Então finalmente chegou o momento da sua pós-graduação. Você finalmente terminou sua graduação – ou está em vias de terminá-la – e está ansioso pelo próximo passo. Talvez você tenha muitas dúvidas e não saiba ainda se o melhor caminho para você é um mestrado ou um MBA. Ou talvez você não saiba todas as opções que têm para a sua pós.

Seja qual for a cena em que você se encontra, tenha certeza que sairá daqui como um herói, com todas as armas necessárias para enfrentar esse dragão tão sonhado chamado “pós-graduação”.

E não é só isso, para termos certeza que aqui você vai encontrar todas as informações que precisa sobre a pós-graduação; ainda falaremos desses assuntos:

Dica: você pode clicar no que quer ler para ir direto no conteúdo desejado.

  1. MAS O QUE É A PÓS-GRADUAÇÃO?
  2. COMO FUNCIONA UMA PÓS-GRADUAÇÃO?
  3. QUAIS OS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO?
  4. QUAL A CARGA HORÁRIA DE UMA PÓS?
  5. QUAL É O MÉTODO DE INGRESSO?
  6. COMO É A DINÂMICA DAS AULAS?
  7. PODE FAZER PÓS GRADUAÇÃO EM QUALQUER ÁREA?
  8. QUAL O IMPACTO DA PÓS-GRADUAÇÃO NA SUA CARREIRA?
  9. QUAL O INVESTIMENTO NUMA PÓS?
  10. COMO O PROJETO DE PESQUISA DEVE SER APRESENTADO?
  11. COMO CONSEGUIR BOLSA PARA PÓS-GRADUAÇÃO EM INSTITUIÇÃO PARTICULAR?
  12. O QUE É CAPES E A QUAL SUA IMPORTÂNCIA PARA A PÓS-GRADUAÇÃO

 

Mas o que é a pós-graduação?

Ás vezes ficamos perdidos em meio à tantas opções de estudo. Ou pelo contrário, achamos que só há um caminho. Por isso vou te explicar com detalhes como funciona cada pós-graduação; a stricto sensu e a lato sensu, e você vai analisar qual é a melhor para você, combinado?

Como funciona uma pós-graduação?

Pela razão de haver tantas opções, muitas vezes acabamos por receber informações incompletas ou mesmo incorretas. Há quem acredite que MBA é a mesma coisa que mestrado, ou ainda, que não há diferença nenhuma entre ambos especialização e mestrado. Outros diferem MBA de especialização como se fossem coisas totalmente opostas.

Antes de mais nada é importante deixar claro que todo curso feito depois de concluir a graduação, é, como o próprio nome já diz, uma pós-graduação.

As diferenças que ocorrem são os segmentos em que ela é dividida. Stricto sensu e Lato sensu são os dois grandes grupos que dividem os cursos feitos após se formar.

Quais os tipos de pós-graduação?

Existem dois grandes grupos, a pós-graduação Lato Sensu e a Stricto Sensu. Elas diferem em quesitos como competências desenvolvidas ao longo do curso, carga horária e também o foco profissional do aluno.

Lato sensu

São cursos centrados no ganho de prática e no estudo de técnicas que ajudarão o profissional no cotidiano de trabalho. Dessa forma, são indicados para quem busca desenvolver suas experiências e conhecimentos e enriquecer o currículo.

Por concentrar alunos que já estão trabalhando inseridos em diferentes cargos do ambiente corporativo, cursos de lato sensu possuem uma carga horária mais flexível que não sobrecarrega o profissional.

A duração é de, em média 360 horas de aula. Metade dos professores devem ser mestres e doutores. Enquanto a outra metade dos professores devem ter pelo menos uma pós graduação ou lato sensu. Como titulação, o aluno recebe um certificado de conclusão que entretanto, não é válido como diploma.

  • MBA

Sigla para “Master of Business Administration” é indicado para os profissionais que já estão há algum tempo no mercado e que estejam visando a promoção a altos cargos.

