ANPG_FBPOST_ENTREVISTA_ILDEU
Professor de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Ildeu de Castro Moreira foi vencedor do Prêmio José Reis de Divulgação Científica em 2013 e presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), da qual foi eleito durante a 69ª Reunião Anual da SBPC, em Belo Horizonte. Ildeu conversou com a ANPG sobre os desafios da ciência brasileira. Confira:
Quais são os maiores desafios para a Ciência brasileira nos próximos anos?
Um desafio grande, emergencial, que a gente está vivendo, é o corte drástico de recursos para a ciência e para a tecnologia. Isso também afeta muitas áreas da Educação. Então esse é um desafio, a gente recuperar recursos, senão a gente vai ter um país com possibilidades de avanço muito reduzidas.
No mundo moderno a ciência e a tecnologia são fundamentais. Se nós não tivermos os recursos adequados, e eles foram drasticamente reduzidos, para formação de pessoal, para Pesquisa, para investimento em novas iniciativas, aí a ciência brasileira começa a andar para trás. E ela andou para frente significativamente nos últimos 20 anos.
Nós estamos vivendo um momento muito difícil, que está ameaçando o trabalho dos cientistas, dos estudantes, dos pesquisadores, da pós-graduação. Esse é o principal desafio. O Brasil vive uma crise grande, problemas sociais graves, problemas econômicos graves, e a ciência também está envolvida nisso.
A gente tem que discutir como a comunidade científica pode colaborar, e ela tem feito isso, a SBPC tem lutado continuamente pela reversão desse quadro, do ponto de vista dos recursos específicos da Educação, mas também para ter uma ciência mais conectada com a realidade de vida das pessoas, com o sistema produtivo, e pela melhoria da qualidade geral da Educação brasileira. Esse também é um grande desafio.
O que falta para a ciência estar mais conectada com a sociedade, mais presente no dia a dia do brasileiro?
Não é um fator único que determina isso. É uma questão histórica. A nossa ciência e a nossa Educação são muito recentes em comparação com países europeus, que tem uma inserção na sociedade muito mais ampla. Apesar disso o Brasil tem uma inserção muito grande em áreas como a Saúde, a gente tem áreas de interação com a sociedade que a ciência é decisiva. A Saúde, a Agricultura, a Energia, as Engenharias, então a Ciência e a Tecnologia já estão presentes em inúmeras atividades da sociedade. A gente precisa fazer uma aproximação maior no sentido de integrar mais a Ciência, que seus resultados de pesquisas tenham impacto maior, que possam construir novas coisas, inovar no sistema produtivo para melhorar políticas sociais, a qualidade de vida das pessoas, a conservação do Meio Ambiente, então a tecnologia pode contribuir de maneira significativa. Um esforço para isso é melhorar a Educação Científica nas escolas. E melhorar as atividades de comunicação pública da Ciência. Debatendo mais, fazendo mais atividades, trazendo mais jovens para a Ciência. O Salão de Divulgação da ANPG tem também esse papel. E a gente precisa que os pesquisadores, os alunos, os estudantes de pós-graduação, todos contribuam também para a educação científica e para a divulgação científica.
 
Texto: Lipe Canêdo

Write A Comment