ANDIFES lança Programa de Expansão e Internacionalização das Universidades Federais

carteira-de-estudante-2023-b

Uma proposta de Programa para Expansão, Excelência e Internacionalização das Universidades Federais foi apresentada na tarde desta quarta-feira (18) pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES). O presidente da entidade, professor João Luiz Martins, disse na abertura do evento que o Programa é resultado de um trabalho coletivo, com a contribuição de diferentes atores. “Estamos construindo junto ao Ministério da Educação alguns caminhos para que esta proposta seja levada à presidente da República”, afirmou João Luiz.

A intenção da ANDIFES é que o Programa seja estratégico para o Sistema das Universidades Federais e uma nova etapa da expansão universitária brasileira, pós-Reuni, projeto apresentado também pela entidade em 2003 e adotado em 2007, pelo então governo Lula, do que resultou aumento significativo da graduação e da pós-graduação nas mais diferentes áreas do conhecimento e em todas as regiões do Brasil, com a abertura de expressiva quantidade de novas vagas públicas no ensino superior. Neste ano de 2012, de acordo com João Luiz, “as ações do REUNI estão praticamente concluídas e as metas originais foram ampliadas e superadas, surgindo agora outro grande desafio, que é o de aprovar e cumprir o novo Plano Nacional de Educação”.

As 20 diretrizes sugeridas no Programa para o novo ciclo de expansão universitária federal, concluiu o Presidente, possuem dimensão política, estrutural e pedagógica e devem orientar as ações de cada instituição, respeitado o respectivo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). Dentre elas estão a de promover políticas de treinamento e educação continuada para o pessoal técnico-administrativo e a de implantar indicadores para acompanhamento e avaliação de resultados acadêmicos e de gestão administrativa.

Foram convidados para compor a Mesa o deputado federal Pedro Uczai (PT/SC), vice-presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, e outras autoridades ligadas à área de educação, como o secretário-executivo do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antônio Elias, bem como dirigentes sindicais de diversas entidades, entre elas a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a ANPG.

A Diretora de Comunicação da ANPG, Luana Bonone, em sua fala expressou o apoio da entidade ao novo programa e discorreu também sobre sua importância para a implantação do PNE a ser aprovado, bem como a necessidade de aporte de mais verbas para a educação, ciência e tecnologia. Luana fez menção à Campanha das entidades estudantis pela destinação de 10% do PIB para essas áreas. Leia mais aqui.

O secretário-executivo do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antônio Elias, disse considerar o Programa mais do que um ciclo de expansão das universidades federais, mas a consolidação de uma mudança de paradigma. “O programa está em consonância com o projeto do governo de integrar em uma única estratégia nacional a Educação Superior e a Ciência e Tecnologia. O ministério apoiará decididamente este programa, podem ter certeza” afirmou ele.

 

Da Redação com informações do Proifes.