Dissertação de mestrado vira livro. Ex vice-presidente da UNE, a doutoranda Fabiana Costa lança, nesta quinta-feira (21), o livro “ProUni: o olhar dos estudantes beneficiários”, mostrando a  nova realidade dos universitários brasileiros. O tema foi objeto de sua dissertação de mestrado.

Em 2003, a então estudante de Assistência Social da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Fabiana Costa, era vice-presidente da UNE. Durante a sua gestão foi uma das grandes entusiastas na formulação, junto ao Ministério da Educação, do Programa Universidade para Todos (ProUni), hoje o principal instrumento de inclusão dos jovens no ensino superior.

Quando deixou a UNE, em 2005, graduou-se e deu início ao seu mestrado pela PUC-SP. O acúmulo da militância no movimento estudantil levou Fabiana a transformar a sua experiência em uma dissertação sobre o programa que mudou o rumo da educação no Brasil. O estudo virou o livro “ProUni: o olhar dos estudantes beneficiários”, que será lançado na próxima quinta-feira (21), às 19h30, na Faculdade São Paulo (Av. Liberdade, 808).

“A UNE foi a minha escola e me deu a oportunidade de realizar a pesquisa com outro olhar, através da luta incansável em defesa da educação brasileira”, contou Fabiana em entrevista.

O 1º Encontro Municipal dos Estudantes do ProUni de São Paulo, realizado em 2007 e organizado pela UNE, foi um dos apoios de pesquisa da autora, que permitiu enriquecer sua obra com informações dos estudantes bolsistas.  “Não queremos mais desperdiçar as grandes mentes brasileiras excluídas dos bancos escolares!” foi o lema do encontro, que debateu por meio de uma carta entregue ao ministro da Educação, Fernando Haddad, as limitações e as abrangências do programa.

Os avanços com o ProUni
Atualmente, Bia, como é conhecida, está cursando o doutorado e é presidente do Centro de Estudos e Memória da Juventude (CEMJ), entidade organizada por uma maioria oriunda de movimentos juvenis para trabalhar o tema juventude.

Na dissertação de seu mestrado na PUC-SP, em 2008, ela resolveu apresentar um estudo sobre o programa e analisar, por meio de uma pesquisa, a política pública de melhoria para o ensino superior. A partir do olhar dos alunos bolsistas do ProUni, identificou como eles reconhecem o benefício e a oportunidade de acesso à educação universitária. Para a pesquisa, foram analisados os pontos de vista de beneficiários de oito instituições de ensino superior na capital de São Paulo.

Dessa forma, o livro traça uma análise da educação universitária da década de 1990 e as mudanças que, por meio das políticas públicas surgidas durante o governo do presidente Lula, estabeleceram a possibilidade de acesso dos jovens de baixa renda às universidades.

Um dos propósitos da obra é acabar com os mitos que ainda existem acerca do programa. “Mesmo com o sucateamento da educação na década de 1990, o ProUni surge em 2004 como uma força para garantir o acesso à universidade,  mesmo via educação privada. Muitos pensam que as bolsas são uma transferência de dinheiro público para instituições privadas, porém, as bolsas são concedidas através de isenções  fiscais  que já fazem parte destas instituições há muito tempo”, afirma a pesquisadora.

Com uma vasta pesquisa sobre o perfil dos estudantes prounista, o livro mostra os avanços do programa, por exemplo, sobre o rendimento dos alunos bolsistas, hoje comprovado igual ou superior aos demais alunos. A inserção destes alunos nas cadeiras acadêmicas mostra que a maioria deles fazem parte dos primeiros universitários de toda uma geração. São filhos de pais que não tiveram oportunidade de cursar o ensino superior e, hoje, conseguem ver os filhos rumo a um caminho melhor, muitos estagiando e fazendo planos para o futuro.

Como adquirir o livro

Publicado pela Editora Michelotto em parceria com a CEMJ, o livro, com 124 páginas, está disponível para venda e pode ser adquirido por meio do site da Editora Anita Garibaldi

Serviço:
O que? Lançamento do livro: Prouni: o olhar dos estudantes beneficiários
Onde? Faculdade São Paulo – Av. Liberdade, 808 (próximo ao Metrô São Joaquim)
Quando? 21 de outubro, às 19h30.
Quanto? Entrada Franca

Fonte, Estudantenet, por Thatiane Ferrari. Edição: Luana Bonone, diretora de Comunicação da ANPG

 

Author

Write A Comment