Em texto publicado no Jornal da Ciência, a candidata ao cargo de Secretaria Geral, Rute Maria Gonçalves de Andrade, coloca seu apoio à candidatura de Helena Nader à presidência da SBPC. Veja aqui a lista dos candidatos aos cargos da Diretoria.

Leia também:   "Descentralizar é o centro", por Ennio Candotti, candidato ao cargo de vice-presidente, e apoiador da candidatura de Luiz Pinguelli Rosa à presidência da SBPC.

 

"Recordar é viver, eu ontem sonhei com você"

Mensagem de Rute Maria Gonçalves de Andrade, candidata ao cargo de Secretaria Geral.
 

É interessante o ser humano! Especialmente seu comportamento de não se lembrar do que passou, e assim, deixar de pautar posições e ações na história.

Inicialmente, pensei que as eleições para a Diretoria da SBPC seriam pautadas na seguinte realidade – candidatos identificados com propostas distintas, porém voltados a manter os princípios que regem a SBPC.

Ficou acordado então, que os candidatos enviariam à comissão eleitoral texto de uma lauda sobre sua candidatura a ser publicado no Jornal da Ciência. Ressaltou-se que nenhum candidato teria acesso aos endereços eletrônicos dos sócios da SBPC para que não os importunassem com mensagens de campanha durante as eleições. Já temos muitos sócios recebendo mensagens em suas caixas postais. Temos também textos no Jornal da Ciência com mais de uma lauda. Deixo então de ser purista e escrevo meu texto com mais de uma lauda, garantindo aos sócios que cumprirei o segundo acordo – não os importunarei com mensagens minhas em suas caixas postais.

Após esta breve introdução volto ao título da minha mensagem, verso de uma marcha tão conhecida: "Recordar é viver, eu ontem sonhei com você". Sonhei com você eleitor, sócio da SBPC. Sonhei que você, diferente de quem na época de eleições nacionais esquece quais promessas seu candidato cumpriu e quais deixou para trás, se lembra bem das últimas eleições da SBPC.

Para recordar a quem não se lembra e reforçar aos que se lembram um pouco da História.

Em 2007, eu, ilustre desconhecida do meio político acadêmico, sempre e apenas, às voltas com meu trabalho, empenhada em responder às minhas indagações sobre a natureza, fui introduzida na SBPC. Fui indicada como candidata a um dos cargos de secretaria da diretoria, biênio 2007-2009 para compor o grupo apoiado pela situação, ou seja, o grupo apoiado pelo então presidente Professor Ennio Candotti.

Sempre grata e muito honrada com esta demonstração de confiança, dedicada a fazer jus à mesma, trabalhei com todos os integrantes da Diretoria, composta, na ocasião, por membros apoiados pela situação e por membros que propunham outras diretrizes para a Sociedade. Naquela eleição, Raupp apoiado por Candotti venceu Renato Cordeiro no segundo turno, mas ambos, quando empataram com 579 votos foram vencidos por Helena Nader, que recebeu à época, 647 votos para o cargo de vice.

Venceu ambos, e hoje, é candidata a Presidente da SBPC e exerce esta função após a saída de Raupp em março para assumir cargo em Ministério.

Vejam agora como a História foi esquecida: o candidato a presidente Luis Pinguelli Rosa afirmou, em recente entrevista, que é apoiado por Raupp. Seus apoiadores, também candidatos, se manifestam descontentes com as atuações da atual diretoria, cuja presidência foi exercida por Raupp até fevereiro de 2011. Raupp apóia, portanto, o descontentamento de quem o indicou, em 2007, a presidente da SBPC e que agora se manifesta insatisfeito com o que ele fez quando à frente da Sociedade.

A impressão que passa, e fica, é que todas as ações da atual diretoria, desaprovadas pelos candidatos apoiadores do Professor Luis Pinguelli Rosa, foram deliberadas pela atual Presidente e candidata Helena Nader no cargo desde 21 de fevereiro do corrente ano.

Tal não procede. A atual diretoria trabalhou, desde 2007, sem deixar que as diferenças iniciais entre seus integrantes, indicados por grupos políticos distintos, interferissem no pressuposto básico de manter a ética da Sociedade e trabalhar, arduamente, para reforçar o papel da SBPC como defensora do progresso da ciência.

Muito foi feito. Algumas ações se deram no sentido de continuar e aprimorar o que já vinha sendo feito. Como exemplos: levamos a ciência a todo Brasil por meio das Reuniões Regionais (RR), introduzindo, como uma inovação, a SBPC Mirim dentro das RRs, que se destacou especialmente nas RRs de Maceió (AL), Oriximiná e Tabatinga no estado do Amazonas. A SBPC Mirim levou a ciência para as crianças destas cidades e abriu espaço para que mostrassem o que já conheciam sobre ciência.

Voltamos a ocupar o assento, como convidado permanente, nas reuniões do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético, Ministério do Meio Ambiente. Com esta participação, pudemos colaborar para a edição de dispositivos infralegais úteis para que a pesquisa científica, em biodiversidade, seja realizada com as amarras impostas pela MP nº2186-16/2001 um pouco afrouxadas. Permanecemos empenhados em contribuir para a aprovação de uma Lei para esta área de pesquisa, a exemplo da Lei Arouca, fruto de contribuições de diversos segmentos da comunidade acadêmica, inclusive a SBPC. Precisamos da ciência colaborando para preservar e conservar a biodiversidade e os conhecimentos dos povos tradicionais para que o Brasil possa exercer o papel que lhe cabe – um país que pode ser modelo em desenvolvimento sustentável.

Mantivemos o apoio ao GEA, grupo de estudos sobre o aborto, que trabalha, incessantemente, em favor da discriminalização do aborto, de modo que os casos sejam tratados como problema de saúde pública e não como casos de polícia.

Apoiamos as iniciativas em defesa do Estado Laico e do respeito aos Direitos Humanos.

O Grupo de Trabalho Educação tem levado seu recado em prol da melhoria urgente da educação em todos os cantos do país, ciente das dimensões incalculáveis do que há ainda a fazer em prol da educação digna para todos.

O Grupo de trabalho Código Florestal elaborou importante documento com princípios norteadores, baseados em resultados científicos, para a concepção do novo código.

Algumas Secretarias Regionais da SBPC não apresentaram candidatos a Secretario Regional para este pleito já iniciado. No entanto, vale lembrar, que a diminuição no número destas secretarias (de 23 para 10) é processo já anterior às nossas gestões e tem merecido cuidadosa avaliação. Qualquer candidato apoia, certamente, o empenho da Diretoria em melhorar a atuação destas sucursais e aumentar o seu número.

Poderia escrever várias laudas, mas interrompo aqui afirmando que o único lado em que se pode estar, ao ser candidato à diretoria da SBPC, é no que defende os princípios que a regem – progresso da ciência para um progresso com ciência. Sendo assim, não mudei de lado, e apoio a proposta de trabalho contida em www.helenanader.com.brjunto com os candidatos à diretoria que assim desejam trabalhar: HELENA NADER – candidata a Presidente; JAILSON BITTENCOURT DE ANDRADE e ALDO MALAVASI – candidatos a Vice-Presidente; JOSÉ ANTONIO ALEIXO DA SILVA – candidato a Secretário; JOSÉ RAIMUNDO BRAGA COELHO – candidato a 1.o Tesoureiro e ADALBERTO LUÍS VAL – candidato a 2.o Tesoureiro.

 

Fonte: Jornal da Ciência

Author

Write A Comment