A reunião da diretoria da ANPG, realizada no último domingo, 16/08, convocou o II Encontro de Mulheres Estudantes da entidade, a se realizar nos dias 04 e 05 de setembro, através de plataformas digitais.

O tema proposto para o evento é “A realidade das mulheres pesquisadoras e a perseguição aos estudos de gênero”, assunto de grande atualidade, seja pelas dificuldades adicionais que a pandemia traz às mulheres ou pelos ataques do governo Bolsonaro ao pensamento progressista.

A preocupação em debater a atual situação das mulheres pós-graduandas encontra amparo em pesquisas recentes, que demonstram que a exigência de trabalho remoto, a partir do isolamento social, tem causado mais impacto para o gênero feminino. Estudo do grupo Parent in Science mostra que Entre que 50,8% das pós-doutorandas sem filhos não conseguiram submeter seus artigos nesse período, contra 32,4% de homens sem filho. A disparidade é ainda maior quando se tratam das mulheres com filhos, que atinge a marca de 66% de não submissão, ao passo que o número fica em 41,6% entre os homens com filhos.

Para Flávia Calé, presidenta da ANPG, um dos desafios do movimento de pós-graduandos no atual contexto é impedir que as desigualdades de gênero fiquem ainda mais drásticas nesse período. “Organizar as mulheres para melhorar as condições de pesquisa é fundamental. Estudos apontam que a disparidade de gênero se aprofundará em função da pandemia e precisamos atuar para impedir esse cenário”, aponta.

A diretora da Mulheres da entidade, Stella Gontijo, vê o momento de extremismo como risco à liberdade de produção acadêmica. “O avanço do conservadorismo se manifesta em ataques contundentes às pesquisas e à autonomia da produção do conhecimento. Como forma de reforçar a desigualdade de gênero, ataca as pesquisadoras e pesquisadores que desenvolvem pesquisas na área dos Estudos de Gênero e que buscam, justamente, questionar a produção hegemônica do conhecimento que respalda práticas sociais patriarcais”, diz.

Confira a programação do II Encontro de Mulheres Estudantes da ANPG

Tema: A realidade das mulheres pesquisadoras e a perseguição aos Estudos de Gênero.

Sexta-feira, dia 04 de setembro

18h30 – 20h30: Mesa de abertura
O trabalho e a realidade das mulheres pesquisadoras e cientistas no isolamento social.

Sábado, dia 05 de setembro

Grupos de trabalho

Manhã 9h – 10h30: Pesquisadoras e profissionais da saúde no contexto da pandemia.

Manhã 10h30 – 12h: Mulheres negras organizadas: os desafios do racismo institucional na pós-graduação (espaço autoorganizado de mulheres negras)

Tarde 13h – 14h30: Ataque aos estudos de gênero e a pesquisa que buscam diminuir a diferença de gênero na academia e na ciência & tecnologia.

Tarde 14h30 – 16h: Maternidade na pós-graduação: acesso, permanência e parentalidade

16h30 – 17h30 Plenária auto-organizada

Encerramento: 05/09 19h
Mesa: Divisão sexual do trabalho e pós-graduação.

Write A Comment