13 Results

ANPG NA BIENAL:

Search

O II Seminário de Internacionalização da Ciência Brasileira debateu as perspectivas e desafios para transformar a ciência realmente internacionalizada. Marcelo Marcos Morales, diretor cientifico do CNPq, Nagyla Maria Galdino Drumond, SECITECE, CE, e Lindeberg Lima Gonçalves, SBPC estiveram com o pós-graduando apresentado o que está disponível hoje e os próximos passos necessários para alcançar os objetivos.
O debate também girou em torno do “Ciências sem fronteiras” e seus benefícios e defeitos do programa. Para Morales é necessário que exista um programa mais conciso de internacionalização. “É preciso começar pela pós-graduação e incluir as universidades neste processo”, disse. O professor Lindeberg também concorda: “Quando se pensa em internacionalização da ciência é preciso pensar primeiro da internacionalização das universidades”.
A professora Nagyla também reforça que é preciso fortalecer a ciência brasileira e para isso é preciso que o Estado tenha a ciência como uma politica pública fundamental.
O II Seminário foi uma das atividades realizadas pela ANPG dentro da 10 Bienal da Une.

A mesa sobre Ações Afirmativas na pós-graduação contou com a presença de do secretário geral da ANPG, Gabriel Nascimento, Luciana de Oliveira Dias, ABPN, Rita Gomes do Nascimento, Secadi-MEC, Frei David Santos, Educafro, e Roger Richer da UNE.
“É preciso ter um discurso conciso de como queremos que as ações afirmativas dentro da pós-graduação. É necessário desmistificar a pós, que é um ambiente conservador”, afirmou Gabriel Nascimento.
Para Rita Gomes do Nascimento as ações afirmativas na pós-graduação são fundamentais para criar uma agenda de inclusão de negros no campo da ciência. E Luciana de Oliveira Dias concorda. “Ela é essencial, pois está no meio da graduação e do mercado de trabalho”.
Luciana também trouxe para o debate a experiência da UFG (Universidade Federal de Góias) que instituiu cotas em toda a universidade desde 2015. De acordo com a professora, essas ações já tem alguns resultados alcançados como, por exemplo, a manifestação do racismo oculto, a quebra de nichos de privilégios, constituição de ambiente acadêmico cientifico tematicamente desafiador, representatividade quantitativa e problematização do conhecimento cientifico único e vislumbre de pluralidade de saberes.
A mesa aconteceu no segundo dia do I Encontro de jovens negras e negros que aconteceu em Fortaleza, CE, dentro da 10 Bienal da Une.

Com o objetivo de criar uma agenda de ciências e tecnologia para a Conferência de Córdoba que acontecerá em 2018, a ANPG reuniu em uma mesa Fernando Sasa, AUGM, Heidi Villuendas Ortega, Oclae, Francisco Tamarit, presidente da Conferência de Coórdoba, Luiz Roberto Liza Curi, presidente do Conselho Nacional de Educação e Tamara Naíz, presidenta da ANPG.
O debate girou em torno da necessidade de criar uma estratégia pautada em uma maior união entre as universidades da América Latina e Caribe para um maior desenvolvimento das ciências e tecnologia em toda a região. Para Curi, que apresentou um panorama do ensino superior no Brasil, é preciso ter um plano estratégico que também envolva politicas públicas. Para Francisco Tamarati, presidente da Conferência Regional de Educação superior de Córdoba, 2018. É necessário que alunos, universidades e instituições se unam para desenvolver uma agenda de compromisso para um trabalho em conjunto em toda a América Latina e Caribe. “É preciso preservar a pluralidade de cada país e criar meios de ter um maior e mais efetivo compartilhamento de informações, pois isso traz benefícios sustentáveis, qualidade de vida e mais competividade para toda a região”, explicou.
Tamarati fez uma convocação e convidou a todos os estudantes a participarem ativamente desse debate. A ANPG se comprometeu a contribuir com conhecimento e organizar os estudantes de toda a América Latina.

