Pesquisadores das três Américas e da Europa estarão reunidos em Belém (PA), a partir de hoje (22), para apresentar e discutir estudos sobre Antropologia, Arqueologia e História na América do Sul, durante a VII Conferência da Sociedade para a Antropologia das Terras Baixas da América do Sul (Salsa). O evento, que vai até domingo (26), é promovido pelo Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCT) juntamente com a Salsa.

O fato de Belém estar na Amazônia, região que concentra questões da maior relevância para os estudiosos das ciências humanas, foi definitivo na escolha da primeira cidade da América do Sul para sediar a VII Salsa. Além disso, a parceria com o Museu Goeldi é de significativa importância, já que a instituição é referência de pesquisa da região Norte, voltada para o estudo da natureza, da cultura e da sociedade da Bacia Amazônica, aí incluídas as pesquisas antropológicas.

 

Na próxima quinta-feira (23), às 20 horas, no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas, participantes da Conferência vão discutir as ”Dimensões antropológicas da luta contra as barragens do Xingu”. A sessão terá a participação de Megaron Txukarramae, da etnia Kayapó e diretor da Administração Executiva Regional da Funai em Colíder-MT; de Josinei Nascimento Gonçalves Arara, liderança Arara, da aldeia Terra Wongã, localizada na  Volta Grande do Xingu, região  afetada pela construção Hidrelétrica de Belo Monte. Participam também da mesa redonda, Elza Xipaia, presidente da Associação dos Índios Moradores de Altamira e de um membro da ONG, Tarcísio Feitosa, ganhador do Goldman Prize, considerado o Nobel do meio ambiente.

A VII Conferência conta ainda com a participação de lideranças indígenas como a do pajé e presidente da Associação Yanomami Hutukara, Davi Kopenawa Yanomami, que comporá mesa redonda sobre “Conhecimento Indígena e Antropológico: possibilidades de diálogo”, que acontece na sexta-feira (24), às 20 horas, no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas. Da mesa, participa também Andre Fernando Baniwa, liderança indígena e vice-prefeito de São Gabriel da Cachoeira (AM).Na ocasião, os integrantes da mesa abordarão diversos aspectos sobre Belo Monte desde a questão sobre a água do rio Xingu até as políticas econômicas previstas para a região.

 

Conferência

A VII Conferência da Salsa acontece no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas e no Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, do Museu Goeldi, localizado na Av. Magalhães Barata. O período será de troca de conhecimento e contará com mais de 150 trabalhos com apresentação em sessões temáticas, além de painéis e mesas redondas, que discutirão várias vertentes da antropologia, arqueologia e da história  com ênfase para a cultura indígena.

Hoje (22), às 19 horas, será aberta a exposição “Amazônidas: 145 anos de pesquisas do Museu Goeldi sobre as sociedades amazônicas”. A mostra celebra as contribuições da instituição para o conhecimento das sociedades amazônicas, destacando a trajetória de alguns pesquisadores, a formação do acervo e os principais projetos desenvolvidos atualmente.

A Sociedade para a Antropologia das Terras Baixas da América do Sul é uma sociedade internacional, que reúne especialistas da América Latina, América do Norte, Europa, com o objetivo de promover e divulgar pesquisas antropológicas, arqueológicas e históricas sobre diversos povos, culturas e sociedades, em suas relações mútuas e com seus ambientes, situados nas terras baixas da América do Sul, especialmente na Amazônia.  Desde 2001 tem como objetivo fornecer uma associação profissional independente para os antropólogos especializados em terras baixas da América do Sul, visando fomentar a pesquisa sobre povos e ambientes de várzea da América do Sul. As conferências da Salsa são realizadas no intervalo de seis anos.

(Via MTC)
 

Author

Write A Comment