um desserviço enquanto representação acadêmica. Estou no no meu segundo ano de pós-graduação, terminando, conheço a organização, mas essa é a primeira vez, em éṕoca de eleição, para defender partido, que qualquer comunicação disso chega a mim. Vocês representam seus partidos, não representam pesquisadores.

  26. Um posicionamento ridículo. Cada um escolhe quem quiser. Antes de falar em aumentos e medidas populistas, analisem o cenário macroeconômico do país em ambos os governos. Se não houvesse todas as medidas estruturantes da década de 90, esse país não seria nada.

  27. Sou estudante de universidade pública graças ao REUNI. Dilma meu voto é seu e continue expandindo a educação pelo nosso Brasil.

  28. Rejane de Paula Alves Reply

    Sou funcionária pública e nutricionista de formação, pós-graduada em Desenvolvimento Humano e organizacional, mãe, filha esposa e dona de casa. Voto em DILMA 13, não por mim, mas por milhares de pessoas que agora tem acesso a educação, moradia e poder de compra antes inexistentes. E porque sou mulher.

  29. Apoio Dilma pela continuidade de seu trabalho e por que não vejo no projeto de opositor as mesmas perspectivas de crescimento para o país.

  30. Sou Doutora em Ciências Sociais, graduada e mestre em História, professora do departamento de história da UFRN e aqui, todos que tem memória crítica e responsabilidade com o futuro das IFES sem dúvida nenhuma vota Dilma 13…

  31. Dalton Bertoldi Reply

    Fizeram uma pesquisa pra saber se a maioria dos pós-graduandos é favorável a esta carta? Nenhum dos mais de 30 colegas de pós-graduação que conversei foram consultados sobre suas posições políticas a favor da Dilma ou do Aécio. Não estou tomando posição a favor de candidato algum e sim questionando o método com o qual a associação nacional de pós-graduandos faz as suas escolhas.

    • Maria Aparecida Conti Reply

      Talvez vc e seus trinta colegas de pós-graduação não sejam associados, Dalton Bertoldi…

    • Diógines Antunes Júnior Reply

      Em vez de tu reconhecer as boas coisas que a presidenta e seu antecessor fizeram pela educação, tu critica o método que foi desenvolvido a tal carta. E com certeza tu está tomando posição sim a favor do Aécio. Pois reconheço que diversas área atualmente estão precária mas o texto se refere a Educação e essa em esfera Federal dificilmente você terá algo a questionar…

  32. Paulo César Reply

    Sou professor universitário, coordenador e orientador de pós-graduação. Passei a graduação no período FHC e sou testemunha viva das diferenças na conduta da educação. Hoje o progresso da educação no ensino superior é visível e surpreendente. Graduando e pós-Graduando de hoje é um luxo comparando com as condições do passado. O apoio à reeleição de Dilma é a melhor opção para continuarmos no caminho do avanço inclusivo, quantitativo e de qualidade na educação.

  33. Paulo Lima Reply

    Estou plenamente de acordo com esse manifesto e extremamente indignado com o nível de discussão daqueles contrários que nos chamam de ignorantes por apoiar Dilma. Em minha memória está tudo muito vivo, mesmo tendo concluído mestrado e doutorado há mais de vinte anos. Conheço bem meus compromissos sociais. Pratico com alegria aquilo que sempre preguei.

  34. João José Stüpp Reply

    Sou professor aposentado e vivi as duas experiências de governo bem de perto. Com FHC faltava tudo. Lula e Dilma mostraram que é possível um Brasil diferente, em que todos os brasileiros são sujeitos das políticas públicas e têm oportunidades de acesso e inclusão. Honraram o lema: “BRASIL, UM PAÍS DE TODOS” e “PAÍS RICO É UM PAÍS SEM MISÉRIA”. Por isso o Brasil é mais Brasil com Dilma e os brasileiros!

