Atendendo a um pedido da Associação de Pós-Graduandos (APG) da PUC-Rio, a ANPG divulga Carta aberta, assinada pela APG e pelo Diretório Central dos Estudantes, na qual é revelada a calamitosa situação dos laboratórios da Universidade.

A Carta foi enviada à reitoria e, como destaca a APG, a intenção, neste primeiro momento, é abrir um canal de diálogo para o estabelecimento conjunto de soluções para o problema.

 

Carta aberta à Reitoria

Conforme anteriormente relatado à CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), através de e-mail, a Associação de Pós-graduandos da PUC-Rio gostaria de comunicar a sua preocupação em relação à segurança da comunidade PUC-Rio, evidenciada pela atual situação dos laboratórios da instituição, que não estão devidamente equipados. Não há chuveiros de emergência, nem lava-olhos, não há alarmes de incêndio, nem luzes de emergência, como tampouco um sistema de Sprinklers. Ademais, a comunidade PUC-Rio não recebe treinamento periódico para situações de emergência, e as áreas demarcadas para os extintores de incêndio são constantemente usadas para outros fins. Pedimos ainda que sejam verificadas as capelas de exaustão de gases, pois continuamente recebemos reclamações referentes ao mau funcionamento das mesmas, e que a PUC-Rio forneça gratuitamente equipamentos de proteção individual e coletiva a todos os usuários dos laboratórios.

Por fim, gostaríamos de entender como uma universidade tão comprometida com o meio-ambiente e o desenvolvimento sustentável, vide seu envolvimento com a Rio +20, não possui um sistema unificado de tratamento de seus dejetos químicos.

APG PUC-Rio

DCE PUC-Rio

 

Da Redação.


Author

Write A Comment