Na última sexta-feira, 28, diretores da ANPG se reuniram em Brasília com o Ministro da Educação, Fernando Haddad e com o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Jorge Almeida Guimarães.

Na pauta da reunião estavam a instituição da licença-maternidade para as pós-graduandas, o aumento das bolsas em todos os níveis e a necessidade da regulamentação da pós lato sensu.







Foto: Mauricio de Freitas Scherer.

 

Haddad garantiu agilidade junto a CAPES quanto à implementação de licença maternidade para bolsistas de pós-graduação. Com tom simpático, o ministro reconheceu o valor dessa pauta histórica da ANPG afirmando que o ministério já possui estudos estratégicos sobre o tema e que o governo tem condições de enfrentar o impacto imediato no orçamento. Segundo ele é preciso iniciar o processo de garantia da licença maternidade sem prejuízo seja da avaliação do programa, da recepção das bolsas ou ainda da produção intelectual das pós-graduandas brasileiras. Haddad garantiu encaminhamento imediato do estudo a CAPES.

 Aumento de Bolsas

Considerando que as bolsas não tiveram reajustes durante os anos de governo FHC, os dois aumentos ocorridos durante o governo Lula, embora representem um avanço, ainda estão longe de compensar as perdas dos pós-graduandos. Por isso, a entidade também levantou esse tema durante o encontro. Além da compreensão de que o investimento na pós-graduação representa um investimento do Estado pretendendo evitar o êxodo de pesquisadores, tanto para o mercado como para agências internacionais.

 Foto: Mauricio de Freitas Scherer.

A ANPG defende que os pós-graduandos brasileiros sejam tratados como patrimônio nacional.

 Haddad , assim como o Ministro de Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, garantiu a possibilidade de aumento de bolsas para o próximo orçamento. O que deve começar a ser delineado a partir da abertura de uma mesa de negociações envolvendo MCT, CNPq, MEC e CAPES junto à ANPG, já no próximo período.

lato sensu

O MEC também concordou com a preocupação apresentada pela presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, quanto à necessidade de se instaurar um processo de regulamentação da pós-graduação lato sensu.

 Foto: Mauricio de Freitas Scherer.

As pós-graduações lato sensu compreendem programas de especialização e incluem os cursos designados como MBA – Master Business. Possuem a  duração mínima de 360 horas e ao final do curso o aluno obtém certificado, e não diploma.

Da redação, com colaboração de Mauricio de Freitas Scherer.

 

Author

Write A Comment