A Associação Nacional de Pós-graduandos foi surpreendida no dia de hoje com o contingenciamento de aproximadamente 75% do orçamento do Programa de Apoio à Pós-graduação (PROAP), sem qualquer contato ou diálogo prévio com a entidade representativa do conjunto de pós-graduandos brasileiros. O programa é responsável pelo custeio da pós-graduação brasileira. O corte em seu orçamento impossibilita a mobilidade de pesquisadores, a divulgação científica e as demandas assumidas pelos programas de pós-graduação no sentido de ofertar melhores condições de pesquisa aos pós-graduandos.

A ANPG repudia o corte em nesta área estratégica que deveria estar na centralidade das políticas em um país que historicamente investe muito pouco na formação de especialistas, visando a formação de recursos humanos qualificados. Temos entrado em contato, muitas vezes sem resposta, com a Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior (Capes) buscando colocar o financiamento da pós-graduação, ciência e tecnologia como um dos temas centrais do principal lema do governo – Pátria Educadora – no interesse de atender às metas ousadas do Plano Nacional de Educação. Sendo o PROAP o custeio da pós-graduação, um recurso ainda insuficiente para as metas que o Brasil deve atingir, o corte em seu orçamento tanto dificulta quanto impossibilita a geração de quadros funcionais para a qualificação de recursos humanos em nível avançado no Brasil.

A ANPG repudia veementemente esse corte. Ele é absolutamente inaceitável. Ainda mais pelo fato dele ser o produto de uma política de ajuste fiscal que esta trazendo a recessão econômica para o pais. Em um momento de crise econômica é justamente o contrário que o deveria ser feito, por isso nos dirigimos à presidente Dilma Rousseff para que reverta o corte orçamentário do MEC e recomponha as verbas do PROAP e demais programas do MEC que vem sendo afetados pelo ajuste fiscal.

São Paulo, 10 de julho de 2015

10 Comments

  1. (obs: teclado sem os acentos funcionando… vai assim mesmo!) Ola gente!!! Alguem ta sabendo de algum manifesto ou abaixo assinado contra esse corte grotesto????

  2. Gilson Braz da Cunha Reply

    Como justificar um corte de 75% nas verbas do PROAP e parte considerável das do MEC e, na mesma gestão, triplicar o valor das emendas parlamentares? É vilania, mesmo, ou é covardia também?

  3. Camila nottingham de lima Reply

    Onde não há educação, não há desenvolvimento!

  4. O investimento na discussão do Plano Nacional de Educação torna-se um engodo, uma mentira deslavada, uma vez que os cortes CLARAMENTE evidenciam que não vai ser possível efetivá-lo.

  5. Engraçado…. eu achei que o PT estava fazendo maravilhas pela educação no Brasil. Foi isso que me foi dito pelos professores universitários (precisei perguntar, porque honestamente, não conseguia ver…)

  6. Alexandre Tadeu Fae Rosa Reply

    Repúdio às medidas do governo federal com relação aos cortes do PROAP.

  7. arlete garcia da silva Reply

    Pedimos as autoridades que revertam
    o corte orcamentario do Mec e recomponha as verbas do PROAP, nossos jovens precisam se capacitar para elevar a qualificacao no Brasil.

Reply To Danilo Cancel Reply