Aliando network a aquisição de know-how acerca da gestão de pessoas, projetos e negócios, o aluno se desenvolve ao ponto de poder atuar em cargos vitais dentro de uma empresa e também, ser o responsável por tomadas de decisão dentro do trabalho.

  • Especialização

É um curso onde o aluno aprimora seus conhecimentos dentro de uma área específica do seu campo de atuação. Ele possibilita que o profissional alcance domínios ante as mais distintas abordagens, interpretações e execuções de problemas e soluções relacionadas ao conteúdo estudado. Pode inclusive ser feito por profissionais que recém entraram no mercado, ou mesmo pelos que nunca trabalharam. É um curso que visa afunilar e especializar o profissional.

Stricto Sensu

São cursos que tem como objetivo aprofundar os conhecimentos teóricos de maneira que o aluno consiga desenvolver ideias originais e portanto, se tornar um pesquisador.

No stricto sensu, as discussões e análise de conceito, as teorias e os conhecimentos plurais de diferentes perspectivas e momentos históricos, servem de base para os estudos do aluno.

Geralmente, quem busca esses cursos tem o objetivo de ingressar na carreira acadêmica e desenvolver conhecimentos e produções científicas.

Todas as opções de cursos stricto sensu ajudam o aluno a se desenvolver em diferentes abordagens metodológicas e científicas. Dessa forma ele aprende a traçar linhas de investigação para o objeto de estudo que possui.

A duração média de um mestrado é de 2 anos e de um doutorado é de 4 anos. Quanto a formação dos professores, todos devem possuir diploma de pós stricto sensu. Ao final da formação, o aluno recebe um diploma e um título de mestre ou doutor.

  • Mestrado Acadêmico

Este mestrado é indicado para profissionais que queiram se tornar professores e lecionar, tanto em escola quanto em faculdade. Isso porque ao longo do programa do curso, o aluno se dedica a um assunto de seu interesse e aprende sobre práticas educativas

Ele também desenvolve competências necessárias para transmitir um conhecimento de grande complexidade intelectual dentro de sala.

  • Mestrado Profissional

Apesar de manter a mesma estrutura de tempo, metodologia de pesquisa e avaliação, o mestrado profissional se difere do tradicional em sua abrangência e aplicação. Sua abordagem vai além do aspecto acadêmico e inclui estudos, técnicas e conceitos que podem ser inseridas no mercado de trabalho. Assim, ao concluir o mestrado acadêmico, o profissional pode tanto se dedicar à docência quanto se capacitar profissionalmente para atuar em empresas públicas ou privadas.

A CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) emitiu um artigo esclarecedor sobre o mestrado profissional, do qual destacamos o seguintes trecho:

“Antes de mais nada, o mestrado profissional (MP) é um título terminal, que se distingue do acadêmico porque este último prepara um pesquisador, que deverá continuar sua carreira com o doutorado, enquanto no MP o que se pretende é imergir um pós-graduando na pesquisa, fazer que ele a conheça bem, mas não necessariamente que ele depois continue a pesquisar. O que importa é que ele (1) conheça por experiência própria o que é pesquisar, (2) saiba onde localizar, no futuro, a pesquisa que interesse à sua profissão, (3) aprenda como incluir a pesquisa existente e a futura no seu trabalho profissional. Nada disso é trivial. O terceiro ponto é, por sinal, razoavelmente difícil. Por isso, o MP não pode ser entendido como um mestrado facilitado.”

  • Doutorado

O doutorado exige que o pesquisador já tenha um grande amadurecimento de ideias e métodos de pesquisa. Isso porque, o curso exige a defesa de uma tese de doutorado e não apenas uma dissertação de mestrado.

A tese envolve intimidade com o mundo acadêmico e um avanço considerável no desenvolvimento, produção, adequação e experimentação da pesquisa que será desenvolvida durante essa pós-graduação.

