Membros do Conselho Deliberativo do CNPq, órgão decisório máximo da agência, divulgaram uma carta aberta dirigida ao presidente da instituição questionando uma notícia, recentemente divulgada no site, que anuncia nova chamada para um edital de bolsas de Iniciação Científica, sendo este baseado nos eixos prioritários estipulados pela Portaria nº 1.122 do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCTIC).

Maria Ataide Malcher, Regina Pekelmann Markus e Fernando Galembeck, representantes da comunidade científica no Conselho Deliberativo, alegam que o edital não foi debatido no órgão, o que contraria a o regimento interno. Ademais, denunciam que os critérios da portaria são excludentes e expõem tentativas de valorização de áreas de conhecimento.

“A pré-chamada materializa as diretrizes da Portaria e, assim, reforça as dicotomias e exclusões estabelecidas na agenda do MCTIC. Considerando a gravidade do fato, que exige o empenho do Presidente e Diretores do CNPq em restabelecer a ordem institucional, solicitamos que essa decisão seja revista e, conforme estabelecido no Regimento Interno (Capítulo II, artigo 10), seja ouvido o Conselho Deliberativo”, aponta a carta aberta.

A carta dos conselheiros é mais um capítulo de um embate que a comunidade científica tem travado contra o rebaixamento das ciências humanas, sociais e de pesquisas básicas nos editais de iniciação científica, linha que será adotada se prevalecerem as orientações da Portaria nº 1.122 do MCTIC.

A ANPG se soma às vozes dos três conselheiros, que certamente representam a visão amplamente majoritária da comunidade científica, favoráveis ao fomento do desenvolvimento de todas as dimensões do conhecimento e contrárias às perseguições e desequilíbrios entre as áreas do saber.

Leia a íntegra do documento abaixo:

 

Carta-ao-Presidente-do-CNPq_CD_Iniciacao-Cientifica_21.05.2020

Write A Comment