Começou hoje, 30 de janeiro, o I Encontro de Jovens Cientistas Negros e Negras com o lançamento da campanha O lugar de negro e negra é na ciência.
O evento começou com a Comenda Milton Santos de Promoção dos Negros na Ciência, que contou em sua mesa com Tamara Naiz, presidenta da ANPG, Moara Saboia, presidenta da UNE, Frei David Santos, Educafro, Nagila Maria, presidenta da União dos estudantes da Bahia, Flávia Steffany, presidenta da união dos Estudantes de São Paulo, e Edson Franco, da Unegro. “Esse é um momento especial, pois ações afirmativas precisam estar nas pautas de todos os estudantes. A ANPG está nessa luta desde 2014 e em seu último Congresso assinou o compromisso sobre essa bandeira. Aprovar essa portaria foi uma das lutas mais intensas que eu vivenciei”, afirmou Tamara Naiz.
Após a comenda se formou a mesa o lugar de Negro da Ciência, com a professora Roseane da Silva Borges, professora da USP e Dennis Oliveira, professor da USP. As apresentações debateram o papel do negro nas ciências e as mais diversas formas de modificação de uma sociedade racista cujo potencial de violência racista começa pelo próprio olhar racista da Academia brasileira. “Uma arquitetura que foi montada no Brasil após o século 19 apresenta que o negro é periférico, pois sua agenda e sua expressão periférica. E isso se estabeleceu, inclusive nas Universidades, que reproduzem esse ciclo da periferização. Isso precisa ser combatido”, contou o professor Dennis Oliveira.
“É preciso pensar na Universidade que queremos. Que além de ser pública e de qualidade, temos de pensar em pluralidade. O próprio tema O lugar do negro na Ciência a gente supõe que há um lugar de negro no Brasil e se há um lugar é porque ele é cristalizado. O problema é ausência de negros. Vivemos em um país racista que tem um sistema que legitima isso”, explicou a professora Rosane da Silva Borges.
O I Encontro de Jovens Cientistas Negros acontece durante a 10 Bienal da UNE em Fortaleza. Amanha, 31 de janeiro acontecerá a mesa. É chegada a hora de ações afirmativas na pós-graduação, às 9 horas na Escola Porto Iracema das Artes.

O diretor do CAPES, Patrício Pereira Marinho, apresentou o programa que será lançado nos próximos meses: Mais Ciência, mais Desenvolvimento Programa Johana Dobereiner será o substituto do Sem Fronteiras.
De acordo com Marinho, o programa visa fortalecer a ciência brasileira. “Estamos criando um grupo de trabalho com Capes e outros atores e instituições que discutirão o programa. O primeiro passo é enviar uma pesquisa para as pro-reitorias e com as respostas vamos formaliza-lo”, explicou.
Marinho ainda contou que o papel do CAPES, será guiar, monitorar e avaliar as Universidades. A apresentação aconteceu na mesa A Internacionalização do ensino superior e da produção cientifica nacional, que faz parte do II Seminário de Internacionalização da Ciência Brasileira, que acontece dentro da 10 Bienal da UNE.

A Coordenação Científica da Mostra de Ciência e Tecnologia avaliou, nos últimos 5 dias, 227 resumos submetidos à Mostra de Ciência e Tecnologia da 10a Bienal da UNE!
Nesta edição, 40 pareceristas contribuíram para a seleção de trabalhos em 6 áreas de concentração e 2 eixos temáticos. Ao todo, 108 trabalhos foram selecionados. Minas Gerais foi o estado que mais teve trabalhos selecionados, contando com 18 trabalhos de 8 instituições diferentes.
Confira se o seu trabalho foi aprovado para apresentação na Mostra de Ciência e Tecnologia da 10a Bienal da UNE:
 

 

Vem aí a décima edição da Bienal da UNE, entre os dias 29 de janeiro e 01 de fevereiro. E a Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG) estará presente realizando uma série de atividades em Fortaleza, onde acontecerá a Bienal em 2017. Agora fique atento a nossa programação:
II Seminário de Internacionalização da Ciência Brasileira –
realidades e desafios