Por esse motivo, é comum os alunos fazerem mestrado para só então caminharem ao doutorado. Isso permite ao profissional crescer academicamente, assim como suas ideias de pesquisa.

No entanto, essa não é uma exigència pois não existe ordem para se fazer pós graduação, sendo esse inclusive, um conhecimento equivocado entre os alunos. O chamado Doutorado Direto é quando o aluno passa para o curso de doutorado sem fazer o mestrado. Apesar disso o curso é o mesmo e só muda a forma de ingresso.

Também é relevante que, ao seguir a sequência ‘tradicional’, o aluno pesquisador se sente mais seguro em elaborar seus conhecimentos e mais pronto para ofertar à comunidade acadêmica e social a sua tese e suas aplicações.

Qual a carga horária de uma pós?

Diferentemente das aulas da graduação, as aulas da pós não costumam ser diárias. Elas são realizadas em alguns dias úteis e em alguns casos têm uma carga horária mais intensa nos finais de semana.

Para as modalidades MBA e especialização a carga horária é de, no mínimo, 360 horas. Isso porque nos cursos Lato Sensu as aulas são desenhadas pensando nos profissionais que vão conciliar os estudos com o trabalho. Assim as atividades da pós graduação podem ser feitas nas horas livres sem comprometer a vida profissional.

Para ser aprovado no final do curso, o aluno deve elaborar uma monografia semelhante ao tcc da graduação. Ele receberá enfim, um certificado de conclusão e não um diploma.

Já para os cursos de mestrado e doutorado é diferente. A duração é de 18 a 24 meses para o mestrado e de 25 a 42 meses para doutorado. No entanto, no caso do mestrado profissional, a duração muda e vai de 12 a 18 meses.  Em todo caso, cursos Stricto Sensu exigem uma dedicação integral a princípio. Mas também não é impossível cursar juntamente do trabalho.

Nesse caso é indicado que você tenha uma maior flexibilidade no horário de trabalho e possa assim participar de congressos, palestras e aulas.

Ao final dos cursos de mestrado, o aluno deve entregar uma dissertação. Não obstante, para o doutorado, o aluno desenvolverá uma tese original para a sua conclusão. Nesses dois casos, o aluno recebe um diploma de mestre ou de doutor.

Qual é o método de ingresso?

Para cursos de especialização, o processo seletivo é mais simples. Consistindo em análise do currículo do candidato e ocasionalmente carta de apresentação. Isso acontece porque a especialização tem uma maior oferta de cursos e é mais popularizada entre as opções de pós graduação.

Para os cursos de MBA, a seleção é mais minuciosa e prioriza profissionais relevantes dentro de suas áreas de atuação ou que ao menos tenham afinidade com as matérias do curso. Por conseguinte, a presença desses profissionais enriquecerá o curso.

A escolha é feita por análise de currículo com especial atenção à carreira do profissional dentro do mercado de trabalho. A seleção também pode conter debates de cases onde se utiliza situações reais do mercado de trabalho.

A conversa muda para os cursos de mestrado e doutorado, em que a concorrência é acirrada. Assim, o processo seletivo envolve análise de currículo, prova escrita sobre a área de conhecimento do curso, prova de língua estrangeira, apresentação do projeto de pesquisa que será desenvolvida ao longo do curso e por fim, entrevista com uma banca de docentes da instituição de ensino.

Como é a dinâmica das aulas?

Contando com um modelo de aulas mais tradicional e semelhante ao da graduação, cursos de especialização costumam possuir seminários e aulas expositivas. Além disso eles também compreendem aulas práticas como parte da carga horária obrigatória. Isso porque um dos focos do curso é a aplicação do conteúdo aprendido no cotidiano laboral.

Nas aulas do MBA os orientadores lançam mão de ferramentas de gestão, junto aos alunos, a fim de buscar soluções para problemas reais das empresas.

