A ANPG manifesta repúdio veemente à atitude discriminatória e de ilegal retaliação política tomada por uma docente da Universidade Federal do Amapá (Unifap), que se recusou a orientar estudantes em razão de preferências eleitorais destes.

É inadmissível que o ambiente universitário, locus próprio do livre debate de ideias e produção de conhecimento, seja deturpado pelo sectarismo e autoritarismo político. A liberdade de opinião, na forma da lei e da Constituição, é elemento basilar da democracia e deve ser preservada, ainda mais na universidade, catedral do saber.

Manifestamos ainda nossa solidariedade aos estudantes e solicitamos à reitoria da Instituição as devidas providências para que o caso seja apurado e as medidas administrativas cabíveis sejam tomadas.

Diretoria Executiva da Associação Nacional de de Pós-Graduandos

Write A Comment