O evento tem como objetivo ampliar e contribuir com o debate acerca das novas perspectivas da internacionalização da ciência brasileira, e qual o papel pertinente às politicas, instituições e comunidade acadêmica nesse processo, com a inclusão dos pós-graduandos nestas politicas, na perspectiva da formação ampliada, da produção de conhecimento e da melhoria do desempenho acadêmico e institucional.
29 de janeiro
MESA: A CTI na Conferencia Regional de Educação Superior
Horário: 14 às 17
Dia 30 de janeiro
MESA: A internacionalização do Ensino superior e da produção científica nacional
Horário: 9h ao 12h
Dia 31
RODA de conversa: Desafios do Movimento estudantil de Pós-Graduação em nosso continente e no mundo.
Horário: 9h ao 12h
MESA MAESTRA: A Internacionalização da ciência brasileira: Realidades, perspectivas e Desafios.
Horário: 14h às 17 horas
I Encontro de Jovens Cientistas Negras e Negros
O evento tem como objetivo principal debater o papel do negro na ciência, as realidades dos cientistas negros, desde a graduação, e as formas de estímulo e democratização, tanto do acesso quanto dos objetos científicos, para a presença de negros cientistas na comunidade científica brasileira.
Dia 30
Abertura e lançamento da campanha #LugarDeNEgroÉNaCiencia!
Horário: 14 às 17 horas
Dia 31
MESA: É chegada a hora de ações afirmativas na pós-graduação
Horário: 9h ao 12h
Grupo de Trabalho: O negro entre o mundo do trabalho e academia
Horário: 14h às 17 horas
Grupo de Trabalho: Os desafios dos cientistas negros: da iniciação cientifica à pós-graduação
Horário: 14h às 17 horas
Grupo de Trabalho: A produção de conhecimento sobre o negro na Academia e o e racismo institucional
Horário 14h às 17 horas
HORÁRIO DA MOSTRA CIÊNCIA E TECNOLOGIA
Dia 30: Horário: 10h às 13 horas
Dia 31: Horário: 10h às 13 horas
Para quem já se inscreveu, confira as orientações para participar das atividades aqui.

head.fw_
Você está inscrita (o) no I Encontro de Jovens Cientistas Negras e Negros ou então no II Seminário de Internacionalização da Ciência Brasileira? Ou então você enviou trabalho para a Mostra selecionada de Ciência Tecnologia da 10ª Bienal da UNE?
Então você está inscrita (o) nas atividades da ANPG (Associação Nacional de Pós-graduandos) na Bienal da UNE que comporão tanto a Mostra Convidada de Ciência e Tecnologia quanto a Mostra Selecionada. Para conhecer mais sobre a história da Associação e ver mais detalhes, clique AQUI.
Para saber sobre as diversas atividades da ANPG na Bienal da UNE, vá para o Hotsite em nossa página clicando AQUI.
Aqui vão algumas orientações que você precisa seguir para participar das atividades:
1) Já fez seu credenciamento? Temos duas modalidades de credenciamento para os dois eventos:
* Credenciamento com hospedagem = R$ 150
* Credenciamento sem hospedagem para cada evento= R$ 20
Quer fazer seu credenciamento antecipado? Já é possível. Basta ir para a página http://www.anpg.org.br/anpgnabienaldaune/  e clicar no botão de pagamento referente a cada evento, gerar o boleto (apenas boleto), pagar e enviar o comprovante de pagamento para este e-mail até o dia 23 de janeiro.
2) Já preparou o repelente? Fortaleza, como as demais cidades do resto do país, está sofrendo um surto de endemias causadas pelo mosquito aedes aegypti e, embora não sejam doenças letais, e isso não atrapalhe a beleza e a grandeza da cidade, a grandeza da cultura do Ceará, é sempre bom se preparar.
3) A programação das atividades da ANPG, tanto a Mostra Selecionada de Ciência e Tecnologia quanto a Mostra  Convidada de Ciência e Tecnologia , sendo essas atividades o I Encontro de Jovens Cientistas Negros, o II Seminário de Internacionalização da Ciência Brasileira estão previstos para acontecer no Porto Iracema, ao lado do Dragão do Mar, em Fortaleza. A fase do final do credenciamento deverá acontecer lá quando você deverá assinar o check in no dia 29 de janeiro.
4) O sol de Fortaleza, como a maioria das cidades nordestinas, está de rachar. Não é tempo de brincar com o câncer de pele. Então prepare seu protetor solar com a melhor proteção para sua pele não ficar exposta e aproveite a folga da programação no litoral que fascinou José de Alencar.
E, claro, estamos à disposição. Para maiores informações, não hesite em contatar a ANPG.
CordialmenteComissão organizadora da ANPG na Bienal da UNE
http://www.anpg.org.br/anpgnabienaldaune/

