image_gallery

A Chamada Universal do MCTI/CNPq foi lançada no último dia 11 de janeiro com o objetivo de receber propostas em todas as áreas do conhecimento. O investimento em ciência e tecnologia é uma pauta bastante debatida e defendida pela ANPG nos mais diversos espaços, desde a realização do I Seminário de Internacionalização da Ciência Brasileira, realizado em fevereiro de 2015 no Rio de Janeiro até o Salão Nacional de Divulgação Científica, com o tema  Financiamento da ciência no Brasil, o qual ocorreu durante a 67ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, em São Carlos. 

Tamara-Saúde
Presidenta da ANPG fala de financiamento durante o Salão Nacional de Divulgação Científica, em São Carlos

A Chamada Universal é dividida em 3 faixas de financiamento, sendo a primeira de projetos com orçamento até 30.000 reais, a segunda para projetos até 60.000 reais e a terceira para projetos de até 120.000 reais em seu orçamento.
A chamada inova por dois motivos. O primeiro deles é que ela é feita para projetos em todas as áreas do conhecimento, inclusive as ciências humanas e sociais, sendo também essa uma demanda e luta da ANPG e dos pesquisadores brasileiros nos últimos anos. O segundo motivo é que a chamada reserva a cota obrigatória de 30% dos recursos para projetos que venham de pesquisadores do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
A diversificação e expansão da pesquisa brasileira para lugares ainda não integrados no Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia precisa se dar através de políticas que reservem garantias para que os recursos cheguem, de fato, a essas áreas. Nesse sentido a chamada universal recém-lançada tem um papel importante.
Os pesquisadores têm até o próximo dia 29 de fevereiro para enviar os projetos através da Plataforma Carlos Chagas.
Da redação 

Write A Comment