Formar mão de obra qualificada é apenas uma das funções das universidades estaduais. O papel dessas instituições foi debatido nesta quinta-feira (29) na 62ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), por exemplo, tem maneiras alternativas para selecionar os estudantes da graduação. Uma delas é por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). De acordo com chefe de gabinete da reitoria da Unicamp, professor Ricardo Anido, os melhores alunos de cada escola pública do município e os 28 melhores segundo colocados ganham a chance de estudar na universidade.

“É uma maneira alternativa que foi desenhada com a Secretaria de Educação de São Paulo. Dessa forma possibilitamos mais acesso aos alunos de escolas públicas sem enfrentarmos a discussão de cotas”, avaliou Anido.

A disseminação do conhecimento para municípios menores também é destaque na prestação de serviços da universidades estaduais. Em 2009, cerca de 10,1 mil alunos foram matriculados na Universidade do Ceará (Uece).

O reitor da instituição, Assis Araripe, afirmou que a discussão do futuro da ciência e do desenvolvimento do País não pode deixar as universidades de fora. “O papel das universidades estudais e interiorizar o conhecimento. Ciência e tecnologia é prioridade das universidades e estamos recebendo a atenção que sempre merecemos”, disse.

A reunião anual da SBPC acontece na Universidade Federal do Rio grande do Norte (UFRN). O encontro que começou segunda (25) e termina amanhã (26).

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do MCT.

Author

Write A Comment