  35. Yago Queiroz Reply

    Sou Biólogo e Mestrando em Bioquímica e faço questão de declarar em público que tal carta escrita por uma “entidade representativa de todos os pós-graduandos no Brasil” pode representar tudo e todos, menos a mim.
    Como se é possível reunir tanta presunção e arrogância em uma só missiva? Nada mais típico de uma mentalidade estreita e prepotente – endêmica nos rincões de marxismo ideológico que, infelizmente, continuam ainda por ocupar, improdutivamente, os espaços acadêmicos no País.

  36. Sou mestrando em Administração Pública e apoio Dilma Rousseff, assinando embaixo de tudo que está posto aí.

  37. Vergonhoso.. Fale por você ao fazer um pronunciamento desse tipo. Sou mestre e doutorando em economia, nem eu nem a grande maioria dos demais mestrandos / doutorandos que estudam comigo apoiam a reeleição. Respeito sua opinião, mas por favor tenha a dignidade de nao deixar a falsa impressão de que compartilho dela

  38. Aliás, todas as pesquisas ja divulgadas apontam que dentre a população com maior nível de escolaridade o Aecio está liderando.

  39. Beatriz Rangel Reply

    Sou Mestranda em Universidade Pública e voto em DILMA, tb não fui consultada, porém nada do que diz na carta é mentira e, é só raciocinar pra ver que o texto tem coerência e somente fatos, e sobre fatos não temos o que questionar!!!
    voto Dilma!!
    Parabéns a Assoc. Nacional de Pós Graduandos

  40. Rosangela Maria Pontili Reply

    Sou pós-graduanda em nível de doutorado e docente de ensino superior no Paraná. Também testemunhei a política do estado mínimo implementada pelo governo de FHC durante o meu mestrado e apoio a reeleição de Dilma e a continuidade de um projeto que investe na qualidade das instituições públicas e na melhoria da educação brasileira. Com DILMA13 Muda Mais Brasil.

  41. Luzmara Curcino Ferreira Reply

    Sou doutora em Linguística e professora e pesquisadora da Universidade Federal de São Carlos. Fui aluna de graduação em Letras na Universidade Federal de Uberlândia (1994-2000) durante a gestão FHC e sei exatamente o tipo de política para a educação que o PSDB tem na cartilha. Vivenciei uma universidade sucateada, salas lotadas, infraestrutura precária para a pesquisa, com 50% de meus professores contratados temporariamente, uma vez que não se abria concurso público. Além disso, o único plano de ampliação de vagas no ensino superior do governo PSDB foi o de ampliação de vagas nas LICENCIATURAS, sem nenhuma contratação de professores ou ampliação de espaço físico. Assim, o Sr. FHC, mentor do Sr. Aécio, que quer dar um choque de gestão, considera que a formação de professores só precisa de cuspe e giz, e que as aulas podem ser dadas a 80, 100 pessoas (sim! quando entrei na Graduação em Letras na Universidade Federal de Uberlândia, curso noturno, entravam 120 alunos, quando a infraestrutura e o número de professores só conseguia atender 60). Tamanha era a insatisfação e o caos na Universidade que vivenciamos greves todos os anos, de 3 a 4 meses, e por essa razão todos os alunos de minha turma, levaram 1 ano a mais para se formar. Felizmente esse tempo sombrio e de atraso na Universidade Pública passou, e ao longo dos governos Lula e Dilma a Universidade Pública foi respeitada, ampliada e diversificada em número de cursos e principalmente em relação ao público. Pela primeira vez na história presenciamos uma mudança importante do público da Universidade, graças ao sistema de cotas para estudantes de escolas públicas. Antes todos pagavam impostos mas a maioria de alunos que entrava na universidade tinham origem privilegiada economicamente. Eram os únicos que desfrutavam desse direito de todos. Esse cenário mudou e precisa mudar mais. Por isso meu apoio e voto à candidatura de Dilma.

