Augusto Raupp se reúne com pesquisadores do Rio. Foto: Lécio Ramos
Augusto Raupp se reúne com pesquisadores do Rio. Foto: Lécio Ramos

Pesquisadores e representantes de APGs do Rio de Janeiro se reuniram com o presidente da FAPERJ, Augusto Raupp, na última sexta-feira (19), para debater a questão do atraso das 5 mil bolsas de pós-graduação e a possibilidade de corte em 50% do orçamento da Fundação.
Na ocasião, Raupp afirmou não haver previsão para o pagamento das bolsas. “Estamos cobrando do governador, mas a Secretaria Estadual de Fazenda ainda não nos deu nenhum prazo para o pagamento”, afirmou o presidente da Fundação.
Sobre a PEC 19/2016, que reduz em 50% o orçamento da FAPERJ, Raupp demonstrou mais otimismo: “acredito que os deputados na ALERJ não aprovarão a proposta do governo estadual” disse.

A ANPG tem acompanhado o caso, e publicou na última sexta-feira (19) nota contra a PEC 19/2016, que corta pela metade o repasse para a FAPERJ.
Para os representantes dos pesquisadores presentes à reunião, somente com pressão essa situação será revertida. “Na próxima quinta-feira [25], iremos até a ALERJ para conversar com os deputados e pedir que eles recusem a PEC 19”, advertiu Theófilo Rodrigues, diretor da Associação de Pós-Graduandos da PUC-Rio.

Hoje pela manhã (23), os pós-graduandos e representantes das entidades presentes na reunião divulgaram a seguinte nota:
#OCUPAFaperj – Pezão, Pague o que nos deve!

O recente anúncio de que o governador Luiz Fernando Pezão pretende cortar 50% do orçamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) pegou de surpresa os pesquisadores do Estado do Rio de Janeiro. O cenário de crise é ainda pior se levarmos em conta o enorme atraso no pagamento das 5.000 bolsas do mês de janeiro.
Hoje, 19/02, bolsistas da FAPERJ, representantes das Associações de Pós-Graduandos (APGs) e da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) estiveram reunidos com o presidente da FAPERJ Augusto Raupp, com o diretor científico Jerson Lima Silva e com a Diretora de Finanças Ana Paula T. Fernandes da Rocha para tratar do assunto e cobrar o pagamento em dia das bolsas. Contudo, as notícias não foram animadoras: de acordo com a FAPERJ NÃO HÁ PREVISÃO PARA O PAGAMENTO DAS BOLSAS. A expectativa é que na próxima segunda-feira, 22/2, seja divulgada a data para o pagamento.
A Faperj não tem disponibilizado informações com antecedência sobre atrasos e previsões de pagamento.
Seguindo uma agenda de ajustes orçamentários para enfrentar a crise econômica no Estado, foi apresentada à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, pelo Poder Executivo, a PEC 19/2016, que propõe um corte de 50% no orçamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro. A FAPERJ é responsável pelo fomento à Ciência e à formação científica e tecnológica necessárias ao desenvolvimento sócio cultural do Estado do Rio de Janeiro, através do pagamento de bolsas e auxílios para pesquisas. Esse corte representa um retrocesso histórico do papel da Fundação e uma grave ameaça às pesquisas desenvolvidas no Rio de Janeiro, como a recente formação da maior rede brasileira de pesquisa em zika, chicungunha e dengue, constituída por 379 grupos, reunindo mais de mil pesquisadores fluminenses.
Coloca-se em questão as prioridades do atual governo estadual. A situação de calamidade é visível, atingindo os setores da educação, saúde e transporte. Contudo, o governo garantiu a isenção de impostos às concessionárias de transporte e assumiu dívida de 39 milhões de reais da Supervia com a Light. Quem é que paga por essa crise? Crise pra quem?
No próximo dia 25/02 estudantes e pesquisadores de todo o estado do Rio de Janeiro ocuparão as galerias da ALERJ para impedir a aprovação da PEC 19/2016 que reduz o orçamento da FAPERJ em 50% e cobrar o pagamento imediato das bolsas atrasadas. Somente com mobilização e pressão conseguiremos a vitória.

Não aos cortes na FAPERJ!

Rio de Janeiro, 19 de fevereiro de 2016.

Da redação

Author

Write A Comment