Foi assinado nesta quarta-feira, dia 16/6, o termo de cooperação entre o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e a Fundação Cousteau, para implementar programas de parceria em educação ambiental, com foco em recurso hídricos

Nesse contexto, o MCT vai disponibilizar R$ 8,5 milhões para a construção de uma unidade do Centro de Aquicultura e Pesca em Uberaba (MG). A assinatura do acordo com a Fundação Cousteau é mais um passo para consolidar a Fundação Hidroex (centro de educação para as águas da América Latina) como polo de recursos hídricos no país.

 O ministro Sergio Rezende destacou que a parceria entre o Brasil e a Fundação Jacques Cousteau é muito importante para o desenvolvimento do Brasil e a preservação ambiental. "Nosso país é muito grande e temos água nas mais diversas condições climáticas e ambientais. Construir centros e investir nessa área é a melhor forma de entendermos a nossa riqueza natural e preservá-la", disse.

 Francine Cousteau, presidente da fundação e viúva de Jacques Cousteau, destacou que o acordo firmado é um importante instrumento para as futuras gerações. "A água é fundamental para a vida do nosso planeta. Se soubermos preservá-la vamos garantir o futuro de milhares de pessoas. Essa é a filosofia da Fundação", afirmou.

 O termo de cooperação entre o MCT e a Fundação Cousteau prevê também investimento para a construção da Cátedra de Ecotenia. A Cátedra será instalada pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). A cátedra foi desenvolvida por Jacques Cousteau. O objetivo principal desse centro de estudos é o desenvolvimento de técnicas e programas para a recuperação e preservação de áreas degradadas. Serão investidos R$ 14 milhões no projeto. Os recursos serão liberados por meio de um Termo de Descentralização de Crédito. 

(Felipe Linhares, da Assessoria de Comunicação do MCT)

 

Fonte: Jornal da Ciência

Author

Write A Comment