Vinícius Lisboa



Imagem: Agência Brasil 



Rio de Janeiro – A Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) entregou ontem (5) as outorgas de Cientista do Nosso Estado e Jovem Cientista do Nosso Estado a 200 pesquisadores, com bolsas de 36 meses que somam recursos de R$ 18,360 milhões da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia. O programa já beneficia mais de 500 cientistas, com doutorado concluído há pelo menos dez anos, e mais de 300 jovens cientistas, que concluíram o doutorado há menos de dez anos. Para os cientistas, a bolsa é de R$ 2,8 mil e para os jovens cientistas, R$ 2,1 mil.
 
"É muito difícil para um jovem doutor entrar na ciência. Nossas pesquisas são caras e demandam investimento muito grande. Quando o estado dá esse investimento, faz com que as pessoas consigam se destacar, consolidar novos grupos de pesquisa e nucleações. Isso é fundamental para a renovação da ciência e para o corpo de cientistas do estado", disse a jovem cientista Alessandra Matos, que obteve pela segunda vez a bolsa para estudar a reação dos hospedeiros a um tipo de pneumonia bacteriana.

Na cerimônia de entrega, o governador, Sérgio Cabral, e o presidente da Faperj, Ruy Garcia Marques, anunciaram que a antiga sede da Secretaria Estadual de Fazenda será transformada no Palácio da Ciência, futura sede da fundação e da Academia Brasileira de Ciência. O projeto está em avaliação pelo Tribunal de Contas do Estado e ainda será licitado.
 
O Edifício Sulamérica, de 1910, é assinado pelo arquiteto francês Joseph Gire, o mesmo que projetou o Copacabana Palace, o Hotel Glória e o Edifício A Noite, sede histórica da Rádio Nacional.
 
Edição: Denise Griesinger

(Agência Brasil) 

 

Author

Write A Comment