  42. Denise Rissato Reply

    Sou professora Universitária e Doutoranda em Políticas Públicas e Formação Humana e sou totalmente favorável a esta carta de apoio à reeleição da Presidenta Dilma. Voto em Dilma, pois apesar dos enganos cometidos, os avanços são inquestionáveis e precisam continuar…

  43. Cristiane' Reply

    Quem é a Associação? Porque acho que ela não me representa.

  44. Sou doutorando e considero importantíssima esta adesão e o posicionamento claro de todos os segmentos sociais e profissionais a favor da reeleição de Dilma. Tem ficado claro na condução desta campanha, conduzida com tamanha falta de ética pelo PSDB com claro apoio de grupos midiáticos. Os fatos são mais do que claros e os projetos de governo apresentados confirmam que a melhor opção para o Brasil neste momento é seguir com Dilma.

  45. A situacao da USP hoje mostra o contrario do que esta escrito nessa carta. Como doutoranda discordo plenamente do que esta escrito e acredito que deviamos nos manifestar contrariamente a este documento altamente suspeito.

  46. Sou mestrando em Linguística pela UFPB e não sou conivente com a imoralidade do PSDB, até porque não esqueço a história tão facilmente.

  47. Rejane de Paula Alves Reply

    Obrigada! Não é mais necessário moderar meu comentário. Favor retirá-lo desta página.

  48. Entidade representativa de TODOS os pós-graduandos no Brasil??? Deixo claro que não sou contra, nem a favor de qualquer candidato. Mas acredito que temos que respeitar o voto de cada um. É incoerente ver uma classe tão esclarecida escrever uma carta como esta dizendo que representa TODOS os pós-graduandos do Brasil. No mínimo isto é um grande equívoco, ou todos os pós-graduandos do Brasil manifestaram a sua posição?

  49. Jaime Hillesheim Reply

    Apesar de inúmeras críticas ao PT, não posso ser conivente com o falso moralismo tucano. Precisamos, sim, corrigir muitas coisas e avançar. Retroceder, jamais!!!! Para os que acham um absurdo esta posição, convido a fazer uma análise retrospectiva das condições das universidades no país na era FHC.

  50. antonio carlos Reply

    Com todo respeito, e o “mensalão, a Papuda…” como é q fiaca?

  51. antonio carlos Reply

    Com todo respeito , e o mensalão e a Papuda . Nada disso
    conta.

  52. Escolhi apoiar a Campanha da Candidata Dilma,porque conheço as sujeiradas do Candidato AécioPorto!Uma das razões seria ele estar embriagado,xingar a Candidata Dilma e a Luciana de “Leviana”…Agredir sua esposa,desrespeitando a Lei “Maria da Penha”…Não dá exemplo nenhum para a sociedade,essa é a verdade!
    É um homem muito machista,por isso prefiro que seja eleita a Candidata Petista!;D

  53. Pingback: ANPG COM DILMA: POR MAIS INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA | UNE - União Nacional dos Estudantes

  54. Apesar de que a grande maioria da comunidade Universitária apoie a reeleição de Dilma, não é cabível que a APG se manifeste para qualquer lado, visto que a escolha (voto) é individual e não institucional.

  55. Silvani Morgenstern Di Domenico Reply

    É preciso coragem e retornar um pouco no passado, além disso analisar os avanços sociais do nosso país na última década e perceber as diferenças, acima de tudo na educação! Isso basta para votar 13 DILMA!

  56. José Gonçalves Medeiros Reply

    Vanessa,parece que vc não compreendeu o texto. Aponte, p.ex. qual ou quais são os absurdos presentes no texto. O texto descreve os projetos políticos de ambas as candidaturas, além de apontar as melhorias ocorridas no ensino público, em especial, na pós graduação.E mais, vc está no doutorado porque as condições de acesso e de financiamento melhoraram muitíssimo no governo popular do PT.

  57. Pingback: Dilma ganha nas urnas | ANPG

  58. Pingback: UBES, UNE e ANPG querem que novo governo garanta metas do PNE | Ubes | 66 anos

Escreva um Comentário