Crédito: União Nacional dos Estudantes

A sede das entidades estudantis recebeu na segunda-feira (18), o recém-eleito presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Marcos Furtado, para tratar de temas relativos à reforma política no país. Presentes na reunião estavam Luana Bonone, presidenta da ANPG, Daniel Iliescu, presidente da UNE, Renan Alencar, diretor jurídico da UNE e Lucas Chequetti, representando a UBES. 

A aliança entre estudantes e a OAB constitui-se no sentido de interferir nos rumos da política e, através da pressão da sociedade civil, lutar pela reforma do sistema eleitoral e pelas mudanças no sistema de financiamento das campanhas políticas no país. As entidades foram convidadas, de imediato, a integrar o MCCE (Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral) e a construir de forma mais aprofundada, durante o ano uma nova proposta para o formato e as regras das eleições no país.
 
De acordo com Luana Bonone, uma campanha unificada demonstra a necessidade de alguns avanços democráticos importante no Brasil. “Esta campanha cumpre o fundamental papel de apresentar qual reforma política pode de fato democratizar o processo de eleições e promover um ambiente de mais envolvimento e participação do povo no debate político nacional." Afirmou. 
 
“O gesto de visitar a UNE, logo no início da sua gestão, mostra vocação democrática e importante sintonia da OAB com as lutas do movimento social atualmente”, afirmou o presidente da UNE Daniel Iliescu, logo após o encontro. As duas entidades estiveram unidas em momentos cruciais da história brasileira, como a luta contra a ditadura militar, nos anos 60 e 70, e as campanhas pela redemocratização nos anos 80.
 
“A UNE deverá estar ao lado da OAB na criação participativa de um projeto de lei, de iniciativa popular, que vá em direção ao financiamento democrático das campanhas, corrigindo as distorções no atual sistema de doações eleitorais, que privilegiam somente o poder econômico, permitem vícios e interesses escusos”, afirmou o presidente da UNE. Segundo ele, o processo deverá ter o amplo envolvimento da sociedade, como aconteceu na criação da Lei da Ficha Limpa.
 
Por último, a OAB prometeu juntar-se ao movimento estudantil e os outros movimentos de juventude que planejam a Jornada de Lutas unificada nos meses de março e abril, por todo o Brasil. As ações estão sendo planejadas desde o mês de novembro por entidades como a UNE, UBES, ANPG, MST, CUT, Marcha Mundial das Mulheres, Fora do Eixo, movimentos negros, skatistas, ciclistas, surfistas e outros grupos. A Ordem deverá participar por meio das OABs jovens espalhadas pelo Brasil.
 
Da Redação, com informações da UNE 
Author

Write A Comment