A Pandemia do covid-19 tem evidenciado as desigualdades que assolam o Brasil. Ela tem jogado luz sobre as condições de ensino, estudo e da realização da pesquisa no país que precisaram ser interrompidas para cumprimento das exigências sanitárias dos órgãos e agências de saúde, como uma das formas de prevenção ao contágio pelo coronavírus.
Assim, com o alargamento da quarentena, as instituições estão transpondo as atividades presenciais para forma remota. Em muitos casos, sem debate necessário com a comunidade acadêmica, fragilizando ainda mais o processo de ensino-aprendizagem, e excluindo parcelas dos estudantes por esses não terem condições estruturais, e muitas vezes, psicológicas de voltarem suas atividades. É preciso que haja um intenso debate entre as parcelas das instituições, de modo a garantir que nenhum estudante possa ser prejudicado, na possibilidade de retomada das atividades de forma online. Enquanto, a ANPG discute sua posição sobre EAD, acompanhando as particularidades de cada instituição no Brasil, confira a posição inicial das entidades estudantis e de apgs pelo Brasil sobre o assunto afim de fomentarmos o debate sobre as aulas remotas e EAD.

Plano Emergencial da ANPG, UNE e UBES

APG ESALQ USP

APG UEPG

CARTA DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DISCENTES DA APG-UEPG AO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UEPG

CARTA ABERTA À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA DA UEPG

APG UFC

Posicionamento da Comunidade Universitária da UFC

APG UFLA

Nota Oficial da APG-UFLA em relação às atividades remotas

APG UFRJ

APG UFS

APG Unesp Rio Claro

APG USP CAPITAL

APG Unicamp

Write A Comment