Hercília Melo, secretária geral, Tamara Naiz, presidenta, e Cristiano Junta, vice-presidente, durante a reunião da diretoria plena da ANPG. Foto: Eduardo Paulanti
Hercília Melo, secretária geral, Tamara Naiz, presidenta, e Cristiano Junta, vice-presidente, durante a reunião da diretoria plena da ANPG. Foto: Eduardo Paulanti

Na tarde desta segunda-feira (02), aconteceu a reunião de diretoria plena da Associação Nacional de Pós-Graduandos, que contou com a participação de representantes de 17 APGs (Associações de Pós-Graduandos) do Brasil, das quais 12 delas se pronunciaram: UnB, Fiocruz-Rio, USP-Capital, UFABC, UFPA, UFG, Usp-Ribeirão, UFGD, UFSC, UFLA, UFOP e Puc-Rio. A reunião foi realizada na Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI), no Rio de Janeiro, aproveitando a ocasião da 9ª Bienal da UNE.

Dentre as questões levantadas pelas APGs estão pontos acerca da assistência estudantil, como a necessidade de ter o restaurante universitário e o passe livre para os pós-graduandos. As Associações salientaram também as ações realizadas no período do atraso das bolsas de pesquisa concedidas pela CAPES. A Fiocruz-Rio, por exemplo, realizou ato em protesto ao atraso das bolsas e a USP-Capital enviou uma nota aos pós-graduandos para que eles relatassem os prejuízos que tiveram com o atraso do auxílio.

A presidenta da ANPG, Tamara Naiz, também comentou a atuação da entidade durante o período do atraso das bolsas. Após diversas ações da entidade e da mobilização dos pós-graduandos, a ANPG conseguiu se reunir com o Ministério da Educação e com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior, no mês passado. Dessa reunião resultou a criação de uma comissão do MEC coordenada pela CAPES para discutir políticas de inclusão e acesso à minorias sociais no mestrado e doutorado (Leia mais!). Tamara propôs a criação de uma comissão interna da ANPG, concomitante com a comissão do MEC, para acompanhar essa situação.

Durante a reunião de ontem, também foi definido o calendário deste ano da Campanha por Mais Direitos para os(as) Pós-graduandos(as) e a Caravana à Brasília por mais direitos, que deverá ser em abril, e na qual será realizado um seminário sobre assistência estudantil.

“A reunião de diretoria plena da ANPG foi aberta aos pós-graduandos que quisessem participar. Contamos com a presença de APGs, que expuseram suas questões. Isso legitima o processo de mobilização nacional e faz com que saiamos daqui mais fortalecidos”, diz Igor Dias, Tesoureiro da ANPG.
Durante a reunião, também foi aprovada a Moção pela retirada das Medida Provisórias 664 e 665, que representam uma redução de direitos aos trabalhadores. (Leia a Moção Aqui)

Da redação

Author

Write A Comment