O maior e mais esperado edital da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) acaba de ter seu resultado divulgado. Mais uma vez, os números são recordes. Este ano, foram 1799 propostas recebidas, 722 aprovadas e mais de R$ 23 milhões em recursos.
Além dos números, a versão 2010 do edital apresentou uma novidade. Uma parceria com o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) aumentou as chances dos pesquisadores da instituição de conseguirem o financiamento de suas pesquisas. Por meio da parceria, o CEFET-MG responsabilizou-se por financiar, em até R$ 1 milhão, as propostas de seus pesquisadores que tenham somado mais de 70 pontos na classificação da FAPEMIG, mas tenham ficado excedentes entre as propostas aprovadas no edital.

Dessa forma, todos os 19 projetos de pesquisa do CEFET que foram considerados aptos a receber apoio, ou seja, não foram desclassificados, receberão financiamento. Os dez melhores colocados, que somam R$ 295,5 mil, receberão recursos da FAPEMIG, de acordo com o limite de recursos do edital. Os outros nove, que somam R$ 228,5 mil, serão financiados e contratados diretamente pelo CEFET.

A ideia de parceria foi levada à FAPEMIG pelo próprio Centro de Educação. Segundo o Diretor Geral do CEFET-MG, Flávio Antônio dos Santos, a iniciativa tem o intuito de fomentar e induzir maior participação dos docentes da instituição no envio de propostas ao Edital Universal. “É um esforço que tem como objetivo não só ampliar as atividades de pesquisa, mas também apoiar a nossa pós-graduação”, diz.

Segundo Santos, a parceria só foi possível graças ao diálogo permanente que a FAPEMIG estabelece com as Instituições de Ensino Superior (IES) de Minas Gerais. “A FAPEMIG tem atendido todas as demandas das Instituições Públicas de Ensino Superior (Ipes) mineiras, a exemplo de diversas que já foram apresentadas. Esse diálogo permanente nos permite inovar em projetos como esse. Vamos avaliar os resultados dessa primeira experiência, mas acredito que ela, não só se repetirá com o CEFET, como agregará outras instituições”, afirma. O presidente da FAPEMIG, Mario Neto Borges, também acredita que a iniciativa pode estimular novas parcerias. “Foi uma experiência muito válida e uma boa proposta, já que garante maior número de pesquisas financiadas em Minas Gerais. A FAPEMIG tem a intenção de levar o assunto para discussão no Fórum das Ipes mineiras”, adianta.

O Edital

O Edital Universal é um dos mais esperados no meio científico do Estado, por oferecer apoio a projetos desenvolvidos em todas as áreas do conhecimento e reunir o maior volume de recursos. Ele dá ao pesquisador a liberdade de propor o tema e permite melhor estruturação de laboratórios de pesquisa, permitindo, inclusive, o custeio de material bibliográfico.

As propostas recebidas passam pela análise das Câmaras de Assessoramento da FAPEMIG, distribuídas entre todas as áreas do conhecimento, que as julgam, classificam e recomendam. São aproximadamente 90 doutores, especialistas nas modalidades dos projetos submetidos, que se dividem em oito câmaras: Agricultura; Medicina Veterinária e Zootecnia; Ciências Biológicas e Biotecnologia; Ciências da Saúde; Ciências Exatas e dos Materiais; Recursos Naturais, Ciências e Tecnologias Ambientais; Ciências Sociais, Humanas, Letras e Artes; e Arquitetura e Engenharias. As propostas são classificadas e as de maior nota contratadas dentro do limite de recursos disponíveis.

Para o Diretor Científico da FAPEMIG, José Policarpo G. de Abreu, de maneira especial, é importante destacar o trabalho das Câmaras de Assessoramento na versão 2010 do edital. “É preciso reconhecer o esforço das câmaras em concluir o julgamento do edital em tempo hábil, mesmo havendo um volume recorde de propostas recebidas”, diz.

Para conhecer a lista completa de propostas aprovadas no edital Universal 2010, as propostas a serem financiadas e contratadas pelo CEFET-MG e a lista de propostas não-recomendadas, clique aqui.  

 

Fonte: FAPEMIG

Author

Write A Comment