O cenário é completamente diferente nos cursos Stricto Sensu (mestrado, mestrado profissional e doutorado). Nesses os alunos estudam ferramentas de pesquisa e seus esforços são direcionados a um aprofundamento teórico e desenvolvimento de ideias originais. Também contam com leitura de novos artigos e bibliografia básica, bem como discussões que elevem e fortaleçam o pensamento crítico.

Quais são os métodos de avaliação?

Dentro de um curso de pós-graduação, os métodos avaliativos podem variar bastante de acordo com a área de estudo e com a instituição. Entre as opções de aplicação estão provas orais e discursivas; debates, seminários, provas práticas, produção de artigos entre uma infinidade de métodos avaliativos que são escolhidos visando o melhor aproveitamento dos alunos.

Pode fazer pós graduação em qualquer área?

Você pode fazer uma pós graduação em uma área completamente diferente da sua formação, ou mesmo semelhante. Inclusive, os cursos feitos após a faculdade são uma boa opção para quem deseja mudar de área sem precisar fazer uma nova faculdade.

De acordo com o Ministério da Educação na resolução CNE/CES 1/2007:

“3° Os cursos de pós-graduação lato sensu são abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação ou demais cursos superiores e que atendam às exigências das instituições de ensino.”

Ou seja, qualquer pessoa que seja graduada está apta a fazer uma pós. E isso, independentemente da área original escolhida e da opção para pós graduação ser MBA, mestrado, mestrado profissional ou doutorado. Falaremos melhor sobre isso mais pra frente.

Note também que pessoas formadas em cursos tecnólogos também estão aptas para fazer pós graduação, seja qual for o curso de pós escolhido.

No entanto, vale notar que, a faculdade de ingresso à pós é quem vai determinar os requisitos, como por exemplo quais aulas o aluno deverá frequentar. Assim como, os termos a serem seguidos para a matrícula e o acompanhamento das aulas.

Vale se ater ao fato de que a pós-graduação em uma outra área não dá direito ao exercício de profissões regulamentadas como: engenharia, nutrição, e medicina por exemplo.

A pós graduação em outra área também é uma ótima opção para expandir seus horizontes e enriquecer seu trabalho. Isso porquê ter conhecimento de outras áreas e uma visão mais abrangente pode te ajudar muito a resolver problemas e a traçar novas estratégias no âmbito profissional.

Qual o impacto da pós-graduação na sua carreira?

Agora você já tem conhecimentos macro e micro sobre a pós-graduação e está apto para escolher com propriedade qual o melhor curso para a sua carreira. Chegou o momento de entender qual vai ser a relevância da pós-graduação na sua vida!

Destaque em processos seletivos

Uma das mais relevantes vantagens da pós, é o ganho que comentamos lá no começo do artigo. O profissional ganha mais destaque em processos seletivos e sai à frente de seus concorrentes, podendo conseguir mais facilmente o cargo que almeja.

Ademais, qualificação é exatamente o que as companhias têm procurado. Um diploma de graduação é considerado o básico aceitável para um profissional atuante. Mas quase nunca é o suficiente para que as empresas o queiram como parte do quadro de funcionários. Isso porque um currículo mais completo vai além de experiências anteriores e dos tradicionais cursos de informáticas e idiomas.

As companhias buscam profissionais que estejam em constante aprendizado e desenvolvimento. Para que estejam preparados em superar os desafios da empresa e entender a importância da atualização de conhecimentos.

Mais chances de promoções e de conquistar cargos de gestão

Ao fazer uma pós-graduação você se destaca no meio profissional por estar mais preparado para lidar com os desafios da profissão e aprende a atrelar o conhecimento prático ao conhecimento teórico.

Desta forma você passa a imagem de um especialista e não de um funcionário regular. Tal mudança te permite mais chances de bonificações e de promoções.

Já para alçar cargos de gestão, um MBA por exemplo é o melhor caminho. A formação te ensinará a lidar com situações que envolvem liderança e grandes decisões, formando você um gestor orientado a resultados.

