Foi com muita tristeza, que recebemos a informação do falecimento de Cleyton Tomaz de Souza, o Alph como era conhecido pela comunidade acadêmica da UFPB. O mesmo estava desaparecido desde o dia 06 de fevereiro de 2020, quando em 08 de fevereiro foi encontrado em estado de decomposição em Gramame, na cidade de João Pessoa, com sinais de perfurações na nuca.

Sentimos o dever de manifestar nossa total condolência a todos e todas aqueles que o conheciam devido a sua atuação exemplar e dedicação enquanto militante do movimento estudantil universitário, defendendo uma educação pública, de qualidade e com acesso universal.

Durante sua trajetória, conduziu o Centro Acadêmico de Filosofia da Universidade Federal da Paraíba por três gestões, foi Coordenador Geral do Diretório Central dos Estudantes na gestão “Pra Frente”, além de ter sido Conselheiro Discente do Conselho Superior Universitário da UFPB, o CONSUNI e participado da Comissão de Revisão Estatutária da Universidade.

Alph, desde 2016, era militante pela formulação de uma política humanizada de segurança para dentro e fora da universidade. Realizou denúncias de abuso de autoridade junto ao MPF e à UFPB, onde teve seus processos arquivados.

A Associação Nacional de Pós-Graduandos exige que o caso do estudante seja investigado de forma séria e minuciosa pelas autoridades responsáveis e que, quem quer que seja o culpado seja identificado e responda pelo crime.

A universidade é um local de segurança, aprendizado e resistência. Que o passado sombrio não volte a atormentar os sonhos dos estudantes e que nem mais uma vida seja ceifada.

Alph, presente. Agora e sempre!

Associação Nacional dos Pós-Graduandos

Escreva um Comentário