um-fw
A ANPG se solidariza ao Movimento de Valorização da Residência Médica no Estado de São Paulo. O Movimento Nacional de Residentes conquistou em março de 2016 a Portaria Interministerial n° 3, que determinou o aumento de 11,9% a partir do mês de março em todas as bolsas de residência do país. Desde então os residentes (médicos e em área saúde) cujas bolsas são pagas pelo Ministério da Educação e Ministério da Saúde estão recebendo os valores corrigidos. Contudo, em São Paulo, a Secretaria Estadual de Saúde não reajustou o valor das bolsas de residência.
Desta forma os médicos residentes de São Paulo deliberaram em manifestação no dia 03 de novembro na Avenida Paulista, em frente ao MASP, pela paralisação das atividades caso não houvesse o reajuste da bolsa, que deveria ter ocorrido a partir de março, conforme definido em Portaria.
O Governo do Estado de São Paulo foi o único no Brasil a não conceder o
reajuste das bolsas. Os médicos residentes que recebem a bolsa pelo município de São Paulo tiveram o seu reajuste pela Portaria Municipal 1904/2016-SSM publicada dia 20/10/16. O retroativo a ser pago em 2017. A ANPG tem compromisso com todos os residentes do país e parabeniza a todos que estão na luta pelos seus direitos.
Sabemos do esforço e a importância dos residentes para o adequado funcionamento do Sistema Único de Saúde, e temos certeza de que esta atitude extrema é um sinal de consciência da necessidade de reivindicar o que se é devido, de forma coletiva. De tal forma, damos total apoio a paralisação dos médicos residentes do estado de São Paulo.

Write A Comment