recém-saída de seu Congresso Nacional, que elegeu a nova diretoria e aprovou as resoluções e da entidade, a ANPG apresentou três moções para serem apreciadas na assembleia de sócios da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), textos que foram aprovados de forma unânime pelos delegados.

Segundo Vinicius Soares, presidente da ANPG, a unidade sobre as resoluções mostra que a agenda política da ANPG é ampla e ecoa anseios da sociedade. “Todas as moções foram aprovadas por unanimidades, o que mostra o quanto a comunidade acadêmica e cientistas estão atentos à conjuntura do Brasil. Em um primeiro plano, a necessidade da defesa da democracia e de eleições livres, porque só com democracia conseguiremos produzir conhecimento e ciência. E isso é muito simbólico também, pois mostra que as pautas dos pós-graduandos não são corporativistas. Ao contrário, são justas e dizem respeito à reconstrução nacional. Só vamos conseguir reconstruir o Brasil se colocarmos a ciência no centro do debate juntamente com a valorização do jovem pesquisador”, afirma.

A primeira proposta é um chamado para que a sociedade de engaje nos movimentos contra as ameaças golpistas de Bolsonaro. Intitulada “11 de Agosto nas ruas: O Brasil se une em defesa de eleições livres e da democracia”, a moção alude às tradicionais mobilizações do Dia dos Estudantes e à “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito”, que já será lançado em ato público em 11/08, no Largo do São Francisco. Disponível na internet, o manifesto é subscrito por inúmeras personalidades das áreas jurídicas, políticos, artistas, intelectuais e já conta com mais de 370 mil adesões. (Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito! (usp.br)

Nos últimos dias, proliferaram diversas iniciativas da sociedade civil em contraponto à enxurrada de mentiras de Bolsonaro sobre as urnas eletrônicas e a justiça eleitoral. A própria SBPC lançou um abaixo-assinado com tal objetivo. Leia aqui: http://portal.sbpcnet.org.br/noticias/sbpc-lanca-abaixo-assinado-pelas-eleicoes-e-pelas-urnas-eletronicas/

Outra moção aprovada reforça a importância da ciência e tecnologia como vértices para a reconstrução que o país necessitará após os trágicos anos de governo Bolsonaro, somados à pandemia e à crise econômica e social. O texto é endereçado aos presidentes da Câmara e do Senado Federal, bem como às respectivas comissões de ciência e tecnologia das casas legislativas, e faz referência ao “Plano Emergencial Anísio Teixeira”, um denso conjunto de propostas apresentadas pela ANPG com o objetivo de ampliar os investimentos públicos em ciência e tecnologia.

Entre as propostas concretas, o Plano Anysio Teixeira traz a concessão de 150 mil novas bolsas de mestrado e doutorado, o reajuste imediato das bolsas de estudos já existentes, assim como uma política permanente de recomposição do valor das mesmas, a valorização da carreira científica para combater a fuga de cérebros, o investimento de 25% do fundo social do pré-sal em ciência e tecnologia (PL 5876/2016), dentre outras.

A terceira moção apresentada e aprovada é justamente sobre a necessidade urgente do reajuste das bolsas de estudos concedidas pela Capes e pelo CNPq, que caminham para completar 10 anos sem recomposição da inflação e já perderam cerca de 70% de seu poder de compra. “Não é razoável que um país das dimensões e potencialidades do Brasil, com uma economia de médio a grande porte, trate com tamanho descaso aqueles que estão envolvidos em quase 90% da pesquisa científica produzida”, alerta o texto.

Leia as moções aprovadas:

Write A Comment