  • Quanto uma pós aumenta o salário?

O aumento salarial não se dá apenas pelo que está escrito no currículo, mas também no desenvolvimento do profissional e em sua capacidade de aplicar no trabalho o que foi aprendido em sala de aula. Mas pragmaticamente, alguns dados interessantes podem ser apresentados.

Uma pesquisa feita pela empresa de recrutamento Catho em 2018, mostrou que no caso de profissionais em cargos de coordenação tiveram os salários aumentados em até 53,7% e 47,4% após concluir mestrado e doutorado, respectivamente. No cargo de analista, o mestrado ou doutorado pode aumentar o salário em 118%. A 54º edição da Pesquisa Salarial Catho foi feita com 2 milhões de profissionais, de mais de 25 mil empresas em 4.063 cidades de todo país.

Network mais amplo e desenvolvido

Ao estar em contato com profissionais de sua área você faz mais contatos e incrementa seu network. Principalmente em cursos lato sensu, o aluno tem a oportunidade de ter colegas de outras áreas e cargos, das mais variadas empresas e negócios, e que podem te instruir e trocar experiências sobre o mercado e sobre as empresas.

Isso também é um ponto muito relevante pois te permite saber de antemão quando algumas empresas estão contratando e também, orientações de profissionais que já trabalham nelas, te dando mais chances de contratação.

Atualização constante dos conhecimentos e das habilidades

Como já dissemos, as companhias buscam profissionais que estejam em constante movimento de ascensão profissional, ou seja, que busquem capacitação e desenvolvimento, que busquem inovação.

Assim, sair de sua zona de conforto e se “reciclar” é essencial para lidar com problemas corriqueiros da sua profissão, e também, para ter mais chances de promoção.

Formação contínua necessária para lecionar

Para lecionar, é necessário no mínimo uma graduação em licenciatura (ou pedagogia, no caso da educação básica, conforme a Lei nº 12014/09) de acordo com o MEC.

Mas a realidade é mais complexa, as escolas têm buscado profissionais cada vez mais capacitados e com pós-graduação para integrar o corpo docente.

No caso de faculdades isso é ainda mais relevante visto que, de acordo com a Lei nº 9.394/96 exige que pelo meno um terço de todos os que lecionam em ambiente acadêmico tenham titulação de mestre e/ou de doutor.

A razão para isso é que tanto o mestrado como o doutorado, têm a função de ampliar sua visão crítica e te possibilitar se aprofundar em questões mais complexas para serem abordadas em sala de aula. A pós stricto sensu ainda te fornece meios de se tornar um pesquisador com produção científica ativa e constante.

Qual o melhor momento para iniciar uma pós graduação?

Por mais ansioso que você esteja para se aperfeiçoar profissionalmente e estudar, é preciso calma e planejamento. Nos cursos de mestrado, mestrado profissional e doutorado é perfeitamente possível emendar um após o outro depois de finalizar a graduação.

Isso porque você será formado de modo ascendente na carreira acadêmica. Posto a isso, não é preciso uma vivência prévia em ambas áreas de docência e pesquisa, já que é justamente isso que você aprenderá a fazer.

No entanto para os cursos de MBA, é aconselhado que você tenha uma vivência no mercado de trabalho antes. Isso porque a cada aula serão levados cases para serem debatidos entre os alunos e professores.

Se você ainda não teve essas vivências no cotidiano de trabalho será difícil compartilhar da mesma visão lógica e do mesmo raciocínio crítico de quem passar pelos casos de mercado no dia a dia. É necessário que você desenvolva um entendimento de noções e termos ligados ao meio empresarial para estar apto a discutir os problemas e buscar soluções.

Qual o investimento numa pós?

Com tantas vantagens em se fazer uma pós-graduação, é de se prever que o investimento não seja dos menores. No entanto os valores variam muito entre as instituições. Em universidades públicas por exemplo, o MBA é pago, porém muito abaixo da variação particular que é de R$ 4.400 a R$ 19.800 no valor total.

