Foto: Haydée Vieira - CCS/Capes
Foto: Haydée Vieira – CCS/Capes

Presidenta da ANPG acompanhou a mesa de abertura e de encerramento realizadas ontem (20)

O Seminário Síntese de Acompanhamento de Meio Termo Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG) teve mais um encontro realizado nesta terça-feira (20), no edifício-sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, em Brasília. A mesa de abertura, realizada pela manhã, contou com a presença do presidente e do diretor de Avaliação da CAPES, Carlos Nobre e Arlindo Philippi Jr., respectivamente.

O encontro buscou sintetizar os resultados dos trabalhos dos seminários de acompanhamento que aconteceram durante um mês no edifício-sede da Capes e reuniram coordenadores de pós-graduação de todo o Brasil. Dos dias 3 de agosto a 4 de setembro, foram realizados 48 seminários com a finalidade obter uma “fotografia” de cada área de avaliação, com base no período 2013-2014, além de orientar os programas de pós-graduação para o biênio 2015-2016, completando, dessa forma, o período de avaliação de quatro anos.

Carlos Nobre destacou a relevância do processo para as políticas públicas da educação superior no país. “Há uma importância estratégica nessa fotografia de meio termo. Por meio dela poderemos estabelecer políticas de melhoria continuada da pós-graduação.” Para o presidente da Capes a pós-graduação deve se focar na qualidade e em tornar a pesquisa mais significativa para a melhoria do país. “Essa fotografia permite aprender com as boas práticas, entender as particularidades dos melhores programas e assim criar mecanismos para que toda a pós possa seguir esse caminho”.

Ainda no encontro, que ocorreu durante a reunião do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC/ES), cada coordenador foi responsável por produzir um relatório que representa a situação atual de sua área de avaliação nos anos de 2013 e 2014 e apresentar proposições e encaminhamentos para os próximos dois anos.

O diretor de Avaliação da Capes, Arlindo Philippi Jr enfatizou a importância do diálogo para a consolidação do processo avaliativo. “Os resultados apresentados aqui serão fruto de debate com importantes interlocutores presentes, como os representantes da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), a diretoria-executiva do Fórum de Pró-Reitores de Pós-Graduação e Pesquisa (Foprop) e a comissão de acompanhamento do Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) 2011-2020.”

Encerramento de seminário discute desafios da pós-graduação

Na mesa de encerramento do Seminário, realizado na tarde de ontem (20), foi exposto a consolidação de processos da pós-graduação nos últimos anos e foi colocado os desafios da educação superior para os próximos anos no país.

Foto: Haydée Vieira - CCS/Capes
Foto: Haydée Vieira – CCS/Capes

Para o coordenador da área de Ciências Biológicas I, Augusto Schrank, o atual momento de informatização dos dados da pós-graduação permitira um avanço significativo na avaliação. “Do ponto de vista prático, nunca estivemos tão próximos de ter um sistema de informação tão confiável. A primeira vez que atuei como consultor na Capes em 2001, era preciso acessar o artigo e fazer uma verificação manual de quem era aluno, quem era professor. Avançamos muito nesse período. Com a Plataforma Sucupira estamos pela primeira vez próximos de fazer o que deveria acontecer há muito tempo, chegar no primeiro dia da Avaliação com todas as informações necessárias para avaliar um programa de pós-graduação. Assim teremos muito mais qualidade e capacidade de transformar esses números em avaliação qualitativa. É impossível acompanhar todas as defesas de teses e dissertações, por isso temos que utilizar indicadores, agora temos a plataforma, vamos investir nisso”, conclui.

Segundo o presidente do Foprop, Isac Almeida de Medeiros, participar do processo dos seminários de acompanhamento engradecerá a discussão e os encaminhamentos do Fórum. “Nós, gestores da pós-graduação brasileira, ficamos felizes em participar desse processo. A posição do Foprop sempre foi favorável a participação do evento, quando discutimos conjuntamente a mudança na periodicidade da avaliação. Entre os temas que consideramos mais relevantes, está a interação com a Educação Básica: que parâmetros de fato podem ser utilizados para essa medição. Esse é um dos grandes temas a serem debatidos ano que vem no fórum”, enfatizou.

Já o coordenador da área de História, Carlos Fico, aproveitou o encerramento para destacar os êxitos dos encontros. “Os seminários aconteceram apesar de muitos problemas, obstáculos e restrições. Tínhamos perspectivas ruins sobre a participação de coordenadores e também do tratamento dos dados pela Plataforma Sucupira. Tivemos na verdade uma adesão tremenda e um excelente trabalho com os indicadores. Por isso devemos nos congratular.”

O coordenador da área de Física, Sylvio Canuto, reforçou as nuances de se pensar e avaliar qualidade na produção da pós-graduação. “Todos nós temos preocupação de qualidade e isso não é apenas medido por fator de impacto. Há exemplos de estudos que são esquecidos por quinze anos antes de receber um Nobel. Qualidade não se mede por numero de citações”, definiu.

Para encerrar, o diretor de Avaliação da Capes, Arlindo Philippi Jr, realizou agradecimentos e levantou questões pontuais sobre o desenvolvimento da pós. “Se queremos de fato internacionalizar a pós-graduação do país, devemos também nos atentar a questões simples. Por exemplo, precisamos verificar se os programas de excelência (nota 6 e 7) possuem sites em inglês e espanhol. Outro ponto é sobre o financiamento a determinadas áreas do conhecimento como política de Estado, como educação e saúde: podemos buscar apoio dos poderes estaduais e municipais para que os Sistema funcione melhor? Além dessas questões, deixo meus agradecimentos a todos os presentes e aos colegas coordenadores agradeço como cidadão brasileiro, por esse trabalho voluntário de pessoas comprometidas com a educação no país para a criação de uma ciência e tecnologia brasileiras”, concluiu.

Para a presidenta da ANPG, Tamara Naiz, que esteve presente no encontro de ontem, “esse panorama apresentado durante os Seminários é fundamental para que possamos identificar as potencialidades e os desafios do próximo biênio, à luz, inclusive, das metas do PNPG e do PNE, de modo a contribuir com a expansão e melhoria da pós-graduação brasileira”.

Da redação com informações da CAPES

Author

Write A Comment