12717316_1063613710367378_6426697799376500459_n

A epidemia de dengue, chikungunya e também do zyka vírus – doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti – vem preocupando a população brasileira. Segundo dados do Ministério da Saúde, até novembro de 2015 foram identificados 1,5 milhão de infectados pelo vírus da dengue, enquanto o zyka já estava presente em 18 estados.

A erradicação do mosquito transmissor é atualmente um dos maiores desafios da saúde pública no país e você, pós-graduando(a), também pode fazer a sua parte. Se liga nas dicas e mãos à obra:

LIXO NO LIXO
Sabe aquele copinho de água que você bebe entre uma aula e outra? Ele pode acumular água parada e se tornar um criadouro do Aedes Aegypti. Jogar o lixo em seu devido lugar é fundamental para acabar com o mosquito. O mesmo vale para as garrafas e latinhas de refrigerante.

ADEUS ÁGUA PARADA
Muitas universidades têm áreas repletas de árvores e plantas. Estar atento durante o caminho pelo campus pode ser uma maneira eficaz de encontrar e eliminar possíveis focos e criadouros do mosquito. Lembre-se: colocar areia até a borda nos pratos dos vasos de planta também é uma excelente forma de colaborar.

COMPARTILHE INFORMAÇÃO
A conversa nos locais comuns da universidade é uma ótima maneira de compartilhar seus conhecimentos sobre o combate ao Aedes Aegypti. Quanto mais pessoas nessa luta, mais fácil vencer o desafio! Mas, atenção: não vale espalhar boato! Acesse: http://www.blog.saude.gov.br/ ou http://portalsaude.saude.gov.br/ e tire todas suas dúvidas.

EMPRESTE O REPELENTE!
Repelentes fabricados à base de DEET são eficazes para espantar o mosquito. Vale compartilhar com os amigos e alertá-los sobre a importância do uso em áreas de risco.

APG ENGAJADA
Participar de uma APG é uma boa maneira de contatar a reitoria e articular ações eficazes contra o mosquito. Questione a direção da sua universidade sobre a limpeza de caixas d’água, calhas e até mesmo piscinas.

Da redação com informações da UNE

Author

Write A Comment