Já em universidades públicas, o mestrado costuma ser gratuito assim como graduação. E em instituições privadas vão de R$ 33.937 a R$ 54.574. Você também pode buscar bolsas de estudos ou planos de financiamento estudantil.

Qual é o valor de uma bolsa de estudo na Pós-Graduação?

Em universidades públicas e particulares o aluno pode pleitear a bolsa de auxilio à pesquisa. Órgãos de amparo a pesquisa como a Capes e a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) há a possibilidade de o estudante ser pago para fazer sua pesquisa. Nesses casos o estudante não pode ter vínculo empregatício de nenhuma espécie. Para conseguir a bolsa, o estudante deve submeter o projeto de pesquisa à avaliação do órgão de amparo.

Bolsas regulares FAPESP Valores vigentes a partir de 01/09/2018 Valores vigentes até 31/08/2018
Iniciação Científica (IC) R$ 695,70 R$ 676,80
Mestrado I (MS-I) e Doutorado Direto I (DD I) R$ 2.043,00 R$ 1.988,10
Mestrado II (MS-II) e Doutorado Direto II (DD II) R$ 2.168,70 R$ 2.110,20
Doutorado I (DR-I) e Doutorado Direto III (DD III) R$ 3.010,80 R$ 2.929,80
Doutorado II (DR-II) e Doutorado Direto IV (DD-IV) R$ 3.726,30 R$ 3.626,10
Pós-Doutorado (PD-BR) R$ 7.373,10 R$ 7.174,80

(FONTE) Site Fapesp acessado em 23-04-19

Como é a solicitação da Bolsa de Mestrado da FAPESP?

Para exemplificar como funciona a requisição de bolsa de pesquisa, vamos pegar como exemplo o órgão de fomento Fapesp. Entretanto, cada órgão tem seus próprios pré-requisitos e editais.

Para poder pleitear essa bolsa o aluno deve estar regularmente matriculado em curso de pós-graduação (mestrado acadêmico) ou seja, stricto sensu. Também é necessário que o projeto de pesquisa resulte em uma dissertação final e também deve ser cursado em instituição localizada no Estado de São Paulo.

Quanto ao orientador também há pré requisitos, ele deve ter o título de doutor ou qualificação equivalente avaliada por sua súmula curricular. Porém a verificação da regularidade da situação de credenciamento do orientador fica de responsabilidade da instituição de ensino

O aluno pode solicitar a Bolsa de Mestrado antes mesmo do término do curso precedente (graduação), respeitando-se os prazos definidos pela FAPESP. Porém a apresentação dos comprovantes correspondentes à sua conclusão da graduação é imprescindível para que ele possa confirmar interesse na bolsa.

É interessante notar que a FAPESP prioriza candidatos recém-formados e que tenham concluído o curso de graduação dentro do prazo normal de sua duração, além de possuírem excelente histórico escolar e preferencialmente com estágio bem sucedido de iniciação científica. Isso porque as bolsas de pós-graduação visam principalmente a formação de profissionais para o sistema de pesquisa do Estado de São Paulo e por isso o seu sistema de filtragem acaba sendo mais rígido.

Como o projeto de pesquisa deve ser apresentado?

O projeto deve ser apresentado de forma clara e resumida, ocupando assim, no máximo, 20 páginas digitadas com espaçamento duplo. No caso de as propostas serem encaminhadas através do Sistema de Apoio à Gestão (SAGe), o formato deve ser tipo DOC ou PDF e ter até 5Mb.

O projeto submetido deve conter:

  • resumo (no máximo 20 linhas);
  • introdução e justificativa, com síntese da bibliografia fundamental;
  • objetivos;
  • plano de trabalho e cronograma de sua execução;
  • material e métodos;
  • forma de análise dos resultados

A responsabilidade pelo projeto é do orientador, porém o candidato deve estar preparado para discuti-lo e analisar os resultados. É assim esperado que o candidato participe intensamente da redação do projeto.

