Foto: Luana Bonone
A presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, entregando o manifesto dos pós-graduandos em apoio a Dilma ao candidato a vice, Michel Temer

Em decisão inédita, ANPG decide apoiar uma candidatura à Presidência da República. O "Manifesto dos Pós-Graduandos aos Eleitores e Toda a Sociedade Brasileira" em apoio a Dilma Rousseff, como explica a presidente da entidade, Elisangela Lizardo, "foi uma iniciativa de diversos pós-graduandos plenamente adotada e valorizada pela diretoria da ANPG". O manifetso foi entregue em ato realizado em São Paulo nesta terça-feira (19) ao candidato a vice-presidente na chapa, Michel Temer.

 

Mais de 2 mil acadêmicos, escritores, estudantes, juristas, políticos e lideranças sociais tomaram o Tuca (Teatro da Universidade Católica), na PUC-SP, nesta terça-feira (19), em ato de apoio à presidenciável Dilma Rousseff. A presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, entregou ao candidato a vice-presidente Michel Temer o manifesto de apoio da entidade, também assinado por mais de 500 pós-graduandos, em apoio à candidata.

Além das tradicionais intervenções de líderes políticos que apoiam a candidata, o ex-ministro Márcio Tomás Bastos, o presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Augusto Chagas, Frei Betto, padre Júlio Lancellotti e o representante do movimento de luta pela moradia "Dito" também falaram no ato.

 

Durante a atividade, a presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, foi chamada ao palco para entregar ao candidato a vice-presidente da chapa de Dilma, Michel Temer, o "Manifesto dos Pós-Graduandos aos Eleitores e Toda a Sociedade Brasileira". A candidata não compareceu ao ato e foi representada por Temer, que é professor de Direito e recebeu também o manifesto dos juristas, organizadores do ato.

 

O manifesto dos pós-graduandos apresenta os retrocessos vivido pela universidade e pela Ciência e Tecnologia no Brasil durante o período FHC, destaca conquistas do movimento educacional e científico durante os dois governos Lula e apresenta cinco pontos como plataforma à candidatura de Dilma. O apoio é explicitado como compromisso com o Brasil no último parágrafo do texto: "em defesa da continuidade destas políticas e em repúdio ao receituário neoliberal passado, reafirmamos nosso compromisso EM DEFESA DA EDUCAÇÃO E DA CIÊNCIA NACIONAL, defendendo que o Brasil siga no rumo das mudanças, com Dilma Rousseff presidente da Nação".

 

O manifesto está aberto para adesões, que podem ser feitas pelo abaixo-assinado online.

 

Foto: Luana Bonone
O auditório do TUCA ficou lotado durante o ato de juristas e intelectuais em apoio a Dilma

As paredes do TUCA

 

Dilma, ausente, gravou um vídeo exclusivo, que foi exibido num telão e pelo qual ela agradeceu ao apoio dos diversos segmentos presentes. A candidata da coligação Para o Brasil Seguir Mudando também renovou, na gravação, seu “compromisso com os valores democráticos” e enalteceu os avanços sociais garantidos nos dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Nosso governo continuará sendo conduzido de forma republicana”, declarou Dilma.

 

Vários oradores, a começar pelo deputado federal eleito Gabriel Chalita (PSB), sublinharam o simbolismo de realizar um ato político diante das “paredes marcadas” do TUCA – palco de incontáveis manifestações em defesa da liberdade e da democracia durante o regime militar (1964-1985). Em sua gravação, Dilma se referiu ao local do encontro como “palco sagrado da liberdade”. O senador Aloizio Mercadante citou as “paredes machucadas pelo tempo”, que abrigaram manifestações históricas, como o “ato mais importante pela anistia”. 
 
Fotos: Roberto Stuckert Filho (em cima) e Luana Bonone
Em cima, entidades do Conjuve com Dilma. Na foto de baixo, Elisangela participa da entrega do Pacto pela Juventude.

Onda vitoriosa

 

Michel Temer – que, em nome da candidata, recebeu os documentos entregues durante o ato – declarou que tanto o evento em São Paulo como o do Rio se destacaram pela “quantidade numérica e qualitativa” de participantes. “Sim, é a onda vitoriosa que percorre o país”.

 

Segundo Temer, “Dilma lutou por um tempo pela democracia política, que parecia inviável – mas nós conseguimos. O governo Lula mostrou a necessidade da democracia do pão sobre a mesa, da justiça social. Dilma é a fusão dessas concepções e dessas ideias”.

 

Na semana passada, Elisangela participou também da entrega do Pacto pela Juventude à candidata Dilma Rousseff, em ato realizado no dia do professor (15/10) que reuniu setores da educação no Palácio dos Trabalhadores, também em São Paulo. O Pacto pela Juventude é uma plataforma organizada pelas 67 entidades que compõem o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), dentre as quais a ANPG.
 
No ato do dia 15, a candidata rendeu homenagem ao premiado pesquisador Miguel Nicolelis, avistado no tumulto da plateia. Dilma afirmou que o Brasil do futuro precisa de cientistas. “Eles iluminam o país.”
 
Foto: Luana Bonone
A presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, com o neurocientista Miguel Nicolelis, durante ato de apoio a Dilma.
Miguel Nicolelis
 
Para Dilma, Nicolelis é a prova de que o Brasil pode sim ter grandes cientistas. Nicolelis disse que Dilma é a garantia de que a construção de um projeto de nação não será interrompida. 
 
“Esta eleição é vital para a História do Brasil e para construção de um projeto de nação. Vai decidir qual vai ser o futuro que o Brasil vai ter para muitas gerações que estão ainda por nascer. É uma proposta que eu, pessoalmente, e muitos dos meus colegas na área científica acham que chegou a hora do Brasil. E não podemos parar o trabalho pela metade. Foi por isso que eu fiz a minha opção de apoiar a candidatura da Dilma Rousseff”, afirmou o neurocientista.
 
De São Paulo, Luana Bonone, diretora de Comunicação da ANPG, com informações do Portal Vermelho
Author

Write A Comment