Nesta terça-feira (25/5), a nova diretoria da ANPG tomou posse em ato realizado na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). Na mesma data, a diretoria realizou a Caravana da ANPG em defesa dos direitos dos pós-graduandos, cujo ponto alto foi a audiência com o Ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende. Durante a reunião, o Ministro anunciou que está consolidada uma vaga para a ANPG no Conselho Deliberativo do CNPq. A vitória foi comemorada pelo diretor do Instituto Nacional do Semiárido e ex-presidente da ANPG Roberto Germano.

Foto: Ricardo Lemos
A diretoria da ANPG participou em peso da audiência com o Ministro Sérgio Rezende (MCT)

 

O Conselho Deliberativo (CD) é a maior instância de poder decisório do CNPq . Ele é formado pelo presidente e vice-presidente da Instituição; pelos presidentes da Finep e da Capes; Secretário Executivo do MCT e por representantes das comunidades de C&T, empresariais e dos servidores do CNPq. Dentre outras questões, esse conselho trata principalmente da aplicação de recursos, da definição do orçamento, além de ações concernentes às políticas da Instituição.

A ANPG já possui assento no Conselho Superior e no Conselho Técnico Cientifico da CAPES, no Conselho Nacional de Juventude e no Conselho Nacional de Saúde. Entretanto, o CD do CNPq sempre foi o espaço mais almejado pelas diversas diretorias que já estiveram à frente da entidade, pelo peso que joga nas definições das políticas para Ciência e Tecnologia no país.

Reivindicação histórica

A ANPG reivindica esta vaga pelo menos desde a gestão do então presidente da ANPG Roberto Germano (1994-1995). “Os pós-graduandos vêm debatendo os temas e os rumos da Ciência no Brasil. A ANPG, que é ao mesmo tempo incentivadora e fruto desses debates, precisava estar contemplada neste espaço tão importante que é o Conselho Deliberativo do CNPq. Estamos otimistas e certos de que o trabalho será de muito proveito, tanto para nós como para os demais conselheiros, no próximo período”, disse Elizangela Lizardo, presidente da ANPG.

Nesta quarta (26/5), Roberto Germano, que é atualmente Diretor do Instituto Nacional do Semiárido, conheceu a nova presidente da ANPG, durante as atividades da 4ª CNCTI e expressou a opinião de que a coisa mais importante para a ANPG era garantir uma vaga no CD do CNPq. Foi imediatamente informado que se tratava da vitória mais recente da entidade.

Roberto Germano, ex-presidente da ANPG

"Isso é uma bandeira muito antiga. Em 1995 conquistamos a cadeira no Conselho Superior da CAPES e começamos então a lutar por uma vaga no Conselho Deliberativo do CNPq. Na época, conseguimos apenas participar como ouvintes das reuniões. Esta estruturação mostra a representatividade da ANPG e a visibilidade que vem adquirindo, pois o CD é a instância que estabelece as maiores políticas científicas e tecnológicas no Brasil. É muito importante que a ANPG passe a subsidiar este debate". Como bom ex-presidente, além de comemorar a vitória, Roberto Germano também pautou o appel que a ANPG deve jogar no próximo período: "Agora o desafio da ANPG é, junto à SBPC, pautar as grandes bandeiras para o avanço da ciência e da pesquisa no país", finalizou o diretor do INSA.

 

Foto: Ricardo Lemos
Durante a audiência, os documentos foram entregues ao Ministro

Ao Exmo. Sr. Ministro

Durante a audiência com o Ministro Sérgio Rezende, a presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, entregou uma carta com reivindicações da entidade e o documento Contribuições da ANPG à 4ª CNCTI, onde consta o conjunto de resoluções aprovadas no último congresso da ANPG.

Por Luana Bonone e Thiago Custódio, diretores da ANPG

Author

Write A Comment