É interessante notar que para bolsas de mestrado, doutorado e doutorado direto, o valor vai crescendo conforme o tempo de pesquisa avança. São portanto colocados como níveis [MS-I (mestrado nível 1 para o primeiro ano) e MS-II (mestrado nível 2 para o segundo ano e portanto, conta com um acréscimo na bolsa)]. A bolsa de mestrado tem duração máxima de 24 meses (dois anos).

No caso do doutorado direto, no primeiro ano de pesquisa (DD I) o aluno ganha o mesmo que um mestrando em seu primeiro ano de mestrado (MS-I). No segundo ano de doutorado direto (DD II) o aluno ganha o mesmo que um mestrando em seu segundo ano (MS II).

No terceiro ano no doutorado direto (DD III) o aluno ganha o mesmo que o um doutorando “regular” em seu primeiro e segundo anos. Finalmente no quarto ano do doutorado direto (DD IV) o aluno ganha o mesmo que um doutorando “regular” em seu terceiro e quartos anos de pesquisa. Isso acontece para que não haja uma diferença injusta entre quem entrou no doutorado sem fazer mestrado (doutorado direto) e quem começou o doutorado após o mestrado, como é mais comum e usual.

A solicitação de bolsas não depende de abertura de edital, podendo ser feita durante todo o ano.

E em caso de intercâmbio durante o mestrado?

Uma vez que o aluno não pode acumular dois benefícios ao mesmo tempo, ou seja, bolsa de mestrado e de intercâmbio, a bolsa de mestrado deve ser interrompida enquanto a outra estiver vigente. Entretanto essa interrupção pode ser feita por até 6 meses.

Para que essa substituição de bolsas ocorra, o orientador deve solicitar autorização à Fapesp, e incluir uma justificativa circunstanciada. Caso o órgão de fomento autorize a interrupção, o tempo utilizado para a atividade no exterior não será descontado do tempo total da bolsa concedida.

A interrupção da bolsa de mestrado para que o aluno use a Bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE) é feita automaticamente assim que é aprovada a proposta BEPE. Para ser reativada a bolsa, o aluno deve fazer uma solicitação assim que retornar do estágio de pesquisa do exterior.

A reativação da bolsa de mestrado, com início no dia seguinte ao retorno do bolsista ao Brasil, deve ser solicitada no processo de bolsa no país, indicando o estágio da pesquisa e a previsão de sua conclusão.

Para processos que funcionem eletronicamente via SAGe (sistema online da Fapesp) o pedido deve ser feito no sistema através da submissão de Solicitação de Mudança do tipo “Reativação de Processo”, que deve ser elaborada pelo bolsista e submetida pelo orientador.

Para processos submetidos à FAPESP em formulário impressos, a solicitação deve ser enviada pelo orientador. No caso de processos submetidos à Fapesp em formulários impressos, a solicitação deve ser enviada pelo orientador, através de correspondência assinada ou via sistema Agilis.

É recomendado que a solicitação de reativação da bolsa seja encaminhada 30 dias antes da data prevista para o término da vigência da BEPE, indicada no Termo de Outorga.

Como conseguir bolsa para pós-graduação em instituição particular?

É possível conseguir bolsa de estudos em instituições privadas que podem chegar até 100%, nesse caso cada instituição particular tem sua própria seleção e oferecimento. Nesses casos o aluno fica isento – ou paga um valor reduzido – da mensalidade do curso de pós-graduação.

  • FGV

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) por exemplo possui duas modalidades de bolsa de estudo para a pós-graduação. Por financiamento próprio da instituição, chamado Fundo de Bolsas. Funciona da seguinte forma, o aluno deve pedir o financiamento semestralmente, podendo também ser solicitado logo no ato da matrícula ou durante o decorrer do curso. O critério para aprovação é apenas econômico e financeiro.

