9 de dezembro de 2016

ANPG se solidariza com pesquisadores conduzidos coercitivamente pela operação Ph.D

Voltar para: Notícias

A ANPG vem a público se solidarizar com os professores e militantes da área de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) presos e/ou conduzidos coercitivamente para depoimento hoje na “operação Ph.D” sob a alegação de gestão indevida de recursos. Todos esses atores estiveram nas gestões do Ministério da Saúde nos governos Lula e Dilma e tiveram inegável protagonismo em importantes conquistas nas áreas de educação em saúde e na constituição de políticas públicas para o SUS. Também vinham denunciando incansavelmente os retrocessos do governo Temer nas áreas da saúde e social. Acreditamos que este fato se manifesta como ataque e tentativa de criminalização de movimentos sociais defensores do Sistema Único de Saúde e de intelectuais de referência na elaboração de políticas públicas para o SUS, único sistema de saúde mundial universal para mais de 100 milhões de pessoas. A ANPG vem a público repudiar o abuso de poder manifesto nas prisões preventivas sem julgamento e conduções coercitivas sem que haja solicitações prévias para depoimento, bem como a ação da mídia na espetacularização do acontecido que ajudem a criar consenso para a condenação prévia dos sujeitos pela opinião pública. Faz-se urgente que a sociedade se erga contra o estado de exceção que tem assombrado o Brasil. Pela restituição do estado democrático de direito, resistiremos!

Associação Nacional de Pós-graduandos, 09 de dezembro de 2016