Dos primeiros tempos de sua criação, em junho de 1980, até 2010, a Fundação de Amparo à pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj) veio mudando seu perfil. Fruto da fusão da Fundação Centro de Recursos Humanos da Educação e Cultura (CDRH) e da Fundação Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social do Rio de Janeiro, no início, a instituição teve sua vocação para a pesquisa dificultada pela vinculação com a Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral do governo do Estado.

Na primeira gestão do governador Leonel Brizola (1982 a 1986), seu trabalho esteve focado na implantação do Programa Especial de Educação e gerenciamento dos Centros Integrados de Educação Pública (Cieps) e apenas na gestão seguinte, do governador Moreira Franco, uma mudança de estatuto e de objetivos, possibilitou centrar seu objetivo no apoio à pesquisa, tal como vem desempenhando, desde então.

 

 

“Hoje, a Faperj é uma fundação de grande relevância no cenário do governo estadual e mesmo nacional. Fechamos o triênio 2007/2009 com a execução de um orçamento recorde de R$ 785 milhões, com perspectiva de se atingir a marca de R$ 1,1 bilhão no quadriênio 2007-2010", comentou o diretor-presidente da fundação, Ruy Garcia Marques.

 

 

 

Theatro Municipal reformado recebe comunidade científica

Várias atividades ocorridas durante a semana abriram as comemorações, como o
Seminário para Acompanhamento dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs) sediados no Estado do Rio de Janeiro  e a reunião do Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti), do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap) e do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Municipais de CT&I.

Mas a grande atração terá lugar na quinta-feira, dia 24 de junho, a partir de 19h30, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, templo da alta cultura carioca, que abrirá as suas portas para receber a comunidade científica e tecnológica do RJ e celebrar os avanços e conquistas da pesquisa fluminense, com a presença do governador Sérgio Cabral. Durante o evento, serão entregues os termos de outorga de oito editais lançados pela Fundação, além de medalhas comemorativas a bolsistas e pesquisadores de todas as grandes áreas do conhecimento, de diversas modalidades, desde o ensino médio ao doutorado, e a empreendedores que receberam o apoio para o desenvolvimento de seus projetos de pesquisa e inovação durante o exercício de 2009, conforme deliberação do seu Conselho Superior.
 
Na ocasião, será lançado o livro Rio Científico – Inovação e memória, organizado sob a coordenação do pesquisador Ítalo Moriconi, Coordenador Executivo da editora EdUerj, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a partir de demanda da Faperj. O livro conta, em uma linguagem simples, a história dos acontecimentos científicos do Estado, levando em conta iniciativas relevantes em diversas áreas do conhecimento.

O diretor presidente da Faperj, Ruy Garcia Marques, celebra a data: “É uma grande honra para mim ocupar a presidência da Fundação neste momento”. E prosseguiu: “A FAPERJ está completando 30 anos de existência, no mesmo ano em que ocorre o centenário de nascimento de seu patrono, o eminente pesquisador Carlos Chagas Filho (1910-2000),e vem desempenhando um papel de grande relevância no estímulo às atividades científicas e tecnológicas, em todo o Estado, a partir de um planejamento orientado por uma política pública desenvolvimentista. Sem dúvidas, temos que agradecer aos diversos dirigentes da Fundação que, no passado, imbuídos do mais alto espírito realizador, contribuíram para o momento que hoje presenciamos”.

 

Da redação, com informações da Assessoria de Comunicação da Faperj.

 

 

Author

Write A Comment