O financiamento de bolsas, com ressarcimento futuro obrigatório e sem juros, é viável graças à colaboração de empresas e pessoas físicas (alunos, ex-alunos, ex-bolsistas, professores e funcionários) e pelo próprio ressarcimento que é corrigido pela variação IGP-M de ex-bolsistas. Atualmente, segundo dados da instituição, cerca de 17% dos alunos de graduação em Administração são atendidos pelo programa.

A FGV dispõe portanto de dois tipos de bolsa, no caso de bolsa restituível o aluno tem as opções: Bolsa de Estudo (que vai de 20% a 100% do valor da mensalidade), Bolsa Material Escolar (auxílio semestral para compra de livros e material escolar), Bolsa Alimentação (auxílio semestral para alunos residentes fora da cidade e São Paulo) e Bolsa Transporte (auxílio semestral para alunos residentes fora da cidade de São Paulo).

Também há a opção da bolsa de estudo não restituível, ou seja, que o aluno não precisa pagar ao final de seu curso. É a Bolsa para Alunos com Dificuldade Econômica, que entretanto, são aplicáveis apenas para alunos da graduação. A instituição pode ainda conceder outras bolsas não reembolsáveis considerando quesitos como diversidade e talentos; que são definidos segundo critérios da FGV/EAESP.  As escolas de administração, direito e economia da FGV de São Paulo não cobram mensalidade, mas exigem dedicação integral.

  • Anhembi Morumbi

Já a Anhembi Morumbi chega a oferecer bolsas de 100% aos 5 primeiros colocados no edital de mestrado e de 50% para os cinco seguintes. No doutorado há bolsas institucionais para todos os alunos desde que façam um programa de atividades extras com carga de 12 horas semanais.

  • ESPM

A ESPM oferece bolsas para mestrado profissional baseada em critérios sociais e de mérito acadêmico. O financiamento da instituição é próprio e sem taxa fixa para alunos de pós lato sensu. Na unidade Rio de Janeiro, pode ser parcelado de 12  a 36 meses e em São Paulo de 17 a 35 meses.

  • Mackenzie

Na Mackenzie os quatro primeiros colocado para doutorado não pagam a mensalidade. Para a stricto sensu há o fundo de pesquisa próprio da instituição, chamado Mackpesquisa.

O que é CAPES e a qual sua importância para a pós-graduação

CAPES é a sigla de “Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior” e é uma fundação do MEC (Ministério da Educação). Tem como missão a expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu em todos os estados brasileiros.

Entre as atividades da Capes estão:

  • avaliação da pós-graduação de todas as instituições de ensino,
  • acesso e divulgação de produção científica nacional,
  • investimentos na formação de recursos de alto nível no país e exterior,
  • promoção da cooperação científica internacional,
  • indução e fomento da formação inicial e continuada de professores para a educação básica nos formatos presencial e a distância.

Pós-graduando de instituições particulares também pode solicitar bolsa de pós

O que nem todos sabem é que estudantes de instituições educacionais particulares também podem pleitear uma bolsa de estudos em órgãos de fomento à pesquisa como Capes; o programa em questão chama-se PROSUP (Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares).

Poderão solicitar o apoio do programa instituições de Ensino Superior particulares que mantiverem programas de pós-graduação stricto sensu aprovados pela Capes, tendo portanto nota igual ou superior a 3.

Os alunos interessado em obter uma bolsa de pós-graduação do PROSUP devem entrar em contato com as Pró-Reitorias de Pós-Graduação de suas respectivas instituições. Isso porque as bolsas de estudos e taxas escolares são gerenciadas pelas pró-reitorias.

Já o exame de solicitações dos candidatos bem como a seleção e o acompanhamento das bolsas e das taxas escolares são atribuições da Comissão de Bolsas Capes no Programa de Pós-Graduação.

Escreva um Comentário