confap
Crédito: CONFAP

“O Brasil tem saída com a pesquisa”, declarou Sergio Gargioni, presidente do CONFAP (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa), durante a abertura do último fórum da instituição, dia 8 de novembro.
“O cohecimento é o único caminho para sairmos dessa crise momentânea. Em Santa Catarina, temos promovido a criação de empresas com base no conhecimento. Mesmo as indústrias tradicionais precisam da tecnologia para se manter competitivas”, explica Gargioni, também presidente da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina). “Eu presenciei recentemente na Alemanha um programa de aceleração de startups brasileiras e uma delas, a que ganhou a competição, era uma empresa do interior de SC, Chapecó. Ela já recebeu proposta de uma empresa alemã de receber 1 milhão de reais para começar novo processo na Alemanha.”
Também na abertura do fórum, o ex-presidente do CONFAP e recém-empossado presidente do CNPq, Mario Neto Borges, disse que aceitou o desafio de conduzir a agência federal com orçamento reduzido por saber que a crise pode ser revertida com ciência e tecnologia. “Se juntarmos agências federais e estaduais, as FAPs, vamos melhorar a situação. O CONFAP é o mais importante parceiro na esfera estadual de poder”, acrescentou o Prof. Mario Neto, que trabalhou mais de 10 anos para o CONFAP, sendo os últimos como coordenador de Relações Internacionais.
O anfitrião do evento e presidente da Fundect, Marcelo Turine, se despediu do cargo e fez seu primeiro discurso como reitor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.
O Forúm do CONFAP terminou ontem, 9 de novembro em Campo Grande, Mato Grosso.
Fonte: Coordenadoria de Comunicação do CONFAP

Write A Comment