Homepage 4

um.fw
Vem aí a décima edição da Bienal da UNE, entre os dias 29 de janeiro e 01 de fevereiro. E a Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG) estará presente realizando uma série de atividades em Fortaleza, onde acontecerá a Bienal em 2017.
E nós pedimos sua participação desde já, pois estamos produzindo um vídeo que estará rolando em nossa tenda e queremos mostrar as suas expectativas, pós-graduandos, sobre a participação da ANPG na Bienal e nossas atividades.
Para participar basta mandar um vídeo de 15 a 30 segundos contando de suas expectativas sobre uma determinada atividade ou sobre o evento como um todo. Os vídeos podem ser enviados para [email protected] até o dia 24 de janeiro.
Atividades
A primeira atividade começa no dia 29 de fevereiro com o II Seminário de Internacionalização da Ciência Brasileira – realidades e desafios. Dia 30 começa o I Encontro de Jovens cientistas Negras e Negros e o I Seminário de ações afirmativas na pós-graduação. No mesmo dia também começa a Mostra Ciência e Tecnologia. Mais informações aqui.

Até o dia 16 de Janeiro resumos de trabalhos de Ciência e Tecnologia podem ser inscritos na 10ª Bienal da UNE, que acontece em Fortaleza, CE, para a Mostra CIÊNCIA E TECNOLOGIA.
Podem ser inscritos os projetos de C&T que fazem a comunicação de pesquisa científica copmo por exemplo, um projeto de iniciação científica, mestrado, doutorado, entre outros.

O coordenador do Fórum de Divulgação Científica da Associação Nacional de Pós-Graduação (ANPG) Phillipe Pessoa, um dos coordenadores da Mostra, afirma que o edital da Mostra Selecionada foi modificado nesta edição. “ Vamos conversar maiscom o restante da Bienal, tornar nossa mostra mais moderna e dinâmica. As apresentações serão orais, com horários divulgados amplamente para todo o público, e os participantes deverão enviar até 3 imagens representativas para a apresentação, afim de que o público se interesse e interaja com as apresentações dos trabalhos. Além disso, estamos pedindo  um resumo gráfico, uma imagem esquemática que sintetize visualmente a contribuição do trabalho a ser apresentado”, explicou.

Para Celso Ricardo Rego, também coordenador da Mostra, a expectativa é que os trabalhados aprestados na Mostra tenham uma qualidade excelente. “A organização será a melhor possível e acreditamos que as comunicações orais realizadas pelos autores dos trabalhos selecionados serão avaliadas da melhor forma possível com professores e especialistas em cada área. Além disso, esperamos que as pessoas que assistam possam extrai algo útil para sua vida acadêmica no sentido de contribuir para o desenvolvimento intelectual de cada um”, afirmou.

Todos os trabalhos apresentados serão ainda analisados e comentados por uma banca avaliadora. Os resumos selecionados e apresentados serão publicados no livro de resumo ISBN.

Viva a crítica!

Este ano a homenagem de C&T será ao pensamento crítico e 80 trabalhos serão selecionados de acordo com a relevância da contribuição na área da pesquisa.

De acordo com Pessoa o tema desta Mostra é Viva crítica! Na Ciência e na Democracia uma valorização do pensamento e da capacidade crítica dos pesquisadores e uma reflexão aos participantes da Bienal que nesta 10ª edição será uma “Feira da Reinvenção”. “ A capacidade crítica é fundamental também para viver plenamente a democracia. Uma das ferramentas para reinventar é praticar a capacidade crítica no cotidiano”.

E finalizou: “os fazedores de ciência também são artistas, a ciência também tem a capacidade de transformar a sociedade e a produção intelectual é mais do que reproduzir uma técnica”.

 

Mostra Selecionada de Ciência e Tecnologia 

Veja o Edital clicando AQUI

Envie seu Trabalho para a mostra selecionada de C  e T clicando AQUI