Popularização da Ciência sempre foi uma bandeira levantada pela ANPG. Não por acaso este foi o tema do 1º Salão Nacional de Divulgação Científica ocorrido em 2009 na PUC-SP. Este ano o tema é “Integração Científica e Tecnológica na América Latina”, entretanto, a discussão da relação ciência-sociedade continua presente. O XII Encontro de Jovens Cientistas, atividade que a ANPG tradicionalmente realiza nas Reuniões Anuais da SBPC, agora é parte da programação do 2º Salão.

A Prof. da UFRGS , Wrana Panizzi, foi recebida calorosamente por cerca de 70 estudantes e pesquisadores, na escola de C& T da UFRN na manhã desta terça-feira. A professora fez um retrospecto da política nacional de C&T, pontuando que , atualmente,ela vem sendo desenvolvida de forma contínua e articulada. Não apenas com o aumento de investimentos financeiros mas também com uma equilibrada distribuição dos recursos entre as várias áreas do conhecimento. Para a vice-presidente do CNPq, os cientistas devem ser preservadores, mediadores e antecipadores, “é necessário preservar o conhecimento já produzido, mediar a relação entre ciência e sociedade e antecipar as descobertas. Acredito que só unindo razão e sensibilidade podemos fazer as coisas de forma adequada”, disse.

Prof Wrana Panizzi (CNPq), Elisangela Lizardo (ANPG) e prof. Ildeu de Castro Moreira (MCT). Foto: Vanessa Stropp

Popularização da Ciência é a especialidade do Prof. Ildeu de Castro Moreira, diretor do Departamento de Popularização e Difusão de C&T do Ministério da Ciência e Tecnologia. Sob sua coordenação acontece, anualmente, a Semana Nacional de C&T, quando diversas atividades visam aproximar a sociedade dos conhecimentos científicos. Dias de portas abertas em instituições de pesquisa e ensino; tendas da ciência em praças públicas; feiras de ciência e concurso são algumas das atividades promovidas durante a Semana.

Ildeu destacou para a platéia, majoritariamente composta por jovens, que a inquietação é característica comum aos cientistas, “manter vivo o seu lado criança é fundamental. Nossas perguntas não podem acabar”, finalizou.

De Natal, Eleonora Rigotti.

 

 

Author

Write A Comment