As manifestações contra os cortes na educação e na ciência voltaram a mostrar força e capilaridade nesta quinta-feira, 30 de maio. As entidades estudantis ANPG, UNE e UBES calculam que cerca de 1,8 milhão de pessoas foram às ruas nos 26 estados do país e no Distrito Federal. Os protestos aconteceram em 208 cidades e conquistaram a adesão de brasileiros residentes em outros 10 países.

Desde a manhã, a movimentação esteve intensa nas cidades em que as entidades estudantis organizaram manifestações, convocadas na esteira da insatisfação popular gerada pelos cortes de 30% no orçamento das universidades e institutos federais, além do bloqueio de milhares de bolsas de mestrado e doutorado da CAPES.

Na cidade de São Paulo, cerca de 300 mil pessoas se envolveram no ato, que teve início no Largo da Batata, na zona oeste, e terminou já à noite na Avenida Paulista. Rio de Janeiro e Belo Horizonte também tiveram protestos com públicos estimados em mais de 200 mil pessoas.

Em Salvador, na Bahia, cerca de 100 mil estudantes ocuparam a Praça do Campo Grande desde às 10h. Ilhéus e Juazeiro também levaram 2 mil e 4 mil pessoas às ruas, respectivamente. Só no estado, 18 cidades tinham atos marcados até o período da tarde. Mais de 10 mil estiveram na Praça da Liberdade, em Teresina, no Piauí, que ainda teria as ruas cheias em Picos, Campo Maior, Parnaíba e São João do Piauí.

Em Pernambuco, já pela manhã 5 mil estiveram nos protestos registrados em Caruaru, já projetando a grande adesão do público à tarde, quando cerca de 100 mil estiveram no centro do Recife. No Distrito Federal, 20 mil pessoas se reuniram em frente ao Museu Nacional, entoando cantos como “Quero estudar, ser inteligente, de burro já basta o presidente”.

O público é demonstrativo da ampla adesão que a luta contra os cortes na educação e na ciência conquistaram na sociedade. A próxima jornada da luta será no dia 14 de junho, quando haverá nova greve nacional da educação, somando-se à greve geral de trabalhadores contra a Reforma da Previdência.

Veja como foi o #30M na sua capital de estado:
Porto Alegre – 20 mil
Florianopolis – 20 mil
Curitiba – 20 mil
Belo Horizonte – 200 mil
Rio de Janeiro – 100 mil
Goiania – 30 mil
DF – 20 mil
Cuiabá – 10 mil
Belem – 40 mil
Macapá – 15 mil
São Luiz – 30 mil
Teresina – 10 mil
Fortaleza – 100 mil
Natal – 25 mil
João Pessoa – 15 mil
Aracaju – 30 mil
Maceió – 10 mil
Salvador – 70 mil
Recife – 100 mil
São Paulo – 300 mil
Vitoria – 15 mil
Rio Branco – 10 mil
Vitoria – 10 mil
Palmas – 10 mil
Porto Velho – 7 mil
Campo Grande 15 mil
Manaus – 20 mil
Boa Vista – 5 mil

Fonte: União Nacional dos Estudantes.

Escreva um Comentário