logo
Vinte e cinco líderes de pesquisa e instituições de saúde pública da América Latina, América do Norte, África, Ásia e Europa se encontram no Recife, PE, para o lançamento do ZikaPlan – Rede de Enfrentamento ao Zika na América Latina (Preparedness Latin American Network). Essa iniciativa global foi criada a partir da chamada do fundo do investimento em pesquisas Horizon 2020 da Direção Global de Pesquisa e Inovação da Comissão Europeia. O ZikaPlan responde aos desafios postos pelo surto de Zika para as pesquisas e a saúde pública. A iniciativa tem uma abordagem abrangente para combater a ameaça do vírus Zika, a partir de:
– preenchimento das lacunas do conhecimento e das necessidades no atual surto de Zika para melhor entender a doença, prevenir sua disseminação e educar as populações afetadas;
– construção de uma capacidade de resposta sustentável na América Latina e outras doenças infecciosas emergentes.
O impacto do surto de Zika pegou de surpresa os cientistas e autoridades em saúde pública e atingiu fortemente as populações mais vulneráveis. A gravidade do surto e mutação do vírus têm gerado inúmeras questões de pesquisa. Para tomar medidas efetivas, as autoridades em saúde precisam conhecer a magnitude da doença e seu imoacto na saúde pública, quais intervenções irão funcionar melhor para prevenir e interromper sua disseminação e como melhor orientar e tratar os infectados. Esse surto de Zika, sem precedentes, tem também  a necessidade de contruir ou reforçar capacidades locais. Em algumas regiões atingidas pelo vírus não existe a necessária infraestrutura de pesquisa para entender a ameaça e subsidiar a rápida tomada de decisões.
Para preencher essas lacunas, as instituições de pesquisa no consórcio ZikaPlan irão investigar a associação do vírus Zika com a síndrome congênita e complicações neurológicas,  e a patogênese dos casos graves, através de uma série de estudos clínicos. Essas instituições irão explorar a transmissão vetorial e não vetorial e fatores de risco para a dispersão geográfica, medir a carga da doença e investigar como o vírus tem evoluído, comparando antigas e atuais cepas. Além disso, o ZikaPlan irá explorar um conjunto de medidas preventivas pessoais, inovação em diagnostico, modelagem de controle do vetor e estratégias  de vacina para subsidiar decisões politicas. As ciências sociais também irão desempenhar um importante papel no ZikaPlan para determinar as melhores estratégias de comunicação para manter informada as comunidades afetadas.
ZikaPlan irá trabalhar em conjunto com outro dois consórcios também financiados pela União Europeia, ZIKAction e ZIKAlliance, para estabelecer uma rede na América Latina e Caribe. Essa rede dará suporte para o fortalecimento da capacidade local da América Latina para preparar e rapidamente lançar uma resposta de pesquisa em larga escala para as ameaças das doenças infeciosas emergentes. ZikaPlan irá contribuir para desenvolver um plano de pesquisa inter-epidêmica, redes de pesquisas, recomendações de politicas, treinamentos, estratégias de disseminação desenhadas para fortalecer permanentemente as capacidades locais, para além de quatro anos de vigência do projeto. Os três consórcios irão criar órgãos comuns para o gerenciamento global dos programas científicos, comunicação e questões éticas, regulatórios e legais.
ZikaPlan está recebendo 11.5 milhões de euro concedidos pelo programa de pesquisa e Inovação Horizon 2020 da União Europeia, sob a convenção de subvenção de número 734584.
Sobre o Consórcio ZikaPlan
ZikaPlan e coordenado por uma direção executiva composta pela Professora Annelies Wilder- mith, diretora, representante da Universidade de Umeci; Professor Eduardo Massad, diretor substituto. representante da Universidade de São Paulo e mais 15 lideranças de grupos de trabalho de instituições parceiras. Conselhos consultivos independentes éticos, científicos e industrias dão apoio a essa direção executiva.
O consórcio constrói expertise e promove parcerias em diferentes áreas de pesquisas relacionadas ao Zika e outras doenças infecciosas emergentes. Os seus membros são oriundos de cinco continentes, sendo 13 da Europa, oito da América Latina, dois dos Estados Unidos, um da África e um da Ásia
 
Membros do consórcio ZikaPLAN
 

  • Ume& University. Sweden
  • London School of Hygiene and Tropical Medicine, UK
  • University of Glasgow, UK
  • The Chancellor. Masters and Scholars of the University of Oxford. UK
  • Queen Mary University of London. UK
  • University of Ulster. UK
  • Katholieke Umversiteit Leuven. Belgium
  • Erasmus Universitair Medisch Centrum Rotterdam, The Netherlands
  • Institut Pasteur. France
  • Fundacion Umversidad del Norte, Colombia
  • Universidad del Valle, Colombia
  • Fondation Merieux, France
  • The University of Liverpool, UK
  • La Jolla Institute for Allergy and Immunology. USA
  • The University of North Carolina at Chapel Hill, USA
  • Antwerp Institute of Tropical Medicine. Belgium
  • Universidade de São Paulo. Brazil
  • Instituto Butantan, Brazil
  •  Associção Tecnica-Cientifica Estudo Collaborativo Lat.no Americano de Malformacoes Congenitas. Brazil
  • Fundação Oswaldo Fiocruz. Brazil
  • Instituto Medicina Tropical Pedro Kouri, Cuba
  • Institut Pasteur de Dakar, Senegal
  • Schweizerisches Tropen- und Public Health-lnstitut. Switzerland
  • International Vaccine Institute. Republic of Korea
  • Universidade de Pernambuco, Brazil

 
O site do ZikaPlan esta disponível no Portal The Global Health Network
 

Write A Comment